APM Terminals amplia benefícios à maternidade

Apm Licença MaternidadePara reter talentos femininos após o parto ou adoção, todas as empresas do Grupo Maersk adotarão redução de jornada nos seis meses após o período de licença

A APM Terminals – operadora portuária em Itajaí (SC) e Pecém (CE) – implementará, a partir de 4 de abril, a nova Política de Licença Maternidade lançada globalmente pelo Grupo Maersk. O documento estabelece às 23 mil funcionárias, distribuídas nos 130 países onde opera, o padrão mínimo de 4 meses remunerados, o que já é previsto pela legislação brasileira, além do diferencial de redução em 20% da carga horária diária ou semanal por até seis meses após o retorno da licença. Países que já oferecem benefícios superiores terão suas legislações cumpridas.

“O lançamento desta nova Política está diretamente relacionado aos valores corporativos da APM Terminals e do Grupo Maersk, entre eles o cuidado constante e a atenção aos nossos colaboradores. Entendemos que a implementação de um padrão mínimo para a licença maternidade influencia positivamente o mercado, contribuindo para elevar os níveis de participação feminina e reter profissionais talentosas”, disse Ricardo Arten Gorzelak, Diretor Superintendente da APM Terminals e porta-voz do Grupo Maersk no Brasil.

A taxa de retenção global do Grupo Maersk para mulheres após a maternidade é menor que 70%. Dentre as colaboradoras que desistiram de seus empregos após darem à luz, 80% deixaram as empresas ao longo dos 12 meses posteriores à licença maternidade. Ao oferecer uma transição suave no retorno ao trabalho, a expectativa é de que as funcionárias sintam-se motivadas em continuar nos seus postos.

“A nova Política respeita a fase de transição da mulher e, consequentemente, agrega valor à relação entre as funcionárias e a empresa. O objetivo do Grupo é alcançar a melhor prática de 90% para retenção de mulheres que deram à luz ou praticaram adoção”, explica Amilton Rocha, Diretor de Recursos Humanos da APM Terminals no Brasil.

O diferencial também atrai profissionais talentosas que queiram trabalhar em empresas comprometidas com o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. “Empresas que valorizam a diversidade como um fator competitivo e inovativo, precisam se adaptar para elevar a atração e retenção de profissionais talentosos”, finaliza Amilton.

O benefício de redução de jornada é cumulativo em relação à legislação brasileira, a qual concede uma hora a menos de trabalho por dia até o bebê completar seis meses com o objetivo de estimular a amamentação. Desta forma, a funcionária da empresa que retornar ao trabalho após quatro meses de licença, poderá ter sua carga horária diária reduzida em uma hora até o bebê completar seis meses, e a sua jornada diária ou semanal reduzida em 20% por seis meses após o período de licença ou até o bebê completar um ano.

 

Mais informações:

Assessoria de Imprensa

Luciana Zonta

Buriti Jornalistas Associados

Telefone: |47| 8415-5407

Email: luzonta@gmail.com

Comunicação Corporativa

Michele Schifino

APM Terminals Brasil

Telefone: |47| 3341-9952

Email: michele.cardoso@apmterminals.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s