Dez coisas que você precisa saber sobre cateterismo cardíaco

Você já ouviu falar em cateterismo? O som da palavra ecoa muitos pontos de interrogação ao redor da nossa cabeça. Aparentemente, o susto maior surge quando algum familiar ou conhecido é submetido a esse tipo de exame relacionado ao coração.

Cateterismo cardíaco é um procedimento que tem por objetivo detectar a existência e a gravidade de obstruções nas artérias do coração, além de checar as alterações no funcionamento das válvulas e do músculo cardíaco. E para alertar sobre o funcionamento do exame e a prevenção das doenças cardíacas o dr. Marcelo Cantarelli, médico cardiologista intervencionista e presidente da SBCI (Sociedade Brasileira de Cardiologia Intervencionista), selecionou dez perguntas para esclarecer algumas dúvidas:

O que é o cateterismo cardíaco?

Trata-se de um exame para detectar a existência, localização e gravidade de obstruções nas artérias do coração, alterações no funcionamento das válvulas e do músculo cardíaco e defeitos congênitos.

Em quais casos ele é indicado?

Em mais de 80% das vezes, ele é indicado para o diagnóstico da doença arterial coronaria (angina e o infarto) por ser essa a mais frequente. Entretanto, indica-se o cateterismo também para o diagnóstico das doenças das válvulas (como estenoses e insuficiências mitral e aórtica), músculo cardiaco (miocardiopatias) e doenças congênitas (defeitos no desenvolvimento do coração).

Existe uma idade mínima para realização do exame?

Não existe uma idade mínima, já que algumas vezes o exame é realizado em crianças recém-nascidas para diagnóstico e tratamento de defeitos congênitos. Porém, como a doença coronária é a mais frequente e atinge todas as faixas etárias, a cinecoronariografia (que é o nome do cateterismo quando o objetivo é avaliar as coronarias) pode ser realizada até em pessoas muito idosas.

O que é necessário fazer antes do procedimento?

Alguns medicamentos precisam ser suspensos antes do procedimento, como anticoagulantes (dois a cinco dias, dependendo do tipo) e hipoglicemiantes com metformina em sua composição (dois dias). Pessoas com alteração da função renal precisam ser hidratadas algumas horas antes, dependendo da indicação médica. No dia, é preciso chegar com 1 hora de antecedência e estar em jejum entre quatro e seis horas.

Como é feito o exame?

O exame é feito em ambiente hospitalar, no setor de Cardiologia Intervencionista, geralmente com anestesia local, podendo ser usada também uma sedação leve. Em seguida, o médico cardiologista intervencionista insere um cateter (tubo fino) no vaso sanguíneo pela virilha, punho ou antebraço, até chegar ao coração. Não há cortes, o cateter é inserido através de uma punção. Para visualização das artérias coronárias e das câmaras cardíacas são feitas injeções de contraste iodado. O especialista acompanha o exame por meio de imagens obtidas por emissão raio-X e digitalizadas.  Ao final, o cateter é removido e é  feito o curativo. Todas as imagens são gravadas em um CD que é entregue ao paciente no final do procedimento.

Quanto tempo dura o exame?

Depende do que será avaliado através do cateterismo. Uma cinecoronariografia leva menos que 30 minutos. Um estudo mais completo, para avaliar valvas cardíacas, pontes de safena, defeitos congênitos, em média levam uma hora.

É preciso temer o contraste de iodo?

Atualmente não. Pacientes com alergia ao iodo deverão avisar o especialista para que receba um tratamento profilático antialérgico antes de ser submetido ao exame. A alergia ao contraste é rara e pode provocar desde náuseas e vômitos, até tremores, urticárias, broncoespasmo e reação anáfilática.

Pacientes idosos, diabéticos e portadores de insuficiência renal devem receber hidratação antes do procedimento para minimizar as reações que o contraste pode trazer ao funcionamento dos rins.

Qual o procedimento pós-exame?

Realizado o cateterismo, o paciente permanence em observação no hospital de 2 a 6 horas. Deverá evitar esforços nos próximos dois dias, principalmente com o membro por onde foi realizado o exame. É recomendado a ingestão de líquidos para ajudar a eliminação do contraste pelo organismo e alimentar-se normalmente. O aparecimento de dor ou hematomas nos dias seguintes ao exame devem ser comunicados ao médico.

Quais são os riscos do cateterismo?

Os efeitos adversos que podem ocorrer comumente são: arritmia cardíaca, reações alérgicas devido ao uso do contraste iodado, insuficiência renal, sangramento no local de inserção do cateter; e lesões nos vasos sanguíneos, porém pouco frequentes. De acordo com os dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia Intervencionista, infarto do miocárdio e acidente vascular encefálico podem ocorrer, porém com chance inferior a 0,1%.

Quando sai o resultado?

Normalmente, o resultado é emitido no mesmo dia do procedimento.

 Fundada em 1993, a Sociedade Brasileira de Cardiologia Intervencionista (SBCI) congrega cardiologistas e profissionais de saúde com atuação em Cardiologia Intervencionista. A sociedade tem como missão desenvolver a cardiologia intervencionista, certificar a atuação profissional e representar os associados com qualidade, eficiência e alto valor agregado em prol da comunidade

Um comentário sobre “Dez coisas que você precisa saber sobre cateterismo cardíaco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s