Alimentos podem descompensar o metabolismo e inflamar o cérebro

A escolha dos alimentos que são ingeridos no dia a dia faz toda a diferença na saúde geral do corpo. Mas, o que poucos sabem é que algumas opções, muito comuns na rotina da maioria das pessoas, também podem descompensar o metabolismo e acabar inflamando o cérebro.

Composto essencialmente de gordura e movido a glicose, o cérebro é afetado pela alimentação rica em açúcar ou de alto índice glicêmico, como massas, pães brancos, cucas e bolos. “Eles fazem a glicação aumentar. Dessa forma, a “caramelização”, ou seja, o endurecimento das proteínas dificulta a troca de oxigênio, de nutrientes e a neurotransmissão”, explica a médica nutróloga Cristiane Molon.

A especialista também esclarece que, para evitar o problema, a dica é ingerir gorduras e açúcares saudáveis. “Ao infringir essa regra, podemos descompensar nosso metabolismo cerebral”, complementa, lembrando que, ao comprometer as funções do cérebro, todo corpo acaba sendo afetado. Quando, por exemplo, o eixo hipotalámico-hipofisário sofre disfunção, a tireoide fica comprometida, deixando o metabolismo do corpo todo lento.

Para reduzir as chances de inflamar o cérebro, é preciso optar por comida sem manipulação química. “Prefira peixes, ricos em gorduras boas, tipo ômega 3, óleo de coco, azeite de oliva extravirgem de boa qualidade, oleaginosas, como castanhas, nozes e amêndoas, verduras e legumes orgânicos, consuma geleia real e alga clorella”, destaca.

A nutróloga também enfatiza que, para ter saúde, o sono reparador é fundamental, assim como o controle do estresse e a prática regular de exercícios físicos. “Muitos estudos indicam os benefícios da meditação para manter uma boa memória e também auxiliar no controle do cortisol, hormônio do estresse, que, quando em excesso, relaciona-se com a diminuição da memória e da concentração”, completa.

Evite

– Carnes embutidas, processadas, conservadas e congeladas, como salsichas e mortadela, e alimentos de micro-ondas, como nuggets e lasanhas.

– Fast food, como hambúrguer, sanduíches regados de molhos prontos, amidos e gorduras trans.

– Alimentos com gorduras processadas industrialmente. Ainda que a gordura seja vegetal, o processo de refinamento provoca o mau funcionamento cerebral. Assim, os piores alimentos são chips, salgadinhos, amendoim crocante e outros usados como aperitivos. Esses produtos são cheios de gordura hidrogenada e sódio;

– Alimentos fritos em óleos vegetais de soja, canola, milho, girassol. A fritura gera acrilamida, uma substância potencialmente tóxica;

– Alimentos com grande quantidade de amido e açúcar, como pães, doces, bolos, embutidos;

– Macarrão instantâneo, temperado com glutamato monossódico e outros temperos artificiais.

Sobre a Dra. Cristiane Molon

É médica especializada em nutrologia com pós-graduação em Prática Ortomolecular e Saúde da Família.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s