ESPECIAL NUTRIÇÃO – JEJUM INTERMITENTE

Diferente das dietas citadas nesta reportagem, o plano alimentar conhecido como “Jejum intermitente restringe a alimentação a apenas algumas horas durante o dia. A privação total ou parcial de alimentos, com restrição calórica intermitente, na qual se diminui 25% ou 50% do consumo de caloria, é indicada para pessoas que desejam controlar o peso, emagrecer e realizar a redução de gordura visceral. Também pode ser utilizada por pessoas que possuem síndromes metabólicas (riscos de doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e colesterol elevado). A nutricionista clínica funcional e materno-infantil, Carolina Theilacker Sommerfeld (CRN 104033), explica que, para o jejum intermitente funcionar, ele deve complementar o estilo de vida, sendo flexível e fazendo o paciente se sentir melhor e não pior. “A prática do jejum ‘ensina’ o seu corpo, aos poucos, a parar de ter só glicose como fonte de energia — o que acontece com quem come a cada três horas ou quem belisca comidinhas toda hora. Ele, então, vai passar a também usar as gorduras como fonte de energia”, destaca. O jejum intermitente pode ser aplicado de diferentes maneiras, mas o mais comum entre os praticantes é o jejum de 16 horas, com uma janela de oito horas para refeições. Outras opções são os jejuns de 20 a 24 horas em dias alternados, dias de restrição calórica leve alternados com dias de restrição calórica de 50%, cinco dias de consumo irrestrito ou conforme as necessidades energéticas totais, e dois dias de restrição severa, preferencialmente não realizados em dias seguidos. Cada pessoa será instruída a seguir o jejum que mais se adequa ao seu organismo e estilo de vida. Carolina conta que a base do cardápio que será ingerido pela pessoa que seguir este plano alimentar varia dependendo do jejum que escolher, podendo ser liberada a ingestão de todos ou alimentos, ou não. “Os cardápios devem ser calculados e distribuídos com fontes nutricionais adequadas, receitas, chás, sementes”, explica. Ela ainda destaca que esta estraté- gia alimentar não é recomendada para quem tem tendência à hipoglicemia, aos acostumados com o consumo de carboidratos a cada três horas, pessoas que têm tendência para distúrbios alimentares, pacientes com diabetes insulino- -dependentes, pacientes com distúrbios gástricos e idosos acima de 70 anos.

 

Benefícios do jejum intermitente:

• Perda de peso

• Opção para quando as alternativas convencionais não funcionam (resposta metabólica ou por baixa adesão) • Melhora dos sinais de mitocondriopatias (fibromialgia, fadiga crônica e insônia)

• Reduz o colesterol LDL

• Estimula a longevidade e saúde

Sintomas que podem ser apresentados durante o período de adaptação:

Hipoglicemia, tontura, fraqueza, enjoo, cansaço, insônia e irritabilidade, desconforto intestinal, distensão abdominal, sono de má qualidade e carências nutricionais.

Carolina Theilacker Sommerfeld

Nutricionista Clínica Funcional

Clínica Finestética

(47) 3046 1746 | (47) 9 9640 3838

carol-saborcomsaude@hotmail.com

@carol.nutrindofamilias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s