A importância da multidisciplinaridade na saúde mental

Em relação aos transtornos mentais, há muitos anos venho percebendo que os resultados mais eficazes no sentido de permanência da melhora e início mais rápido de ação terapêutica, acontecem quando o trabalho é realizado em equipe multidisciplinar. Quando falamos de saúde mental a equipe deve ser formada por psicólogos e psiquiatras; entretanto, não podemos esquecer da saúde emocional que faz parte de todo o contexto e então precisamos expandir a equipe, trazendo para o tratamento, os terapeutas holísticos, educadores físicos, nutricionistas e outros profissionais que também trabalham proporcionando saúde na sua forma mais ampla de entendimento. Quando avaliamos o indivíduo que pede ajuda de forma ampla, global e integrativa necessariamente percebemos que são necessárias diversas alternativas complementares para que haja um desfecho positivo.

Cada profissional da saúde mental e emocional aborda o transtorno mental de forma diferente e se completam de maneira harmônica quando o objetivo é realmente ajudar o indivíduo em sofrimento psíquico. Sem esquecer que a equipe pode trabalhar não só com o tratamento da doença mental instalada, mas também com a sua prevenção e a reabilitação.

Os profissionais da saúde mental precisam cada vez mais ampliar suas percepções e perceber que o paciente não é de um ou de outro profissional, mas, sim, da equipe que não deve medir esforços para ajudá-lo em conjunto.

Essa visão de tratamento integrativo na saúde mental, na verdade na saúde como um todo, é sem dúvida a ideal, mas para isso é importante que cada profissional respeite e conheça o espaço e as limitações de cada um, entendendo acerca das possibilidades terapêuticas de cada conhecimento específico. Até porque, não adianta encaminhar os pacientes para outros profissionais sem saber de fato como fazer, o porque está fazendo e para quem irá encaminhar.

Para ficar mais claro, sempre dou o exemplo do transtorno de humor mais comum no consultório, a depressão. Não existe como tratá-la de forma eficaz apenas com medicações, elas são sim imprescindíveis, porém, a psicoterapia, o estilo de vida saudável (alimentação saudável, atividade física regular e sono reparador) e as terapias holísticas (reiki, meditação, yoga e outras) são infinitamente mais eficazes quando aplicadas juntas do que cada uma de forma
isolada. Até porque as causas dos transtornos mentais são geralmente multifatoriais e isso significa que o tratamento deve ser multidisciplinar.

Nos transtornos alimentares a equipe deverá ser formada pelo menos pelo psiquiatra, psicólogo e nutricionista. Muitas vezes o neurologista e o médico clínico por exemplo, são muito importantes desde a elucidação diagnóstica até o tratamento; porém, o médico psiquiatra é imprescindível durante todo o processo. Bons profissionais encaminham e se conectam com essa rede de apoio, a equipe.

Entretanto, de nada adianta formar uma equipe se não houver comunicação entre ela. Isso na medida em que a falta de comunicação e condutas diversas prescritas para o mesmo paciente por diferentes profissionais podem confundir todo o processo do tratamento e agravar algo que deveria ser melhorado. Logicamente que deve existir ética em relação ao sigilo e consentimento ou não do paciente, mas não há dúvidas que a comunicação entre os profissionais
da equipe multidisciplinar deve ser constante.

Os conflitos de egos, a falta de interesse genuíno no bem-estar do paciente ou até mesmo a falta de informação acerca das diferentes abordagens terapêuticas limitam o tratamento sobremaneira e podem culminar em desfechos trágicos. Sabemos que a psiquiatria e até mesmo a psicologia sofrem com preconceito e que muitas pessoas procuram outros profissionais quando em sofrimento psíquico por conta disso; porém, cabe a esses profissionais
trabalharem a motivação desse paciente e encaminha-lo também para os profissionais especializados.

Trabalhar em equipe pelo paciente é um aprendizado contínuo e a grande chave para o sucesso terapêutico.

Perca o medo e o preconceito procure um psiquiatra.

Por

Dra. Vanessa Adegas Menin

Psiquiatria e psicoterapia | CRM 22011 RQE 12908

CLINSAM

Clinica de Saúde Mental | Rua Antônio Manuel Moreira, 140 | Itajaí

(47) 4141.8781 | (47) 99641.8781 – clinsam.dap@gmail.com

http://www.desvendandoapsiquiatria.com.br

Facebook e Instagram: vanessapsiquiatra 

Youtube: Desvendando a psiquiatria  

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s