Uma festa portuguesa com certeza

De volta a Portugal para mais uma temporada, esse ano cheguei bem a tempo das festas de Natal e Ano Novo. No Natal, a mesa portuguesa é um pouco parecida com a nossa, afinal foram eles os responsáveis pelo nosso descobrimento, mas há deliciosas diferenças e sobre estas iremos falar.

Na véspera de Natal também chamada por eles de Noite da Consoada – do latim Consolare, que significa consolar, é porque como as famílias se encontravam para se consolar ou passar essa noite juntas – do extremo Sul até o Norte pode-se dizer que o bacalhau reina quase absoluto e devido ao clima mais frio é preparado de forma diversa do nosso. Aqui, come-se o bacalhau com todos que nada mais é do que postas de bacalhau cozidas com batatas, cebolas e couve.

No Norte do país é comum cozinharem alhos, cebolas e louro em azeite e vinagre e por esse molho por cima do bacalhau. Ainda no Sul é comum comer polvo guisado com batatas ou empanado.

No dia de Natal propriamente dito, se inicia com queijos e enchidos variados, pães e as frutas secas tão comuns em nosso país, tais como nozes, avelas e amêndoas. Aliás, devido ao frio que faz em Portugal por essa época tem muito mais a ver que no Brasil (risos). Para o prato principal em todo o país é costume assar um peru, normalmente recheado e praticamente todas as famílias têm a sua própria receita. Os acompanhamentos variam muito, indo desde o arroz com amêndoas passando por batata assadas, purê de maças ou até mesmo um arroz com açafrão.
Também se come cabrito assado. Ao contrário do Brasil, por aqui eles desconhecem o tender que tanto amamos com cravo e melado e tampouco aquelas farofas especiais e os nossos arrozes “turbinados”. No capítulo doce os portugueses são imbatíveis: há ovos moles, papo de anjo, rabanadas, que por aqui se chamam de fatias douradas, filhoses, coscorões e pudins diversos e mais uma infinidade de doces além do bolo-rei. Esse bolo é como se fosse uma rosca recheada com frutas cristalizadas e recoberto com açúcar. Para beber, mesmo com o bacalhau, vinho tinto.

No Ano Novo os portugueses, diferentemente de nós, não costumam comer lentilhas nem romãs para dar sorte. Por aqui a simpatia e comer 13 uvas passas. A mesa geralmente é composta de mariscos, que é como chamam os frutos do mar em geral, Champagne e espumante à vontade.

Desejo a todos um ÓTIMO 2019!

Por

Renato Justo

Chef de cozinha

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s