DISCIPLINA POSITIVA PARA EDUCAR, INTELIGÊNCIA EMOCIONAL PARA GUIAR!

Antes de ser mãe, eu de fato nem sonhava com isso. Eu tenho uma história de vida que poderia ter sido trágica se não tivesse sido transformada em uma linda história de amor. Aos 21 anos de idade, descobri que, ao nascer, fui abandonada no meio de um mato e encontrada quase sem vida por um cachorro que me farejou. A ideia da maternidade não me atraía por conta dos traumas inconscientes que se formaram; e por escutar de tantas mães sobre os desafios e conflitos que surgiam com a chegada de um filho.

No auge de uma carreira bem sucedida, fui surpreendida com uma gravidez. Em meio ao susto e desespero, decidi que faria dessa experiência a mais maravilhosa de todas. Como eu não confiava no meu “instinto”, estudei muito para ser mãe e havia trabalhado várias formas para superar meus traumas. Mal sabia eu que isso faria total diferença nessa jornada mágica!

Muitos pais sabem que precisam e querem mudar seus padrões de educação. Porém, mesmo tomando a decisão de fazer diferente, quando estão diante das situações, podem não conseguir ser coerentes com suas escolhas – acabam gritando, batendo ou agindo de maneira contrária daquela que gostariam. Isso gera um estado interno de frustrações e culpas que acaba influenciando na qualidade e na relação com os filhos.

Se pensarmos na forma como fomos criados, vamos perceber que tivemos uma educação muito “adultizada”; onde nossos pais se preocupavam mais com nossas necessidades físicas do que emocionais, por falta de conhecimento. O contexto da época era outro e crescemos escutando: “pare de chorar, engole esse choro, chorar é feio…”

A conseqüência disso é que hoje muitos pais não conseguem lidar com o choro dos filhos porque não conhecem e não sabem lidar com as próprias emoções. É importante entendermos que a maternidade e a paternidade são gatilhos mentais das nossas próprias vivências enquanto filhos. Ou seja, quando a criança faz birra, chora ou tem um comportamento desafiador e nós simplesmente reagimos ao invés de agirmos racionalmente, não estamos nos relacionando com nosso filho, mas com a nossa criança interior que em algum momento teve suas emoções contidas.

É por esse motivo que o autoconhecimento é muito importante. Entender o que nós estamos sentindo e gerenciar nossas emoções para não haver essa confusão no relacionamento. A Disciplina Positiva vem justamente para fornecer ferramentas de educação que ensinam importantes habilidades sócio-emocionais para nossos filhos se tornarem adultos emocionalmente inteligentes, porém tudo começa com o nosso exemplo. A boa relação INTERPESSOAL começa com uma boa relação INTRAPESSOAL!

Por Ana Paula Franz

 

  • No dia 06/07, durante o II WorkshopBabies&Kids no Balneário Shopping, vai acontecer um bate-papo super bacana sobre o tema!

Te espero lá!

 

Link para inscrições:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdahL3mJcPlWnE94DAeA9JClR4FyZ1v16qLtbBqyMMPfUuH4g/viewform

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s