Câncer, vamos falar sobre isso

O câncer é considerado uma das doenças mais temidas mundialmente, e não é à toa, pois é uma das principais causas de morte no planeta. Só em 2018, foram cerca 9,6 milhões e pessoas ao redor do mundo que perderam suas vidas devido a esta doença. Por isso, informação e prevenção são fundamentais na luta para combatê-lo.

O que é o câncer?

É o crescimento desordenado de células que invadem órgãos e tecidos. Essas células doentes podem espalhar-se para outras regiões, o que conhecemos como metástase. Além disso, pode surgir em qualquer parte do corpo. Entretanto, alguns órgãos são mais afetados do que outros; e cada órgão, por sua vez, pode ser acometido por tipos diferenciados de tumor, mais ou menos agressivos.

O câncer é maligno quando o crescimento desordenado dessas células é incontrolável, em grande quantidade e agressivo, o que deixa a pessoa debilitada e, em grande parte dos casos, traz risco de morte a curto, médio ou longo prazo, conforme as condições clínicas e avanço da doença em cada situação.

O câncer é benigno quando essas células desordenadas crescem em apenas um local específico do corpo, de forma devagar, e trazem semelhanças aos tecidos originais. Esse tipo de câncer raramente constitui risco de morte.

O que causa?

O câncer não tem uma causa única. Há diversas causas externas (presentes no meio ambiente) e internas (como hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas). Os fatores podem interagir de diversas formas, dando início ao surgimento do câncer.

Entre 80% e 90% dos casos de câncer estão associados a causas externas. As mudanças provocadas no meio ambiente pelo próprio homem, os hábitos e o estilo de vida podem aumentar o risco de diferentes tipos de câncer.

Existem ainda alguns fatores genéticos que tornam determinadas pessoas mais suscetíveis à ação dos agentes cancerígenos ambientais. Isso parece explicar porque algumas delas desenvolvem câncer e outras não, quando expostas a um mesmo carcinógeno.

O envelhecimento natural do ser humano traz mudanças nas células, que as tornam mais vulneráveis ao processo cancerígeno. Isso, somado ao fato de as células das pessoas idosas terem sido expostas por mais tempo aos diferentes fatores de risco para câncer, explica, em parte, o porquê de o câncer ser mais frequente nessa fase da vida.

Tipos de câncer 

Atualmente, existem mais de 100 tipos de câncer na literatura médica mundial que correspondem aos vários tipos de células presentes no corpo humano. O câncer de pele, por exemplo, tem vários tipos, uma vez que a pele é composta por mais de um tipo de célula.

Os principais e mais comuns tipos de câncer são: Câncer anal, Câncer da bexiga, Câncer de boca, Câncer colorretal, Câncer do colo do útero, Câncer do esôfago, Câncer do estômago, Câncer do fígado, Câncer infantil, Câncer de laringe, Leucemia, Linfoma de Hodgkin, Linfoma não-Hodgkin, Câncer de mama, Câncer do ovário, Câncer de pâncreas, Câncer de pele melanoma, Câncer de pele não melanoma, Câncer do pênis, Câncer de próstata, Câncer do pulmão, Câncer do testículo e Tumores de Ewing.

Se o câncer tiver início em tecidos epiteliais, como a pele ou mucosas, é conhecido como carcinoma. Se começar em tecidos conjuntivos, como ossos, músculos ou cartilagens, é chamado de sarcoma.

Outra característica que diferencia os diversos tipos de câncer existentes são a velocidade de multiplicação das células doentes e a capacidade que elas têm de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes, fenômeno conhecido como metástase.

O diagnóstico precoce 

Detecção precoce é uma forma de prevenção secundária e visa a identificar o câncer em estágios iniciais. Existem duas estratégias de detecção precoce: o diagnóstico precoce e o rastreamento.

O objetivo do diagnóstico precoce é identificar pessoas com sinais e sintomas iniciais da doença, primando pela qualidade e pela garantia da assistência em todas as etapas da linha de cuidado da doença. O diagnóstico precoce, portanto, é uma estratégia que possibilita terapias mais simples e efetivas, ao contribuir para a redução do estágio de apresentação do câncer. Assim, é importante que a população em geral e os profissionais de saúde reconheçam os sinais de alerta dos cânceres mais comuns, passíveis de melhor prognóstico se descobertos no início. A maioria dos cânceres é passível de diagnóstico precoce mediante avaliação e encaminhamento após os primeiros sinais e sintomas.

Já o rastreamento é uma ação dirigida à população sem sintomas da doença, que tem o intuito de identificar o câncer em sua fase pré-clínica. Atualmente, apenas há a indicação de rastreamento aos cânceres de mama e do colo do útero.

Como prevenir?

A prevenção primária engloba ações realizadas para evitar a ocorrência da doença e suas estratégias são voltadas para a redução da exposição aos fatores de risco. Os principais fatores de risco relacionados ao desenvolvimento do câncer são: tabagismo, alimentação, peso corporal, hábitos sexuais, fatores ocupacionais, bebidas alcoólicas, exposição solar, radiações e medicamentos.

Ações que ajudam a prevenir o câncer

1 – Não fume

2 – Alimente-se saudavelmente

3 – Mantenha o peso corporal adequado

4 – Pratique atividades físicas diariamente

5 – Amamente

6 – Mulheres entre 25 e 64 anos devem fazer um exame preventivo ginecológico a cada três anos

7 – Evite a ingestão de bebidas alcoólicas

8 – Evite a exposição ao sol entre 10h e 16h, e use sempre proteção adequada, como chapéu, barraca e protetor solar, inclusive nos lábios

9 – Vacine contra o HPV as meninas de 9 a 14 anos e os meninos de 11 a 14 anos

Câncer em números 

De acordo com o INCA, abaixo uma síntese de alguns tipos de câncer e suas estimativas de incidência 2018/2019, no Brasil.

* Câncer de mama – estimam-se 59.700 casos novos.

* Câncer de próstata – estimam-se 68.220 casos novos.

* Câncer de cólon e reto estimam-se 17.380 casos novos. É o terceiro mais frequente em homens e o segundo entre as mulheres.

* Câncer de pulmão – estimam-se 18.740 casos novos

* Câncer de estômago – estimam-se 13.540 casos novos entre homens e 7.750 nas mulheres. Entre homens, é o quarto mais incidente e o sexto entre as mulheres.

* Câncer do colo do útero – estimam-se 16.370 casos novos, ocupando a terceira posição.

* Câncer de pele – estimam-se 85.170 casos novos. É o mais incidente em ambos os sexos

*Fonte Mistério da Saúde e Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s