Cantora Karinah arrasa em show no Rio de Janeiro

Artista mostra que veio para ficar na apresentação de lançamento da turnê, reservada para convidados, que trouxe um conceito inédito no samba

O promoter Alex Ferrer esteve no Rio para prestigiar a amiga Karinah

O comentário era unânime: “Que carisma, que furacão!”. Não houve quem não se admirasse com a cantora Karinah em seu show de lançamento, no Pier Mauá, Rio de Janeiro, quinta-feira passada (28). A artista não poupou esforços na apresentação de sua nova turnê para a mídia, contratantes e convidados, e trouxe um conceito de espetáculo e performance inovadores para o samba.

Reluzente e carismática, Karinah comandou com segurança uma banda de 13 músicos e recebeu no palco a bênção e o carinho dos amigos e cantores consagrados da nova geração Mumuzinho, Dudu Nobre e Xande de Pilares. “Ela é uma pessoa muito especial, que respira a música com muito amor e passa muita verdade no seu trabalho”, disse Mumuzinho. “Foi inesquecível receber a energia deles. E ainda fizeram uma surpresa pra mim cantando juntos e improvisando no final. Quase me mataram de emoção e de rir”, contou Karinah, logo após o espetáculo, se referindo ao pot-pourri de sambas-de-enredo puxados pelo trio.

Com figurino criado por Michelly X e inspirado nas musas pop internacionais, Karinah soltou a voz e o suingue em temas dançantes e românticos encantando os convidados em quase 2h de apresentação. No repertório, músicas que fazem parte da sua vida. Do atual hit “Medo de Amar” (Maurício Bressan), atualmente o samba mais tocado do Brasil, passando por “Lama nas Ruas” (Zeca Pagodinho, parceria com Almir Guineto), “Te Amo” (Grupo Raça*), “Amor que não Sai” (Ivete Sangalo*), “Primeiro Beijo” (Art Popular) e uma homenagem ao seu mestre Arlindo Cruz, numa interpretação emocionada de “O Bem” e “Será que é Amor?”. “Arlindo é uma pessoa que tenho, além de uma admiração incrível, um amor incondicional, por tudo que ele é e pelo que já fez por mim”, declarou Karinah.

O balé  coreografado por Vicente Ross foi mais um toque especial do espetáculo, ressaltando números importantes como a abertura “Alvoroço” (sucesso de Leny Andrade da década de 70*), as releituras de “Mania de Gostar” (Elis Regina*) e “Num Corpo só” (Maria Rita*); e ainda nas surpreendentes canções pop “Dona de Mim” (Iza*) e “Save The Last Dance For Me” (Michael Bublé*), rearranjadas para o samba por Jota Moraes e Boris Bass, diretor artístico do show, e que arrancaram aplausos efusivos da seleta plateia.

A energia feminina dentro e fora dos palcos é uma forte característica de Karinah. Mirar os holofotes e valorizar a mulher no samba é uma de suas bandeiras. “Eu sei que esse quintal é muito mais dos meninos que das meninas”, disse ela no camarim aos cantores convidados antes da apresentação. “Mas a gente tem muita humildade e precisa muito de vocês. Vamos ajudar as meninas no samba”, pediu. E só recebeu apoios de volta. “Sem dúvida, vamos juntos. Não somos nada sem vocês”, respondeu Dudu Nobre. “Karinah, conte comigo. Você canta demais, é uma pessoa maravilhosa, muitas vitórias em sua caminhada”, desejou Xande de Pilares. Os cantores, inclusive, abrilhantaram ainda mais a festa, dividindo com Karinah seus sucessos no palco, como “O Amor Chegou”, “Fulminante” e “Eu Mereço Ser Feliz” (Mumuzinho), “Quem é Ela?” e “A Grande Família” (Dudu Nobre) e “Coração Radiante” e “Tá Escrito” (Xande de Pilares”).

Karinah não poderia estar melhor neste seu recomeço. A superprodução da noite – show e festa – foi assinada pela equipe da Fanática Entretenimento, comandada pelo empresário Sergio Monza e o produtor executivo Marcelo Vilella. “Quero agradecer aos senhores Luís Cerqueira e Álvaro Gayoso pela amizade rica e sólida e por apoiarem nosso lançamento no Píer Mauá, um dos lugares mais incríveis do Rio de Janeiro”.

Em 2020 ela parte para a estrada e mergulha nos shows e promoção de seus novos trabalhos. Como uma boa filha de Iemanjá, Karinah abraça e atrai todos para perto de si. Sem medo, com o coração cheio de amor e rodeada de boas vibrações, como uma pescadora  que lança sua rede e acolhe os amantes da música para sua beira-mar.

Regravações do show citadas no texto:

“Te Amo”, Grupo Raça, autoria de Délcio Luiz, Paulinho Carvalho e Geraldão.

“Amor que não Sai”, Ivete Sangalo, autoria de Gigi e Dan Kambaiah.

“Primeiro Beijo”, Art Popular, autoria de Leandro Lehart.

“Alvoroço”, Leny Andrade, autoria de Ivor Lancellotti e João de Aquino.

“Mania de Gostar”, de Elis Regina,  autoria de Luis Mauro.

“Num corpo Só”, de Maria Rita, autoria de Arlindo Cruz e Picolé.

“Dona de Mim”, de IZA, autoria de Arthur Marques.

 “Save T.he Last Dance For Me” (Michael Bublé), autoria de Doc Pomus e Mort Shuman

CARREIRA E BIOGRAFIA

Karinah é a mais forte candidata a estrela popular do samba em 2020. Desde o início de 2019, quando retomou sua carreira após dois álbuns lançados e uma pausa para gestação de gêmeos, Karinah vem se dedicando a percorrer o Brasil de norte a sul para divulgar sua música. Foram mais 40 rádios visitadas em 20 cidades, como Manaus, Belém, Brasilia, Recife, Natal, Salvador, Aracaju, BH, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Santa Catarina, entre outras. Tudo para divulgar seu novo momento de carreira e o mais recente EP, “01” (Sony Music), do qual faz parte o novo hit Medo de Amar (Maurício Bressan), além das músicas Você Sabe Bem (Bernardo Neto, Dinho IPK, Fábio Marques) e O Nosso Amor é uma Onda (Cauique, Diogo Leite, Rodrigo Leite, Serginho Meriti). Em 2020 ela lançará os outros 4 EPs deste trabalho com 4 clipes, todos sob produção musical de Boris Bass.

Toda a dedicação tem um objetivo: sedimentar sua carreira, construída com muita verdade e trabalho. “Venho semeando, cultivando e construindo meu caminho aos pouquinhos. É um percurso mais longo, mais difícil, mas muito verdadeiro. Canto com o coração. Meu olhar é nos olhos. Porque o samba é isso, ele é uma reza, ele é verdade”, reforça Karinah, que começou a cantar ainda criança em Curitiba, desenvolveu a carreira no litoral de Santa Catarina e foi ganhando espaço na região Sul do Brasil, partindo depois para o Nordeste e agora Sudeste. “Venho de uma família de mulheres fortes. Minha avó viveu até 108 anos! Foi em casa que aprendi a admirar Clara Nunes, Gal Costa, Alcione, Dona Ivone Lara e Elis Regina. Elas cantavam o dia inteiro. Eu sempre quis ser cantora, mesmo quando não imaginava que poderia ter uma carreira estabelecida como artista”, conta.

É assim, sabendo o que quer e onde quer chegar, que Karinah pede licença. Sempre com muito respeito e carinho, que vêm antes de qualquer desejo. Esta é mais uma característica marcante da artista, que abraça os seus e arregimenta quem está perto, fazendo questão de muita festa e alegria. “Primeiro eu respeito, porque sou de outra geração e temos que nos colocar no lugar. E existe uma forma muito legal de cativar as pessoas: com a humildade. É impossível você não ser bem recebido quando é gentil. Isso vem do meu berço, somos assim e levo isso na carreira”.

E é assim, no miudinho, Karinah se aproximou e conquistou a simpatia, afetividade e benção de grandes nomes do samba, como Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Dona Ivone Lara e Almir Guineto. Dos colegas contemporâneos ela já dividiu o palco e tem amizade com Dudu Nobre, Xande de Pilares, Péricles, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Fundo de Quintal e Mumuzinho. Karinah ainda teve uma incursão muito importante pelo samba baiano, guiada pelo maestro Letieres Leite (Orkestra Rumpilezz) e Carlinhos Brown. “Passei um tempo lá aprendendo sobre o samba, os ritmos, a história. Foi muito bom”.

Nascida em Curitiba e radicada em Santa Catarina desde a infância, Karina tem 38 anos e começou a cantar nos saraus familiares. Depois de estrear em festivais na adolescência, não parou mais, cantando com sua banda, criando shows especiais e participando de espetáculos musicais por todo o Brasil. Em 2010 gravou seu primeiro álbum independente como artista solo, “Karinah”, sob direção musical de Márcio Pimenta; em 2012 apresentou ao público o segundo disco, “Você Merece Samba” (Sony), título de uma composição que ganhou de Carlinhos Brown. Dois anos depois veio “Cheguei pra Ficar”, mais um independente, com direção musical de Isaías Marcelo.

Ao promover estes trabalhos, muitas portas se abriram para a cantora, como a participação nos programas de TV “Som Brasil”, “Esquenta” e “Encontro com Fátima Bernardes”. A cantora ainda gravou dois videoclipes: “Você Merece Samba”, com participação de Carlinhos de Jesus e direção do Jodele Larcher, e “Nunca é tarde”, dirigido por Raoni Carneiro. Conservatória (capital fluminense da Seresta) e uma turnê pela  Europa com shows no Montreux Jazz Festival (Suíça), em Lisboa (Brazilian Day), Porto (Casa da Música) e Londres (St James Theatre e Sheperds Bush Empire, este com Maria Gadú, na casa que já foi palco de grandes estrelas mundiais como Amy Winehouse, Beatles e Elvis). Karinah é uma artista Fanática Entretenimento.

* Texto: Kélita Myra [Fogo no Paiol Music Hub]

* Fotos: Guto Costa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s