Probióticos: o que são, para que servem e como tomar

Os probióticos são bactérias benéficas que vivem no intestino e melhoram a saúde geral do organismo, trazendo benefícios como facilitar a digestão e a absorção de nutrientes, e fortalecer o sistema imunológico.

Quando a flora intestinal está em desequilíbrio, o que acontece após o uso de antibióticos ou quando não se tem uma alimentação saudável e equilibrada, o intestino acaba sendo povoado por bactérias ruins, que não ajudam o sistema imunológico e deixam o organismo susceptível a doenças.

Para que servem os probióticos

Os principais benefícios dos probióticos incluem:

  1. Combater e prevenir doenças intestinais como colite, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn e inflamação intestinal;
  2. Combater doenças como câncer, candidíase, hemorroidas e infecção urinária.
  3. Melhorar a digestão e combater a azia;
  4. Combater a prisão de ventre e a diarreia, regulando o trânsito intestinal;
  5. Aumentar a absorção de nutrientes, como vitamina B, cálcio e ferro;
  6. Fortalecer o sistema imunológico, por aumentar a produção de células de defesa chamadas macrófagos;
  7. Impedir a proliferação de bactérias ruins no intestino;
  8. Ajudar a digerir a lactose, especialmente em pessoas com intolerância à lactose;
  9. Prevenir problemas como obesidade, colesterol alto e hipertensão;
  10. Prevenir alergias e intolerâncias alimentares;
  11. Ajudar a melhorar o humor, uma vez que foi identificada uma relação direta entre o equilíbrio da flora intestinal com uma diminuição de doenças como a depressão e a ansiedade;
  12. Ajudar no tratamento do autismo, isso porque alguns estudos indicaram que o uso de probióticos pode ter impacto não são a nível gastrointestinal, mas também a nível comportamental, melhorando a habilidade de concentração e escuta.

Uma flora intestinal saudável e rica em probióticos começa a ser formada desde o nascimento, especialmente quando o bebê nasce por parto normal e quando é amamentado com exclusividade durante o início da vida.

Como tomar probióticos

Existem duas formas principais de ingerir probióticos: a primeira é feita através do aumento do consumo de alimentos com probióticos naturais, como o iogurte ou o kefir, por exemplo, e a outra é através do uso de suplementos com probióticos.

1. Alimentos probióticos

Alguns alimentos são ricos em probióticos naturais. Alguns exemples desses alimentos incluem:

  • Iogurte natural: são a principal e mais fácil fonte de probióticos no mercado, mas também existem versões de iogurtes com sabor que mantém as bactérias benéficas vivas;
  • Kefir: é um produto fermentado com levedura e bactérias que fica semelhante ao iogurte, mas possui um teor mais elevado de probióticos. Veja mais sobre o kefir;
  • Leite fermentado: são produtos especiais que geralmente contêm Lactobacillus adicionados pela indústria, sendo o Yakult o mais famoso;
  • Kombucha: uma bebida fermentada feita principalmente a partir do chá preto;
  • Produtos orientais à base de soja, legumes e verduras, como Miso, Natto, Kimchi e Tempeh, que podem ser comprados em lojas especializadas;
  • Chucrute: é feito a partir da fermentação das folhas frescas do repolho ou da couve;
  • Picles: para fazer esse alimento, os pepinos são colocados em água e sal, deixando fermentar por um tempo;
  • Levedura natural: é um cultivo composto por leveduras e bactérias que são naturalmente encontradas no ambiente, e que pode ser utilizado na preparação de diversos produtos, como pães, tortas e bolos.

Além desses alimentos, alguns queijos também podem possuir cultivos vivos de microrganismos com propriedades probióticas, sendo importante ler a etiqueta nutricional para confirmar a presença das bactérias.

Para manter a flora saudável, aconselha-se o consumo de pelo menos 1 alimento fonte de probióticos por dia, especialmente durante e após o uso de antibióticos, que acabam destruindo a flora intestinal saudável também.

2. Suplementos de Probióticos

Além dos alimentos, os probióticos também podem ser consumidos na forma de suplementos em cápsulas, líquidos ou sachês, que devem ser diluídos em água ou sucos naturais para serem consumidos. Alguns exemplos são o PB8, Simfort, Simcaps, Kefir Real e Floratil, e podem ser encontrados em farmácias e lojas de produtos nutricionais.

Existem vários tipos de suplementos, que incluem entre 1 até 10 tipos diferentes de probióticos. O mais importantes normalmente são:

  • Bifidobacteria animalis: ajuda a fortalecer o sistema imune, além de ajudar na digestão e no combate a bactérias transmitidas por comida contaminada;
  • Bifidobacteria bifidum: estão presentes no intestino delgado e grosso, ajudando na digestão dos lacticínios;
  • Bifidobacteria breve: estão presentes no intestino e no trato vaginal e ajudam a combater infecções por bactérias e fungos;
  • Bifidobacteria longum: é um dos tipos de probióticos mais comuns no intestino e ajuda a eliminar toxinas do organismo;
  • Lactobacillus acidophilus: é talvez o tipo mais importante que ajuda na absorção de vários nutrientes, além de combater infecções e facilitar a digestão. Os L. acidophilus também estão presentes na vagina, ajudando a combater infecções;
  • Lactobacillus reuteri: estão presentes especialmente na boca, estômago e intestino delgado, sendo importantes contra a infecção por H. pylori;
  • Lactobacillus rhamnosus: estão presentes no intestino e podem ajudar a combater rapidamente casos de diarreia, especialmente quando se viaja para outros países. Também pode ajudar a tratar a acne, eczema e a infecção por Candida sp.;
  • Lactobacillus fermentum: ajudam a neutralizar produtos e toxinas liberadas durante a digestão, melhorando o ambiente para o crescimento da flora intestinal;
  • Saccharomyces boulardii: ajuda a tratar a diarreia causada por antibióticos ou a diarreia do viajante.

Quanto maior a diversidade de probióticos, assim como o número de bactérias dentro de cada comprimido, melhor será o suplemento, pois facilitará o desenvolvimento mais rápido de uma flora intestinal saudável.

Como consumir: o recomendado é que o suplemento tenha entre 2 e 10 bilhões de bactérias ativas, sendo importante ler a etiqueta nutricional do produto, que deve indicar a quantidade de microrganismo por dose e qual a bactéria, isso porque é importante escolher a que seja melhor de acordo com a situação que deve ser tratada.

É recomendado fazer uso do suplemento durante 4 semanas e no caso de não haver melhora durante esse período, o ideal é experimentar outro suplemento. Os probióticos devem ser ingeridos antes ou logo após uma refeição, para que os alimentos ajudem as bactérias a sobreviver ao ácido gástrico e a chegar até ao intestino, onde podem se multiplicar mais facilmente.

É importante lembrar que o consumo de probióticos na forma de suplementos ou de alimentos ricos nessas bactérias, também é importante manter uma alimentação saudável ricas em fibras, pois as fibras são os principais alimentos para os probióticos, favorecendo sua sobrevivência no intestino.

Diferença entre Prebiótico e Probiótico

Enquanto os probióticos são bactérias saudáveis que povoam o intestino, os prebióticos são fibras que servem de alimentos para os probióticos e que favorecem a sua sobrevivência e proliferação no intestino.

Alguns exemplos de prebióticos naturais são aveia, cebola, alho, banana verde e biomassa de banana verde, por exemplo.

Por

Tatiana Zanin NUTRICIONISTA / Tua Saúde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s