NOVEMBRO AZUL

Campanha reforça a importância da prevenção de doenças e os cuidados com a saúde do homem.

O movimento Novembro Azul com origem em 2003, na Austrália, e em 2011 no Brasil lançada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, surgiu com o objetivo de chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças que atingem a população masculina. 

Entre estes cuidados, destaque para o combate ao câncer de próstata. Este tipo câncer é o mais comum entre os homens, além de ser a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. Segundo dados Instituto Nacional do Câncer (Inca), no Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata. Segundo dados do Instituto Lado a Lado pela Vida, anualmente, o Brasil registra cerca de 15 mil morte causadas pelo câncer de próstata. 

Entendendo melhor a doença

O que é a próstata?

É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Característica do tumor

Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A maioria, porém, cresce de forma tão lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³) que não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.

Quais os sintomas? 

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Confira os sintomas que são suspeitos e merecem uma consulta ao médico:

• Sensação de que sua bexiga não se esvaziou completamente e ainda persiste a vontade de urinar;

• Dificuldade de iniciar a passagem da urina;

•Problemas para interromper o ato de urinar;

• Urinar em gotas ou jatos sucessivos;

•Necessidade de fazer força para manter o jato de urina;

• Vontade incontrolável de urinar mesmo quando a bexiga não está cheia;

• Sensação de dor na parte baixa das costas ou na pélvis (abaixo dos testículos);

• Problemas em conseguir ou manter a ereção;

• Sangue na urina ou no esperma (esses são casos muito raros);

• Dor durante a passagem da urina ou nos testículos;

• Ejaculação dolorida;

• Dor lombar, na bacia ou nos joelhos;

• Sangramento pela uretra.

Fatores de risco

• Histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;

• Raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;

• Obesidade.

Prevenção e tratamento

A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença intervindo se houver progressão da mesma.

Algumas dicas de como se preparar para conversar com o seu médico

• Escreva todos os sintomas que está sentindo, mesmo que não pareça estar associado à razão principal da consulta médica.

• Caso não sinta absolutamente nada, mas esteja na faixa etária dos 50 anos, não deixe de fazer a consulta. Ela é importante para que você faça os exames preventivos.

• Faça uma lista das medicações que você usa, incluindo vitaminas ou suplementos alimentares.

• Convide um amigo ou parente próximo para ir com você ao médico. Isso será importante para ajudá-lo a lembrar de tudo o que for discutido.

• Se tiver resultados de exames feitos recentemente, leve-os. Podem ser uma referência importante na hora de o médico levantar o seu histórico.

• Avise o médico se houver pessoas na sua família que tiveram câncer de próstata. Menos de 10% dos cânceres de próstata têm algum componente hereditário.

*fontes: Ministério da Saúde | Instituto Lado a Lado pela Vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s