VOCÊ SABE O QUE É O PARTO HUMANIZADO?

AMOR, RESPEITO, PROTAGONISMO FEMININO, EMPATIA… Estas foram palavras que surgiram quando perguntei a algumas pacientes o que, para elas, era um PARTO HUMANIZADO. E elas não poderiam ter definido de forma melhor!

Humanizar é fornecer as melhores condições à mulher, INDEPENDENTE DA VIA DE PARTO, para que traga seu filho ao mundo com respeito, conforto e segurança. A humanização busca devolver o papel de protagonista à mulher, empoderando e dando conhecimento, para que ela decida de que forma quer trazer seu bem mais precioso ao mundo.

Se engana quem pensa que para um nascimento ser humanizado ele precisa ser natural, em casa ou na banheira. Para ser humanizado ele deve ser RESPEITOSO. Sempre que possível, estes sete pontos que listei a seguir, devem estar presentes.

1- Equipe de assistência humanizada e praticante da medicina baseada em evidências, que acolhe, encoraja e transmite segurança a gestante. Deve haver comunicação e todas as intervenções que se fizerem necessárias devem passar por aprovação da gestante.

2- “O bebê escolhe seu momento de nascer”. Salvo situações em que o parto precisa ser agendado, ou por desejo absoluto da gestante, procuramos aguardar o início do trabalho de parto, sinal de que o bebê está pronto para nascer.

3- “Ambiente humanizado”. Buscamos tornar o ambiente do nascimento o mais acolhedor possível, com controle da temperatura e luminosidade, música ambiente e aromaterapia. Além disso, a gestante deve ter ao seu lado, durante todo o tempo, um acompanhante da sua escolha, alguém que lhe apoie e transmita segurança.

4- “Liberdade durante o trabalho de parto”. A gestante é livre para alimentar-se e movimentar-se durante todo o trabalho de parto. Encorajamos o trabalho de parto ativo e verticalizado e estratégias como bola de pilates, banho quente e banheira também podem ajudar.

5- “A posição de parir é escolha da mulher”. No momento do nascimento, a força é feita como e quando a gestante desejar. O parto deve ser na posição que lhe for mais confortável, seja de cócoras, no banquinho, deitada…

6- “Clampeamento tardio do cordão umbilical”. O clampeamento do cordão umbilical deve ocorrer apenas após a parada da sua pulsação, permitindo um maior fluxo de sangue para o bebê, prevenindo assim a anemia no recém-nascido.

7- “Golden Hour ou Hora dourada”. Logo após o nascimento, o recém-nascido deve ser colocado imediatamente em contato pele a pele com a mãe e estimulado a mamar. A hora dourada favorece o vínculo entre a mãe e o bebê, estimula o aleitamento materno e diminui as chances de depressão pós-parto. Além disso, estar em contato com o calor e segurança do colo materno deixa o bebê mais tranquilo e diminui os efeitos traumáticos da transição do ambiente intra para o extrauterino.

Se você, querida mulher, está grávida ou programando engravidar, uma dica que te dou, empodere-se, busque conhecimento e cerque-se de pessoas que possam te apoiar nesta jornada, com empatia e segurança. “Para mudar o mundo é preciso mudar a forma de nascer”.

FOTOS: Arquivo|dra.Fabiana Zarske |

FOTOS: Bruna Costa

FOTOS: Thamires Pessoa


Fabiana Zarske de Mello

CRM 19.493 | RQE 14.867

Ginecologia e Obstetrícia

Clínica Digest Care

Av. Coronel Marcos Konder, 1207 – Sala 60 | Embraed Centro Empresarial | Itajaí- SC

📱 (47) 3246-1500 | 9 9689-0035

@fabianazarske.gineco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s