QUEM CUIDA DO CUIDADOR?

COM A PALAVRA, A ESPECIALISTA DRA. LETICIA PORCIUNCULA

Dra. Letícia Porciuncula | FOTO: @marciojrph

A tarefa de cuidar de um familiar doente ou com limitações gera para o(a) cuidador(a) estresse físico e, muitas vezes, mental. Desta forma, em qual momento o(a) cuidador(a) deve procurar ajuda para cuidar de si?

O autocuidado não se refere somente àquilo que a pessoa a ser cuidada pode fazer por si. Refere-se também aos cuidados que o cuidador deve ter consigo com a finalidade de preservar a sua saúde e melhorar a qualidade de vida.

Tão importante quanto cuidar das necessidades do familiar ou paciente é cuidar das próprias necessidades e da sua saúde mental e física.

O que pode vir a acontecer se a pessoa negligenciar cuidados a si mesma?

As alterações no corpo e na saúde, após o início das atividades como cuidador, variam entre as físicas, como aparecimento de dores no corpo, como dor de cabeça, dor abdominal e dores musculares, e alterações psicológicas e sentimentais como estresse, depressão, angústia e aumentos das preocupações.

Dessa forma, alguns elementos importantes que identificam a síndrome do cuidador devem ver abordadas:

🅾 esgotamento físico ou psíquico, também chamado exaustão emocional;

🅾 despersonalização, entendida como desinteresse pelos pacientes;

🅾 sentimento de irrealização pessoal com atitude negativa face a si mesmo, desânimo e retraimento.

Quem o(a) cuidador(a) deve procurar?

Sempre que possível ou quando identificar algum sintoma de sofrimento físico ou psíquico, é importante que o cuidador procure ajuda. Vou citar alguns profissionais que poderão ajudar nesse cuidado: médico de família, psiquiatra, psicólogo, educador físico, fisioterapeuta e massoterapeuta.

Além desses profissionais, a influência da espiritualidade na qualidade de vida pode trazer benefícios para a saúde e para o bem-estar, melhorando a qualidade de vida, diminuindo a ansiedade, a depressão e o estresse. É uma importante aliada da saúde mental e, consequentemente, da saúde física.

Dra. dê algumas dicas do que o(a) cuidador(a) pode fazer no dia a dia para ajudar a aliviar o estresse físico e mental que esse compromisso em cuidar de alguém gera.

O autocuidado precisa ser uma prática diária, mesmo que quase impossível em meio a tanta dúvida e medo que estamos vivendo. Contudo, gostaria de destacar que algumas ações são subjetivas a cada pessoa e mesmo que possam parecer atividades ínfimas, esse é o momento em que você dedica somente para si.

1 Não se sinta egoísta por querer ter seu tempo pra assistir a uma série, tomar um banho demorado, sair sozinho ou ter um momento de silêncio só seu. Os cuidados com uma pessoa são importantes, mas coloque-se em primeiro lugar. Para estar apto a cuidar dela, é preciso tomar conta de você mesmo.

2 Faça exercício físico. Tenha esse momento duas a três vezes na semana.

3 Cuide da alimentação. Ter rotina nos horários das refeições, fazendo pelo menos três refeições balanceadas por dia.

4 Durma bem, de 6 a 8 horas contínuas por noite.

5 Não centralize o cuidado. Saiba dividir, quando possível, as responsabilidades com o cuidado do paciente.


Dra. Letícia Porciuncula

📱 (47) 9 9944-1380

domiciliarsc@gmail.com

atendimentodomiciliarsc.com.br

@domiciliarsc

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s