PREVENÇÃO DO DECLÍNIO COGNITIVO

Há maiores evidências nos exercícios físicos e cerebrais do que com drogas.

PARTE 01

Com o envelhecimento populacional, as taxas de demência só vão subir, mas os profissionais da saúde estão dedicados para inverter a realidade atual de que se têm poucas estratégias eficazes para lidar com os piores sintomas.

O prejuízo cognitivo leve, no qual os idosos apresentam lapsos na memória e outras funções mentais que não são graves o suficiente para prejudicar suas atividades diárias, afeta cerca de 10% a 20% daqueles com mais de 70 anos. A cada ano, cerca de 10% dessas pessoas progredirão para desenvolver demência, uma forma mais grave de comprometimento que pode afetar drasticamente sua independência e capacidade de funcionamento. Mas, apesar da proporção crescente da população que pode ser afetada por essas condições, uma análise publicada no Canadian Medical Association Journal descobriu que há poucas opções eficazes para tratar a doença.

Os pesquisadores revisaram 32 ensaios controlados randomizados, nos quais os pacientes foram aleatoriamente designados para uma intervenção, como drogas para controlar o declínio cognitivo, remédios à base de plantas, atividade física ou exercícios mentais, incluindo palavras cruzadas; ou deixado para continuar vivendo suas vidas sem qualquer mudança. Comparando os vários métodos de tratamento do declínio cognitivo, os cientistas esperavam chegar a algum ranking de quão eficazes eram as várias intervenções.

Eles não encontraram evidências fortes para apoiar medicamentos como o donepezil, um inibidor de colinestração projetado para ajudar os químicos cerebrais a manter os circuitos neurais envolvidos na cognição ativos. Estudos há muito sugerem que tais medicamentos prescritos são apenas minimamente eficazes para evitar os sintomas de demência, mas com tão poucos medicamentos para tratar a demência disponível, muitos médicos continuam a prescrever os medicamentos, pois podem ajudar alguns pacientes a melhorar a memória.

Também houve poucas evidências que sustentam a eficácia de remédios naturais como o suplemento de ervas ginkgo, o hormônio dehidroepiandrosterona (DHEA), ou ácidos graxos vitamina B e ômega-3. A maioria dos estudos descobriu que esses nutracêuticos tiveram pouco ou nenhum efeito na melhoria dos escores em testes de memória ou outras avaliações de funções cognitivas.

Estudos que investigam o papel da terapia de estrogênio e testosterona mostraram que as terapias hormonais podem realmente aumentar o risco de declínio cognitivo; entre mais de 10.000 mulheres, aquelas que tomam terapia de estrogênio aumentaram o risco de demência após cinco anos em 80% em comparação com as mulheres que não tomam o hormônio, e estudos de homens que tomam testosterona sugeriram que o hormônio poderia dificultar a memória de curto prazo.

Como estudos recentes sugeriram que a atividade física poderia melhorar a função cognitiva em idosos, os pesquisadores também avaliaram ensaios que incluíam treinamento de resistência e equilíbrio, bem como atividades aeróbias e descobriram que o treinamento de resistência melhorou a memória de curto e longo prazo de alguns participantes, enquanto atividades aeróbias ajudaram algumas funções executivas, como planejamento e organização, mas não memória. No geral, os pesquisadores escrevem: “Há algumas evidências de que o exercício físico pode ter um benefício positivo, e dado seus inúmeros outros benefícios médicos, ele deve ser incentivado com todos os pacientes.”

*Fonte: https://healthland.time.com/2013/04/15/mental-exercises-are-most-successful-at-preventing-cognitive-decline/


Top Physical

Raphael Mello Block | Profissional de Educação Física | CREF – 4547/SC

Rua Lauro Muller, 863 | Fazenda | Itajaí -SC

📱 (47) 3348-5454 | 📱 (47) 9 8817-9357

http://www.topphysical.com.br

@tpsaudefisica                                                                                                                     

@raphael.saude

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s