DRA. ESTOU GRÁVIDA, NÃO POSSO TOMAR NEM UM GOLINHO DE ÁLCOOL?

Basta o esperado teste de gravidez positivar que as dúvidas começam a surgir… é um tal de “será que pode ou não pode?” sem fim, não é mesmo? Essa insegurança é compreensível, pois, quando gestantes, não estamos mais sós; há um bebê em desenvolvimento, que deve ser protegido e levado em consideração quando falamos de escolhas, seja nos hábitos de vida, alimentares, uso de produtos, procedimentos, atividades…

“Dra. Estou grávida, não posso tomar nem um golinho de álcool?” Já perdi a conta de quantas vezes ouvi esta pergunta em meu consultório e a trago aqui, pois este assunto não deve gerar dúvidas a nenhuma gestante. Não, nenhuma quantidade de álcool é segura durante a gestação. Até o presente momento, nenhum estudo conseguiu definir se há uma quantidade segura de álcool a ser ingerida na gestação, portanto, não pode!

O álcool atravessa facilmente a barreira placentária e atinge o feto, podendo causar diversas consequências, sendo considerado uma substância teratogênica. Como o fígado do bebê ainda não está preparado para metabolizar essa substância, seu corpo fica exposto mais tempo à mesma quantidade de álcool que circula no organismo materno. Os efeitos da exposição ao álcool são irreversíveis e podem variar de acordo com o tempo de exposição, a idade gestacional e o padrão de consumo.

A exposição no primeiro trimestre está mais associada a anomalias faciais e malformações congênitas; o uso no segundo trimestre aumenta o risco de aborto espontâneo e no terceiro trimestre está mais associado a alterações no crescimento, desenvolvimento neuropsicomotor e comportamental.

A síndrome alcoólica fetal (SAF) é a forma mais grave do espectro de transtornos relacionados ao consumo do álcool. Dentre suas alterações destaco: a microcefalia, dismorfias faciais típicas como olhos pequenos, lábio superior fino, fácies plana e fissuras palpebrais, deformidades nas articulações, cardíacas, renais e ósseas, dificuldade na visão e audição.

Além disso, na infância e vida adulta pode haver retardo de crescimento, distúrbios de aprendizagem, comprometimento da memória e atenção, dificuldades socioemocionais e comportamentais, sendo a bebida alcoólica considerada uma das causas genéticas mais frequentes de deficiência intelectual.

E as bebidas supostamente zero álcool (cerveja ou espumante 0% álcool) são permitidas? Olha, muita calma nessa hora! Mesmo os produtos rotulados como sendo 0% álcool podem conter traços dele, portanto não há segurança em sua libração, é preciso cautela.


Dra. Fabiana Zarske de Mello | CRM 19.493 | RQE 14.867

Ginecologia e Obstetrícia

Clínica Digest Care

Av. Coronel Marcos Konder, 1207 – Sala 60 | Embraed Centro Empresarial | Itajaí- SC

📱 (47) 3246-1500 | 9 9689-0035

@fabianazarske.gineco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s