CUIDADOS DE FERIDAS NO ATENDIMENTO DOMICILIAR

ENFERMEIRA FERNANDA EXPLICA TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER.

Enfermeira Fernanda de Oliveira Pereira | Foto @marciojrph

O que são feridas?

Ferida de pele, por definição, é qualquer situação cuja integridade cutânea ou mucosa seja prejudicada por traumas como acidentes, cirurgias ou por uma doença.

As lesões de pele podem ser de fácil cicatrização ou ainda exigirem tratamentos mais complexos. Alguns tipos de feridas resultam do desequilíbrio da saúde e muitas vezes se tornam feridas crônicas, dificultando a locomoção e outras atividades básicas do dia a dia. Além disso, a ruptura da pele deixa o organismo suscetível à ação de microrganismos e outros fatores de risco que podem causar infecções. As feridas trazem consequências na qualidade de vida dos pacientes, alteram a imagem corporal, causam déficit no autocuidado, geram dor e desconforto, podendo até acarretar uma depressão no paciente que deixa de praticar suas atividades diárias.

O tratamento deve ser acompanhado por um profissional capacitado que vai elaborar um plano, levando em consideração o indivíduo e o seu tipo de ferida.

Qual a importância do atendimento domiciliar no tratamento das feridas?

Por meio do atendimento humanizado é possível proporcionar uma melhor forma de cuidado e alcançar mais resultados nos tratamentos. Na maioria das vezes, ao buscar uma instituição de saúde, o paciente encontra-se fragilizado e inseguro.

Desse modo, o atendimento em domicílio, considerando toda a integralidade do cuidado, associado à qualidade técnica do tratamento e do relacionamento desenvolvido entre paciente, a família e os profissionais, faz toda a diferença.

Além disso, o atendimento domiciliar proporciona maior segurança e melhor adesão ao tratamento, pois o paciente está dentro de sua rotina, em contato com a família, amigos e próximo de seus hábitos e preferências. Tudo isso auxilia na recuperação e na qualidade de vida, levando, além de um conforto a mais à família, tranquilidade para o paciente.

Como é feito o atendimento?

A primeira consulta tem o caráter de avaliar o paciente de maneira integral (condições de saúde, hábitos de vida, rede familiar ou de apoio) com a finalidade de elaborar um plano de tratamento, baseando-se também no tipo de ferida. A primeira coisa a fazer antes da escolha da cobertura é avaliar a ferida. Após isso e dentro do plano de tratamento é que se dará início aos cuidados. Essa avaliação é de extrema importância, pois há curativos que precisam de troca mais constante e outros que necessitam de uma pausa maior entre uma troca e outra.

Por isso é sempre necessária a avaliação constante do profissional de saúde capacitado no tratamento de feridas; somente ele pode fazer a escolha da cobertura, após avaliar individualmente o paciente.

Há diferença entre tratar feridas e fazer curativos? Quais seriam estas diferenças?

O curativo compreende todo o processo de limpeza, desbridamento e também a seleção da cobertura e/ou tratamento tópico do local. É nesse momento que o profissional vai escolher o melhor tratamento, podendo ser:

Abertos: são os que mantêm a ferida exposta.

Oclusivos secos: são os fechados com gaze ou compressa, com a intenção de proteger a ferida.

Oclusivos úmidos: a ferida é fechada com gaze ou com compressa umedecida com soro fisiológico, cremes, pomadas ou soluções prescritas.

Oclusivos compressivos: depois de feitos os cuidados no leito da lesão, é mantida a compressão por meio de bandagens ou cintas elásticas sobre a ferida. Usados em casos de hemorragia e eviscerações, por exemplo.

E as coberturas envolvem todo material, substância ou produto que se aplica sobre a ferida. A escolha é feita pelo profissional enquanto ele faz o curativo. A cobertura faz uma barreira física capaz de, pelo menos, cobrir e proteger, e ajudar na cicatrização da ferida.

Tratar da ferida vai além de realizar somente um curativo. Implica pensar e avaliar de maneira integral o paciente, levando em consideração comorbidades associadas, estilo de vida e poder econômico, ser claro na orientação ao paciente e familiares, evitar gastos excessivos com curativos que são mal utilizados ou mal indicados, adotar medidas preventivas e sensibilizar a família quanto à importância de prevenção e do uso consciente de materiais disponíveis.

Com medidas eficientes é possível evitar ao paciente o sofrimento físico e/ou psíquico que uma ferida pode trazer. Essas medidas proporcionarão um tratamento eficaz, mais rápido e mais humanizado a esses pacientes.


Fernanda de Oliveira Pereira
Enfermeira de Família e consultora em amamentação
Coren SC: 372548.
Contato: (47) 9 9944-1380
http://www.atendimentodomiciliarsc.com.br
@domiciliarsc

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s