Os benefícios do Pilates na adolescência

É fato que a adolescência é um período difícil, repleto de transformações físicas e emocionais. Isso sem mencionar que nesta fase também eles passam muitas horas sentados e sem muita atenção para a postura correta, seja na escola ou em frente à TV, videogames, celulares e tablets. E tudo isso, já é motivo suficiente de preocupação com a postura e desenvolvimento desses jovens. E isso porque, além do natural crescimento acelerado do corpo, que gera desequilíbrios musculares, os jovens também são mais suscetíveis às situações de risco.

Mas, com hábitos saudáveis e, é claro, a prática do Pilates, esse período crítico pode de ser amenizado e revertido em inúmeros benefícios. O Pilates oferece inúmeras atividades de forma dinâmica que, a cada aula, contribuem para o ganho de autoconfiança. O corpo se torna forte, elegante e bonito, o que influencia na autoestima, tão importante nessa etapa da vida. Além disso, em pouco tempo, o jovem adquire forte consciência corporal que permitem o adolescente a identificar e corrigir naturalmente seus erros diários. Com isso, se tornam mais preparados para os desafios da idade. É válido ressaltar que quanto mais cedo trabalhar a prevenção ou correção postural e fortalecimento da musculatura, menores serão as chances desses jovens desenvolverem, por exemplo, problemas na coluna e maior será sua qualidade de vida.

Por

Cristina Muhlbrandt Keller

Educadora física

Especialista em pilates e em método hipopressivo

Studio Top Pilates

http://www.toppilates.com.br | 47 3045-2444 |   98861-5024

Av. 7 de Setembro, 1005 – Fazenda – Itajaí 

 

 

Feijão sem arroz

Dez entre dez brasileiros preferem feijão … Esse é o início da música “Preto Maravilha “, das Frenéticas e que foi o tema de abertura da novela “Feijão Maravilha, exibida pela Globo em 1979. Dez entre dez é exagero, mas com certeza o feijão é ingrediente quase indispensável na mesa do brasileiro e curiosamente, o preto maravilha, ingrediente básico da nossa feijoada longe de ser uma unanimidade é uma exceção. Apenas nos estados do Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do sul ele é consumido cotidianamente. Nos demais estados a preferência recai por outros tipos notadamente o carioquinha, além disso no Brasil o feijão está associado diretamente ao arroz. O verdadeiro prato nacional não é a feijoada e sim feijão com arroz. Mas e feijão sem arroz? Pode soar estranho para muitos, mas o feijão é tão versátil que se presta a inúmeras receitas onde o arroz é absolutamente desnecessário ou simplesmente não faz parte. Acha que não? Então vamos a algumas delas:

Quem não conhece a salada de feijão fradinho com bacalhau que muitas vezes vira prato principal? O acarajé que é feito com massa de feijão fradinho e recheado com vatapá, embora seja de origem africana e não baiana é muitíssimo apreciado em todo o Brasil. Na Itália a salada de Pulpo com fagiolli, feita com feijão branco é muito apreciada e muitos restaurantes aqui no Brasil também a servem. Os atletas de prova de resistência gostam muito e as nutricionistas recomendam uma salada de vários tipos de feijão. O tutu de feijão e o feijão tropeiro que em Minas Gerais é feito com feijão carioquinha. A dobradinha feita com feijão branco, tripas e carne de porco. Temos também com feijão branco, a feijoada de frutos do mar tão apreciada por muitos e o Cassoulet, a feijoada francesa que é feita com feijão branco, pato, carne de porco e gratinada com farinha de rosca.

Em todas essas preparações o arroz é absolutamente desnecessário! Na feijoada brasileira mais importante que o arroz é a farinha e a couve, sem falar no torresmo que deve ser sempre bem crocante. Porém, antes de deixar algumas receitas faz-se mister algumas dicas: todo e qualquer feijão tem de ser catado e lavado antes; tanto o feijão branco como o preto necessitam ser deixados de molho. No caso do feijão preto não troque a água do molho ou o caldo ficará cinza. O feijão vermelho por ser muito macio não precisa ficar de molho. Sei que muitas donas de casa por economia de tempo e gás gostam de usar panela de pressão. De fato, o tempo de cozimento é praticamente a metade. Porém, o cozimento lento faz com que o feijão fique mais saboroso, pois pega melhor o gosto das carnes que utiliza e diminui o efeito “artilheiro” do feijão do qual falaremos a seguir. Já o feijão vermelho não precisa de panela de pressão. Todos sabem o que é esse efeito e ele ocorre porque o feijão contém muitos carboidratos que não são bem absorvidos pelo estômago. Esse efeito pode ser minorado das seguintes formas: consumir apenas o caldo, mastigar bem o feijão para facilitar a digestão ou colocar uma colher de sobremesa, rasa, de bicarbonato de sódio por quilo de feijão. Se for cozinhar o feijão com carne seca e/ou embutidos dessalgar bem e provar antes de temperar. As vezes nem precisa. Sabe aquela feijoada que sobrou e você quer guardar, pois: guarde o feijão separado das carnes. Com o tempo o sal apura e daí não tem jeito. Ou você cozinha umas batatas inteiras – o feijão vai cozinhar demais – ou põe mais água e aí vai mudar completamente o sabor. Se durante o preparo você perceber que está salgado, coloque pedaços grandes de abóbora e folhas de couve.

Finalmente o que beber com o feijão: como praticamente TODAS as receitas levam um pouco de gordura eu arrisco um bom rosé. Leves e refrescantes eles não vão pesar tanto na sua cabeça e ao mesmo tempo dar elegância a refeição. Desta vez não vou deixar nenhuma receita. Sei que você é uma cozinheira(o) de mão cheia. Portanto, um brinde ao feijão.

Por

Renato Justo

Chef de Cozinha

Balneário Camboriú recebe 2º Congresso Brasileiro de Autoconhecimento

Programação compartilhará conhecimento inspirador para questões pessoais e profissionais

O andamento da vida moderna aliado à quantidade de informação, às obrigações com a família e amigos e à necessidade de uma carreira profissional em ascensão, são fatores que podem levar à estafa mental e física. Neste sentido, se autoconhecer é uma maneira saudável de garantir uma sobrevida em harmonia com a felicidade e com o bem-estar.

Para recuperar o caminho para o equilíbrio e recuperar a autoestima, Balneário Camboriú sediará o 2º Congresso Brasileiro de Autoconhecimento (Vida!), cujo propósito é compartilhar caminhos para a evolução do ser, com significado, conectando todas as áreas dessa grande roda que é a vida. O evento será realizado nos dias 3 e 4 de agosto, no Clube Ariribá, com a expectativa de um público de mil pessoas.

A exemplo do ano passado, a programação chega com o objetivo de mudar vidas. Com temas pessoais e outros para incrementar a carreira, esta segunda edição está apostando no público corporativo. A idealizadora Samira Rocha comenta que entender nuances da área profissional é um passo importante para identificar a necessidade de equilíbrio também na vida pessoal.

“Além disso, colaboradores felizes vendem 37% mais produtos e serviços; produzem em média 31% mais e são três vezes mais criativos”, destaca a idealizadora do Vida! Ela reforça ainda que no âmbito profissional, as equipes poderão aprimorar o autoconhecimento através de palestras instigantes e reflexivas, expandir fronteiras de relacionamento, conhecendo e firmando novas parcerias e estar em contato com 15 facilitadores inspiradores.

Cultura Organizacional do Vale do Silício será discutida no Vida

O público corporativo como líderes, diretores e gestores de RH terão uma conexão interessante nesta edição do Congresso Vida! Parte do conteúdo está voltada para estes profissionais com a apresentação das técnicas e orientações utilizadas em grandes empresas do porte de Google, Nubank, Microsoft, Trivago e Netflix, conectando bem-estar e felicidade dos colaboradores dentro das empresas. Por isso, a organização trará autoridades como o Helder Kamei, presidente da Associação de Psicologia Positiva da América Latina, Sven Frölich, alemão que já mora no Brasil há alguns anos e atua como treinador internacional de Comunicação Não-Violenta, Comunicação Intercultural e Mediação e que já atendeu a associação humanitária alemã “Internationaler Bund”, o exército alemão e o governo da Bavária, além de atuar no Brasil com diversas instituições.

Outro nome que estará presente no Congresso é Fernando Rocha, que esteve à frente do programa Bem-Estar, na Rede Globo, por vários anos. Com toda a experiência vivenciada, o jornalista passou por muitas mudanças pessoais e desenvolveu a palestra Metas e Desafios, onde  aborda qual os desafios que as pessoas enfrentam para conseguir transformar em realidade tudo o que foi planejado.

Eduardo Maróstica também estará presente no evento e comandará o tema Mudança de Mindset. Professor do MBA de Empreendedorismo e Novos Negócios na Fundação Getúlio Vargas, Eduardo fala sobre como nossas crenças nos bloqueiam e como é importante uma mudança de mindset.

E não para por aí, Allan Dias Castro e Tiago Corrêa falarão sobre autoconfiança. Isabel Otto, abordará o tema Espiritualidade, Laura Packer, falará sobre Nutrição Inteligente, Lucia Helena com Leis Herméticas, Mariane Nicoloso que trará o tema Carreira com Propósito, Nila Costa com Contribuição Social, além de Rosimar Almeida com Constelação Sistêmica. Estes especialistas conduzirão a pauta do Palco Vida nos dias 3 e 4 de agosto. Todos estes temas terão acessibilidade em Libras para o público com dificuldade ou sem audição.

Estão previstas atrações extras como música e apresentações teatrais, movimento Reiki, Yoga e Dança Circular, alimentação e venda de produtos sustentáveis, rodas de conversa para troca de experiências e um espaço kids para filhos dos participantes, com participação de escoteiros, brincadeiras em horta orgânica, contação de histórias, bumerangue e outras brincadeiras.

Como surgiu o Vida?

Essa é a pergunta que a empresária, mãe e esposa, Samira Rocha, se fez em 2014. O grande clique foi uma crise aguda de ansiedade quando estava no ápice de sua carreira profissional e com uma empresa em expansão e crescimento econômico. Apesar do casamento sólido de 14 anos à época, um filho de sete, e a possibilidade de viajar o mundo em suas férias, ela continuava com a mente conectada 24 horas por dia nos negócios.

Desde então, a vida a levou por muitas experiências e caminhos para encontrar respostas. Com a vida mais equilibrada e feliz, Samira quis levar sua experiência a mais pessoas e foi assim que o projeto Vida nasceu e cresceu, já alcançando a segunda edição do Congresso Brasileiro de Autoconhecimento.

Serviço

O quê: 2º Congresso Brasileiro de Autoconhecimento – Vida

Quando: dias 3 e 4 de agosto

Onde: Clube Ariribá, Balneário Camboriú

Informações e ingressos: http://www.vemprovida.com.br/congresso/

Bazar Angel

Para aquecer este inverno, no melhor estilo contemporâneo de ser, viver e se vestir, a ANGEL nos convida para uma aventura em seu moderno safári. O winter 2019 da marca, Wild Dreams, apresenta os sonhos selvagens de uma África fashion, cheia de atitude, personalidade e estilo que serve de inspiração a sua nova coleção.

O charme, conforto, elegância e praticidade de looks camuflados e com estampas animal skin juntam-se aos corpos das mulheres mais bacanas da atualidade e propõe: venha com a gente e embarque no universo de um lindo safári ANGEL!

Para facilitar a vida, com roupas lindas e preço acessível, a ANGEL realiza seu bazar de inverno durante 10 dias. Tudo começa no dia 9 e vai até 19 de julho, com custo de R$ 9,90 a R$ 99,90. O atendimento é das 9h às 19h, nos dias de semana – sem fechar para o almoço. No sábado o bazar abre as portas das 9h às 13h.

A fábrica da ANGEL, onde acontece o bazar, fica na Rua Carlos Seára, 109, no bairro da Vila, em Itajaí. Os pagamentos podem ser feitos em dinheiro, cartões de crédito ou débito e ainda com a possibilidade de parcelar as compras. Possuímos roupas dos tamanhos PP ao GG, vamos repor diariamente o Bazar com peças para atender a todos os gostos, tamanhos, bolsos e estilos.

SERVIÇO – BAZAR DA FÁBRICA

ONDE: Rua Carlos Seara, 109 – Vila Operária – Itajaí.

QUANDO: de 09 a 19 de julho de 2019.

HORÁRIO: das 9 às 19h, de segunda a sexta-feira e das 9h às 13h, no sábado.

PREÇOS: R$ 9,90 à R$ 99,90.

Quando fazer uma abdominoplastia?

Quando bem indicada a realização de abdominoplastia geralmente entrega resultados muito bons e o conhecimento da técnica e de seus benefícios é muito importante para muitas pacientes perderem o receio com essa cirurgia tão consagrada.

Uma dúvida muito frequente entre as pacientes é se elas devem fazer uma lipoaspiração de abdome ou se devem associar uma abdominoplastia. Quando necessário, a abdominoplastia entrega resultados muito agradáveis, tanto para uso de roupas do cotidiano (vestidos, calças, roupa íntima) quanto para o uso de roupas de banho (praia e piscina).

Em termo gerais, para você saber quando precisa de uma abdominoplastia basta observar seu abdome. Se há estrias e excesso de pele com uma flacidez evidente, você provavelmente tem indicação de uma abdominoplastia. Flacidez e deformidade no umbigo é outro indicativo importante, além do famoso “estômago alto”. Algumas vezes, esse excesso de pele pode ser pequeno e só aparece quando a pessoa está sentada. Nesses casos, a indicação é um pouco mais difícil e aí quem pode te dizer isso com maior precisão é o Cirurgião Plástico.

Nos dias de hoje é comum a associação da abdominoplastia com lipoescultura, o que potencializa o resultado. Com a lipoescultura as curvas são melhoradas, principalmente nas costas o que valoriza a cintura e o contorno do bumbum. Além disso, a lipoenxertia dos glúteos procura deixar o bumbum mais redondo, cheio e empinado. Procure sempre um cirurgião plástico associado a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para uma avaliação e tirar todas as suas dúvidas.

Por

Dr. Guilherme Luis Schmitt
Cirurgião Plástico CRM/SC 18.239
Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Itajaí
Riviera Business & Mall
(47) 3021-5921 | 99293-4020
Av. Osvaldo Reis, 3281 – Sala 1503 – Praia Brava

Gaspar
Atitude Centro Empresarial
(47) 3332-8286 | 98480-8286
Rua São José, 253

Luto e psique

O luto é caracterizado como uma perda de um elo significativo entre uma pessoa e seu objeto, portanto, um fenômeno mental natural e constante no processo de desenvolvimento humano. O processo de luto está inevitavelmente presente na dinâmica entre os dois polos da existência humana: a vida e a morte.

A ideia de luto não se limita apenas à morte, mas o enfrentamento das sucessivas perdas reais e simbólicas durante o desenvolvimento humano. Deste modo, pode ser vivenciado por meio de perdas que perpassam pela dimensão física e psíquica, como os elos significativos com aspectos pessoais, profissionais, sociais e familiares do indivíduo. O simples ato de crescer como, por exemplo, no caso de uma criança, vem com uma dolorosa abdicação do corpo infantil e suas significações. A capacidade de o indivíduo de se adaptar às novas realidades produzidas diante das perdas servirá como modelo, compondo um repertório, reativado em experiências ulteriores.

O luto é um processo lento e doloroso, que tem como características uma tristeza profunda, afastamento de toda e qualquer atividade que não esteja ligada a pensamentos sobre o objeto perdido, a perda de interesse no mundo externo e a incapacidade de substituição com a adoção de um novo objeto de amor (FREUD, 1915).

Esta fase é marcada por uma natural instabilidade emocional, sinalizada por diferentes emoções. Além disso, o luto passa por algumas etapas antes de sua conclusão. Inicialmente há o choque da perda e depois vem a negação ou a busca. Logo em seguida entram em cena o sofrimento e a inevitável desestruturação, quando surgem os sentimentos depressivos, a solidão, o medo, a agressividade, a culpa. Nesta fase a pessoa somatiza o sofrimento e se distancia de seu cotidiano.

Muitas vezes só nos apercebemos da importância de determinada pessoa ou coisa, quando a perdemos, porque o valor dessas pessoas ou coisas dilui-se no valor das coisas que a rodeiam. Porém, quando a perdemos, não a perdemos apenas a ela, mas muito do valor das coisas que a rodeavam e é aí que notamos a sua falta.

Por

Sara Cruz Frota 

Psicóloga (CRP 12/16061)

Ed. Liberty | Sala 307

Itajaí / SC

Para ele, para ela!

A data mais romântica do ano já está no ar! Para te ajudar a planejar a compra do presente com tranquilidade e escolher algo que seja a cara do(a) amado(a), a gente selecionou algumas dicas bem bacanas do Balneário Shopping. Confere!

Estilo enxaimel

Que tal esta t-shirt Lion Enxaimel LevenSymfonie da VON DER VÖLKE? A marca com pegada holandesa traz insights incríveis para os looks masculinos.

Vond der Volk

Autenticidade floral

O floral e as folhagens se destacam neste modelo de camisa da AUDITHORIUM. Muito prática na hora de deixar o visual dele mais autêntico.

Audithorium

Aconchego com estilo

Tá frio? Que tal apostar em peças descoladas para ele ficar agarradinho com você neste? Novamente, a COISAS DE MACHO arrasa quando o assunto é estilo e conforto.

Coisas de Macho

Maxi brinco

Inspiração mais que perfeita para o Dia dos Namorados: look poderoso da atriz @nathaliadill com o maxi brinco da família Samantha da CAMILA KLEIN.

Camila Klein

Snake & inverno

A estampa snake é a tendência da temporada. Esta bota da CAPODARTE é puro estilo para combinar com looks variados. Ela vai amar!

Capodarte

Tricô de arrasar

Imagine ela neste longo de tricô metalizado da coleção Outono-Inverno 2019 da DUDALINA. Um arraso!

Dudalina

Por

Balneário Shopping

http://www.balenarioshopping.com.br

Instagram: balnearioshopping

Piçarras Runners

Dia 02 de Junho de 2019, circuito “Brisas” Itajaí praia Brava, 5 e 10 km. Piçarras Runners mais uma vez presente na “Arte de correr e pedalar pelo prazer” e vencendo mais um Desafio. “Troféu e medalha são grandes conquistas, porém momentos como esses ficam marcados para sempre na memória e em nossos corações.” Human perfect/Nossa forma, Supermercado MANORUDI, World Bike, Coifman Films, fazendo parte de conquistas, momentos e superações correndo para amizade e união junto com o Piçarras Runners. “

Bate-papo #Selfcare | Fotos por Henrique Kotaka

Pinhão e tainha

Pode até parecer nome de dupla caipira, mas o pinhão e a tainha são, em minha opinião, os dois elementos mais representativos da gastronomia catarinense. Por uma dessas coincidências maravilhosas da vida a safra do pinhão e a chegada das tainhas às nossas praias acontecem exatamente na mesma época: começo do outono até meados do inverno.

Alguns certamente vão perguntar sobre as ostras e o camarão. As primeiras são cultivadas o ano inteiro e somente a partir dos anos 90. Já o camarão, esse crustáceo tão apreciado tem o seu defeso – proibição de pesca – de dezembro até junho. Depois o que se encontra é camarão de cativeiro que vem principalmente do Nordeste.

O pinhão é nativo da nossa flora e alimentou inúmeras populações. Antes restrito a serra, seu sabor conquistou todo o estado e foram criadas inúmeras preparações culinárias e hoje o pinhão é sinônimo do aconchego do inverno. A pesca da tainha se confunde com a ocupação do nosso litoral pelos primeiros colonizadores. Muitos catarinenses não sabem, mas a tainha é um peixe que sofre um enorme preconceito em todo o Brasil. Fora do estado ela tem gosto de lama e esgoto. Eu mesmo, que sou oriundo do Rio de Janeiro só fui apreciá-la quando cheguei aqui e isso porque já conhecia a fama e não me decepcionei, mas o encanto demorou três postas para acontecer. A primeira eu estranhei o sabor forte. A segunda gostei, mas apenas na terceira fui adorar.

Nos domingos do inverno o perfume de tainha assada toma conta de toda a ilha. Embora ambos possam ser consumidos sozinhos, a verdadeira EXPLOSÃO DE SABORES se dá no encontro da serra e do mar. Pinhão e tainha tal e qual dois super-heróis se unem para promover maravilhas gastronômicas.

A que vou lhes deixar é extremamente simples, mas fará você se sentir um(a) autêntico(a) chef! Filé de tainha grelhada ao molho de ervas com risoto de pinhão. Primeiro faça um caldo de legumes: em uma panela esquente um pouco de azeite e coloque duas cebolas fatiadas, um alho-poró fatiado e uma cenoura fatiada. Refogue por um minuto. Coloque duas folhas de louro e talos de salsa. Ponha um copo de vinho branco seco, deixe reduzir e cubra com dois litros de água. Cozinhe por 40 minutos em fogo baixo, coe e reserve.

Para o molho de ervas basta esquentar 250 ml de azeite e colocar as folhas de meio maço de basílico e de meio maço de salsa e mais as folhas de alguns ramos de tomilho e dois ramos de alecrim. Mexa, apague o fogo e deixe descansar com a panela tampada por uma hora. Bata, coe e reserve. Fatie cerca de 30 pinhões cozidos. Em uma panela refogue os pinhões com pimentões amarelos e vermelhos cortados em losangos, junte uma xícara de arroz arbóreo, vinho branco e vá adicionando o fundo de legumes aos poucos e mexendo sempre. Tempere dois filés de tainha com sal e pimenta do reino. Grelhe dos dois lados e reserve. Quando o risoto estiver quase pronto adicione 50 gramas de manteiga com sal e 50 gramas de queijo colonial em cubos. Apague o fogo e deixe ambos derreterem. Sirva um filé em cada prato salpicado com raspas de limão siciliano, o molho e metade do risoto. Para acompanhar, como a tainha é um peixe de sabor muito forte, sugiro um tinto da serra catarinense. Bom apetite!

Por

Renato Justo

Chef de Cozinha