Medicações psiquiátricas na gestação

Atendo muitas gestantes no meu consultório, principalmente por quadro de humor depressivo ou de ansiedade. Uma das grandes dúvidas é em relação à segurança dos psicotrópicos para o bebê quando são indicados para a mãe. Lembrando que toda gestante que estiver vivenciando sinais ou sintomas psíquicos intensos em quaisquer fases da gestação deve procurar o médico especialista que é o psiquiatra. Além disso, história prévia ou familiar de transtornos psíquicos pode aumentar o risco de reagudização dos sintomas nessa fase ou de depressão pós-parto; portanto, procurar o psiquiatra torna-se muitas vezes imprescindível.

Quando necessárias, bem indicadas e conduzidas, as medicações podem salvar o bebê, a gestante e o vínculo entre eles. Os prejuízos causados pela doença quando se espera remissão espontânea, sem avaliação ou tratamento adequado, podem ser devastadores para ambos. As doenças mentais, além de alterações comportamentais e emocionais, podem cursar com alterações cerebrais e isso repercute de forma negativa em todos os sistemas do corpo da mãe e consequentemente para o bebê.

Fatores inflamatórios e hormônios do estresse, como o cortisol, a adrenalina e a noradrenalina são liberados, podendo causar prematuridade, aumento do peso, restrição do crescimento intrauterino e do bebê, partos prematuros, cesárias, pré-eclâmpsia, hipoglicemia do recém-nascido, trabalho de parto prematuro, problemas na amamentação entre outros. Além disso, prejudica o vínculo da mãe com o bebê, podendo assim repercutir negativamente na vida adulta.

A estrutura emocional do bebê começa a se desenvolver na sua vida intrauterina. Existem sim evidências de que alguns psicotrópicos podem causar prejuízos para o desenvolvimento do bebê, mas outros são bastante seguros para serem utilizados nessa fase. Não se pode generalizar, afirmando que todos os fármacos utilizados para tratar transtornos psiquiátricos são maléficos para o bebê durante a gestação da mesma forma que nem toda gestante com sintomas psíquicos tem indicação para utilizá-los.

Infelizmente percebo muitas prescrições desnecessárias e muitas vezes até arriscadas vindas de profissionais não especialistas, por isso a importância de procurar o psiquiatra, aliás existem psiquiatras perinatais. Percebo que muitas vezes os medos das gestantes em relação ao tratamento psiquiátrico farmacológico ocorrem por preconceitos e falta de informação; portanto, a psicoeducação é extremamente importante. A gestação é uma fase de descobertas positivas, mas também podem ser de revivências negativas da infância, de amadurecimento e evolução na sua concepção mais ampla. Pode ser libertador ou avassalador. Procurar ajuda multidisciplinar em saúde mental é imprescindível para tratar transtornos mentais na gestação. Psiquiatras, obstetras, pediatras e psicólogos juntos, tratando mãe e bebê de forma integrada.

Por

Dra. Vanessa Adegas Menin

Psiquiatria e psicoterapia – CRM 22011 RQE 12908 

CLINSAM – Clínica de saúde mental – Rua Antônio Manoel Moreira, 140 – Itajaí 

(47) 4141.8781 (47)99641.8781 

clinsam.dap@gmail.com / desvendandoapsiquiatria.com.br 

Facebook e Instagram: vanessapsiquiatra 

Instagram: clin_sam

Youtube: Desvendando a Psquiatria

MICROPIGMENTAÇÃO LABIAL

Cada vez mais, a micropigmentação labial vem se tornando queridinha entre as mulheres. Já ouviu falar dessa técnica? É um procedimento que dá mais cor aos lábios que são naturalmente pálidos ou arroxeados, e também melhoram o contorno que dá a ilusão de volume, deixando a boca mais definida para dar mais vida à boca, tornando seu sorriso ainda mais belo.

O procedimento não só é praticado para fins estéticos, mas também a quem passou por alguma cirurgia que resultaram em fibroses e outras condições, como por exemplo a cirurgia de reparação de lábio leporino, e em pequenas imperfeições causadas pelo herpes labial. “O procedimento é supertranquilo e só é preciso ter a pele 100% íntegra e lábios bem hidratados”, explica Camila.

Quais são as técnicas mais utilizadas? 

Natural Lips: contorno, uniformização de tom, cores naturais;

Efeito Batom: contorno, preenchimento efeito batom, cores vibrantes.

Quanto tempo dura a micropigmentação labial?

A duração da micropigmentação labial depende diretamente dos cuidados tomados por quem realizou o procedimento, além de ser necessário também checar fatores genéticos que podem influenciar nesse ponto. Mas em média oito meses.

A cor da micropigmentação vai clarear depois de algum tempo?

Sim, vai clarear logo nos primeiros dias após o procedimento. O que acontece: ao exemplo da micropigmentação de sobrancelhas, nos primeiros dias, ocorre o processo de cicatrização da micropigmentação que faz com que a cor do pigmento aplicado nos lábios comece a desbotar. Lá pela segunda ou terceira semana – dependendo da resposta do organismo de cada pessoa, vai aparecendo a cor que ela vai ficar.

Pensando em realizar micropigmentação labial?

Camila Theilacker é dermopigmentadora, formada em Cosmetologia e Estética na –Univali – Itajaí, com pós em Estética Clínica 2018 e Dermopigmentação em 2019, é sócia-proprietária da clínica de nutrição e estética – FINESTÉTICA, localizada no Embraed Itajaí- sala 76.

Entre em contato por meio do instagram @camiladermopigmentacao @finestetica.

Por

Camila Theilacker

Micropigmentadora e esteticista

Av. Coronel Marcos Konder, 1207

Centro Empresarial Embraed, 76 – Itajaí – SC

(47) 9 9999-6607

Microfisioterapia e a fibromialgia

Você sabe o que é Fibromialgia? Ela caracteriza-se por dor crônica que migra por vários pontos do corpo e se manifesta especialmente nos tendões e nas articulações. Trata-se de uma patologia relacionada com o funcionamento do sistema nervoso central e o mecanismo de supressão da dor que atinge, em 90% dos casos, mulheres entre 35 e 50 anos. Além disso, a dor da fibromialgia pode ser intensa e incapacitante, e não provoca inflamações nem deformidades físicas.

Para quem sofre com essa patologia, a Microfisioterapia pode ajudar. Sim, esta técnica francesa, de toques sutis que desbloqueia memórias que estão armazenadas no corpo, vem apresentando ótimos resultados no tratamento da fibromialgia. Para isso, são realizadas sessões de 30 em 30 dias onde o corpo se ajusta e aos poucos vai diminuindo os sintomas de dor.

Por

Dra. Virgínia Bastos Herpich

Fisioterapeuta / Microfisioterapeuta

Balneário Camboriú

Rua: 300, 170, Sala Térrea

Tel: 47.3360-8686 / 9929-8686

Itajaí

Atendimento domiciliar

Tel: 47 99145-0904

Banda Nordic Souls estreia no Didge BC neste sábado

WhatsApp-Image-2019-08-07-at-13.26.01.jpg
A Banda Nordic Souls aterrissa no Didge Steakhouse Pub, de Balneário Camboriú, pela primeira vez neste sábado, 10. Com um som inspirado nos grandes nomes do rock and roll, o quinteto apresenta um repertório com Led Zeppelin, AC/DC, Pink Floyd, Tina Turner, Guns`n Roses e muito mais!
A banda é formada pelos músicos Vivi Fields (Vocal), Fernando Gabriel (Guitarra/Vocal), Eduardo Souza (Teclado/Vocal), Marcelo Gasparini (Contra Baixo) e Alexandre Barea (Bateria), que já tocou com os Cascavelletes e é reconhecido na Europa. O grupo foi criado na Praia do Rosa, em Imbituba, no ano de 2018, trazendo influências das melhores bandas de rock do Rio Grande do Sul e possui um setlist bem ensaiado e energético relembrando os maiores clássicos do rock.
Apesar do pouco tempo de estrada, a banda vem se consagrando pelo estado e já venceu o concurso da 7ª Orquestra de Baterias de Florianópolis, onde concorreu com 50 bandas de Santa Catarina. Pela primeira vez se apresentando no Didge BC, a produtora e fundadora da banda, Rosilene Maria Sodré, explica que a apresentação será divertida e irreverente. “Estamos ansiosos para a apresentação no Didge e contamos com a participação do público. Iremos apresentar uma performance que inclui solos, figurinos e grandes execuções musicais”, ressalta.
O Didge Steakhouse Pub fica localizado na rua 4.450, n° 143, na Barra Sul, em Balneário Camboriú. Informações e reservas pelo telefone (47) 3361-6414 ou pelo WhatsApp (47) 99944-4672.

Maternidade e autoestima

Você já reparou como a maternidade mexe com a autoestima da mulher?

É incrível, mas a autoestima baixa é uma queixa muito comum entre as mães, especialmente nos primeiros anos de vida! É claro que não é uma regra, mas grande parte delas, passa por este desafio.

Bem, o corpo muda, o tempo para si diminui, a autocobrança aumenta, o senso de responsabilidade também, e estes são apenas alguns dos fatores que causam toda essa mudança na autoestima feminina. O fato é que, de uma forma ou de outra, em algum momento, a mãe precisa voltar a olhar para si, e resgatar a mulher que existe por trás daquela mãe!

Se você já acompanha os artigos aqui na revista, sabe que eu não é a primeira vez que falo sobre isso. Mas afinal, porque esse “resgate” é tão importante? Porque quando nos tornamos mães, o nosso olhar fica completamente voltado para aquele serzinho tão pequeno e “indefeso” que certamente, precisa de atenção e cuidado integral. No entanto, com o passar dos meses, acredite, não tem problema algum você voltar a olhar para si.

É essencial, que com o passar dos meses, a mulher volte a pensar em si (provavelmente de forma lenta no início, pois esta mudança pode parecer estranha), e busque se reconectar com sua essência. Quais são as coisas que mais gosto de fazer? O que posso fazer por mim hoje, que vai me fazer sentir melhor? Essas são duas perguntas que podem te ajudar a iniciar essa busca de reconexão!

Mas não é egoísmo pensar em mim, e não nos meus filhos? De forma alguma! Veja bem, você vai pensar TAMBÉM em você, e não apenas em seus filhos! Tudo bem se você tirar umas horinhas para você, ou mesmo alguns dias de vez em quando. Isso vai te fazer sentir melhor? ÓTIMO, então faça. Afinal, a ciência já comprovou: mães felizes, criam filhos mais felizes!

Por

Ana Paula Majcher

Psicóloga – CRP:12/10780

Av. Cel. Marcos Konder, 1313, Centro, Itajaí – SC, 8801-300

(47) 99172-5620

Instagram: gestandoeaprendendo

Curso de Fisioterapia da UniAvan abre inscrições para atendimentos gratuitos em Balneário Camboriú

Elder person exercising during physiotherapy
Com o objetivo de auxiliar a população com práticas fisioterapêuticas na saúde da mulher e do homem, o curso de Fisioterapia do Centro Universitário Avantis – UniAvan está com as inscrições abertas para atendimentos especializados, que tratam desde incontinência urinária até pós-cirurgias de próstata. As inscrições são gratuitas e destinadas à mulheres, gestantes e homens de todas as idades. As vagas são limitadas.
Podem participar do atendimento mulheres que tenha incontinência fecal ou urinária, vaginismo, dor pélvica, dor no ato sexual, mulheres que já realizaram cirurgias pélvicas, cirurgias de períneo, também aquelas que desejam prevenir a incontinência urinária e ainda gestantes que, por condições fisiológicas da gestação, apresentam casos frequentes de incontinência urinária.
Com os homens, o trabalho será realizado aos que também apresentam incontinência urinária e que estão se recuperando de cirurgia na próstata. Para que o problema seja resolvido são utilizadas técnicas de treinamento de músculos pélvicos e estimulações simples e indolores, além de orientações sobre como o paciente deve se cuidar em casa.
O atendimento será realizado pelos acadêmicos de Fisioterapia com supervisão da Professora M.ª Angelise Mozerle. Segundo Angelise, a maioria das pessoas não sabe que algumas condições fisiológicas podem ser tratadas com ajuda de técnicas da fisioterapia, por isso, o objetivo de trazer pacientes reais para dentro da disciplina. “A cada cem mulheres, vinte e quatro delas sofrem com incontinência urinária e cada cem homens, dois deles também apresentam a condição. A maior parte desse público não sabe que a fisioterapia consegue auxiliar no alívio dos sintomas e no tratamento das disfunções miccionais. Nós atuamos desde prevenção de futuras alterações, reabilitação de disfunções e orientações sobre essa área”, explica.
As inscrições podem ser feitas pelo email: atendimento.fisioterapia@avantis.edu.br ou pelo telefone: (47) 9 9970-0413.

Bolo de cacau sem farinha, sem glúten e sem lactose

Ingredientes

01 xícara de cacau

02 xícaras de leite de Coco

½ xícara de leite em pó

06 ovos

½ xícara de óleo

01 xícara de açúcar demerara

01 pitada de goma xantana

01 colher rasa de fermento em pó

Preparo

Separe o fermento e a goma, o restante bata tudo no liquidificar. Depois de pegar uma consistência na massa, acrescente no liquidificador o fermento e a goma (deixando bater por pouco tempo).

Por

Tânia Fernandes

Terapeuta nutricional e proprietária do Univital

Univital

Rua: Felipe Schmidt, 40x | Centro – Itajaí

Um olhar poderoso todos os dias, sem perder tempo com rímel e curvez!

A extensão de cílios tem se tornado cada vez mais popular entre as mulheres, assim deixando algumas dúvidas sobre restrições, manutenção e, principalmente, sobre a saúde do fio natural.

Então vamos falar sobre isso.

Pessoas muito alérgicas, com sensibilidade na região dos olhos e grávidas devem sempre conversar com seu médico e com a extensionistas, fazer teste e seguir todos os cuidados antes e após a aplicação.

A extensão quando feita com uma profissional, com um isolamento correto e muito importante, com material de qualidade, respeitando medidas do olho da cliente, tem uma chance muito pequena de danificar os fios naturais.

Nosso fio tem um ciclo natural de crescimento entre 21 e 90 dias. Nesse período eles caem naturalmente, e por esse motivo recomendo a manutenção a cada três ou quatro semanas.

Lembrando que é muito importante a conversa antes da aplicação, respeitar os cuidados e fazer as manutenções em dia. Vem Ficar cilhuda, comigo aqui no G Beautè.

Por

Eduarda Oliveira

G Beauté

 

Workshop de etiqueta a mesa na CASACOR BC

A loja de móveis e decoração de interiores, Emporium A, comandada por Ana Piovesam e Roberto Magalhães promoveu na última quinta-feira (1º) um workshop sobre mesa posta e etiqueta à mesa com Janine Antunes, especialista em consultoria no assunto, na CASACOR Balneário Camboriú. O encontro aconteceu a no ambiente assinado pelo escritório Gouveia e Bertoldi Design de Interiores, o Refúgio dos Sentidos, de Marcelo Gouveia e Edenilson Bertoldi.

A Emporium A é um convite aos sentidos e oferece mesas postas, móveis, têxteis, aromas, decor, garden e gourmet.

Fotos: Alex Ferrer

Soraia Ulmann, Helena Zigoski, Radaê Ulmann, Eliane Weisheimer, Janine Antunes, especialista em mesa posta e etiqueta a mesa e Ana Piovesan, proprietária da Emporium A

A incidência de defeitos posturais que acarretam condições dolorosas

A boa postura é aquele estado de equilíbrio muscular e esquelético que protege as estruturas de suporte do corpo contra lesão ou deformidade progressiva, independentemente da posição (ereta, decúbito, agachada ou flexão anterior) na qual essas estruturas estão trabalhando ou repousando. Sob tais condições, os músculos funcionarão mais eficazmente e serão permitidas as posições ideais para os órgãos abdominais e torácicos. A má postura é uma relação defeituosa das várias partes do corpo que produz aumento da tensão sobre as estruturas de suporte e na qual existe um equilíbrio menos eficaz do corpo sobre sua base de suporte.

A discussão sobre a importância da boa postura abrange o reconhecimento da prevalência de problemas posturais, condições álgicas associadas e recursos humanos desperdiçados.

Se a postura defeituosa for um problema meramente estético, as preocupações podem ser limitadas àquelas relativas à aparência. Entretanto, defeitos posturais persistentes podem dar origem ao desconforto, à dor ou à incapacidade. A gama de efeitos, do desconforto à incapacidade, está frequentemente relacionada à gravidade e à persistência dos defeitos.

A boa postura é um bom hábito que contribui para o bem-estar do indivíduo. Por outro lado, a má postura pode ser decorrente de maus hábitos e, infelizmente, é muito comum.

A alta incidência da má postura exige a correção das condições existentes, principalmente aquelas relacionadas com o padrão repetitivo. Não depende somente do conhecimento e sim da implementação de medidas educacionais positivas e preventivas. O exame e os procedimentos são direcionados por profissional para a restauração e a preservação da boa mecânica corporal na postura e no movimento.

Importante enfatizar sobre a importância do profissional. Existem diferenças consideráveis entre o tratamento de uma condição dolorosa aguda e de uma crônica. Um determinado procedimento pode ser reconhecido e aceito como terapêutico quando aplicado no momento certo. Se esse momento for inadequado, o mesmo procedimento pode ser ineficaz e até lesivo.

Por

Raphael Mello Block

CREF: 4547/SC