Falando de Pato

Os patos tais como o conhecemos, são primos dos cisnes, gansos e marrecos e é uma das aves mais antigas que se tem notícia, havendo relatos de que eles já eram domesticados pelos antigos egípcios e estão distribuídos no mundo inteiro, menos no continente antártico. Na América do Sul, quando os primeiros portugueses chegaram no século XVI, os índios já criavam e caçavam patos selvagens tanto pela carne como pelos ovos.

Eu diria que há basicamente três tipos de patos: os selvagens que são caçados em determinadas épocas de acordo com a espécie; os domésticos criados a moda “caipira”, assim como as galinhas e os criados industrialmente para a comercialização da carne. Os patos selvagens e os domésticos criados soltos têm a carne mais dura e mais escura. A carne do pato é muito saborosa e a sua cor mais escura se deve a sua alimentação que inclui, além do milho, pequenos insetos e peixinhos.

Os peitos normalmente são servidos grelhados e as coxas normalmente são confitados, ou seja, cozidas lentamente em sua própria gordura. Também podem ser cozidos, ou assados ou fazer deliciosas terrinas.

FOIE GRAS: Significa literalmente fígado gorduroso e pode ser obtido tanto do pato como do ganso, sendo que o desse último é bem mais valorizado por causa do seu sabor. Essa é uma iguaria das mais antigas que existem. Os antigos romanos os alimentavam com figos e mel. Hoje em dia é utilizado basicamente milho. Para aqueles que os apreciam, e aí eu me incluo, trata-se uma cirrose. Isso mesmo. A alimentação forçada faz com o pato chegue até a 8 quilos e o seu fígado, que normalmente pesaria no máximo 50 gramas, chega a atingir até 660 gramas. Atualmente sua produção é bastante controversa pois trata-se de uma crueldade com os animais. Ok, mas é bom então esclarecermos algumas coisas: a galinha que compramos no supermercado e cujo peito é o queridinho das dietas é criada de forma intensiva e à noite as luzes são acesas para que elas não percebam que é noite e está na hora de dormir e, consequentemente, não parem de se alimentar. Sua curta vida de 45 dias é um stress do dia em que nascem até a hora do abate. Mais uma: comeu tainha esse ano? Espero que sim. Eu adoro, mas você já assistiu um lanço? É fantástico ver aquele monte de peixes pulando e se debatendo não é mesmo? Saiba que na verdade elas estão morrendo sufocadas, pois fora da água não conseguem respirar. É uma agonia que dura uns bons 15 a 30 minutos. Então meu caro defensor dos animais, quando levantar o dedinho ou abrir a boca para protestar contra o foie gras, seja coerente e lembre-se das galinhas e das tainhas. A propósito, caso encontrem no menu de algum restaurante da nossa região “magret” de canard o mmias provável seja peito de pato, porque o magret é retirado dos patos que foram engordados para produção de foie gras e o seu peso chega até 600 gramas cada, enquanto o peito tem em torno de 200 gramas.

PATO AO TUVCUPI: é a única receita genuinamente brasileira. Feita com o tucupi – suco extraído da mandioca brava – e jambu uma erva típica da região norte do Brasil e que deixa a boca levemente dormente. O arroz de Pato é um clássico da cozinha portuguesa e muito fácil de ser preparado por qualquer dona de casa. Você vai precisar de: 01 pato inteiro; 03 cebolas cortadas em cubos grandes, 01 cenoura grande em cubos, 05 dentes de alho picados, 01 maço de salsa picada, ½ garrafa de vinho branco seco, 01 chouriço português – na falta use uma linguiça Blumenau sem a pele, um bom maço e aspargos, 500 gramas de arroz parboilizado. Modo de fazer: corte o pato nas juntas e refogue em uma panela funda, de preferência com azeite. Junte 02 cebolas e a cenoura e aloure. Ponha o vinho, os talos de salsa e as folhas de louro e deixe quase secar. Cubra com água e cozinhe até o pato ficar macio. Retire o pato, coe o caldo e reserve. Desfie o pato grosseiramente e reserve.  Limpe e cozinhe os aspargos e corte cada um em 5. Em uma panela esquente um pouco de azeite e frite levemente a linguiça cortada em rodelas, junte o alho e a cebola e refogue, coloque o arroz misture bem e ponha 1 litro de caldo. Quase ao final do cozimento junte a carne do pato e os aspargos, confira o tempero com sal e pimenta do reino branca, tampe a panela e desligue o fogo. Deixe assim por aproximadamente 30 minutos. Na hora de servir, esquente um copo do caldo de pato e coloque por cima. Rende aproximadamente 6 porções. Para acompanhar nada como um bom tinto português da região do Douro. Bom apetite!

Por

Renato Justo

Chef de cozinha

Fevereiro Roxo: saiba os alimentos que ajudam a combater a fibromialgia

O nutrólogo Alexander Gomes de Azevedo explica que uma dieta anti-inflamatória pode controlar o transtorno

O mês de fevereiro é dedicado à conscientização sobre algumas doenças, como a fibromialgia. O transtorno, em que a pessoa sente dores em todo corpo por longos períodos, afeta principalmente as mulheres, dentre elas a superstar Lady Gaga. Uma boa alimentação pode ajudar a combater a síndrome. 

Segundo o médico nutrólogo Alexander Gomes de Azevedo, há comprovações científicas de que uma dieta anti-inflamatória pode ajudar a controlar os sintomas.

“Apesar de a fibromialgia não ser uma doença inflamatória, ela é uma patologia com dor muscular generalizada, que vai necessitar de controle ao longo de toda vida. Nesse sentido, uma alimentação que contribua para diminuir o status inflamatório e que seja equilibrada, no sentido de ser rica em nutrientes, será benéfica”, explica o especialista.

Azevedo diz que indivíduos com fibromialgia apresentam normalmente maior nível de estresse oxidativo, ou seja, há uma maior produção de radicais livres e uma atuação insuficiente do sistema antioxidante do organismo em neutralizá-los. Para reduzir o estresse oxidativo. É preciso aumentar o aporte de nutrientes antioxidantes e reduzir outros que têm características inflamatórias, associados inclusive à maior sensação de dor.

“Nesse caso, por meio da redução da ingestão de gorduras pró-inflamatórias, como a gordura saturada da carne vermelha, dos laticínios integrais e frituras. Essas gorduras são muito ricas em ácido araquidônico, um ácido graxo da série ômega-6 com um alto potencial de produção de substâncias inflamatórias no organismo. Por outro lado, vale aumentar o consumo de gorduras poli-insaturadas que têm efeito contrário e agem justamente modulando as inflamações e a dor. Um exemplo é o ômega-3. Algumas fontes de ômega-3 são a sardinha, o atum, o salmão, o arenque ou o linguado. Há também a opção de se usar suplementos para elevar os níveis desta gordura no corpo”, completa o médico.

Por

Alexander Gomes de Azevedo

Nutrólogo

 

Dicas de alimentos para levar para a praia

O verão já chegou e com ele vem muito mar e areia. E quem nunca sentiu aquela fominha na praia? Muitas vezes passamos o dia curtindo o sol e acabamos nos rendendo a alimentos gordurosos e industrializados que os ambulantes vendem no local. Opte por levar para praia coisas simples, nutritivas e saborosas. Também é fundamental que você esteja atento à conservação dos alimentos. Alguns lanches precisam ser armazenados em coolers ou bolsas térmicas para que não estragarem em temperaturas mais altas.

Pensando em te ajudar a ter uma alimentação saudável mesmo nos momentos de diversão, separamos 4 lanches saudáveis para você levar e comer na praia.

Por que levar o próprio lanche para a praia?

Segurança, você conhece a procedência do alimento que está consumindo.
Economia, na maioria dos casos, o que se vende na praia é muito mais caro!
Saúde e bem-estar: a maior parte das opções oferecidas na praia são gordurosas e nada saudáveis.
Confira agora uma lista de lanches saudáveis para você levar para praia:

Frutas
Opções refrescantes e que ajudam a repor a hidratação perdida com o sol e calor. O ideal é que as frutas sejam resfriadas, e se preferir elas picadas, não se esqueça de pingar algumas gotas de limão para impedir a oxidação.

Sanduíches naturais
Os sanduíches naturais são opções completas e que podem até substituir uma refeição principal. Você pode colocar no mesmo lanche: carboidrato, legumes, proteínas e gorduras saudáveis. Algumas opções simples, são:
Pão sírio integral + homus + tomate;
Pão de milho + creme de ricota;
Pão de batata + queijo cottage;
Pão de forma integral + creme ricota + 2 folhas de alface + lâminas de abacate + tomate;
Pão de forma integral + requeijão light + tomate cereja + manjericão;
Pão de forma integral + tahine (pasta de gergelim integral) + cenoura ralada;
Pão de forma integral + atum + gotinhas de limão + pepino japonês + 1 fatia de queijo branco;
Pão de forma integral + molho pesto + rúcula + tomate + queijo parmesão ralado.

Frutas desidratadas e oleaginosas
Uma boa opção de lanche saudável, delicioso e nutritivo é o mix de frutas com oleaginosas. Além disso, eles são super práticos e cabem em qualquer bolsa.

Barra de cereal
Fáceis de transportar e resistentes a altas temperaturas, as barras de cereais também são uma excelente opção.

Por

Michelle Freitas

Empresária e nutricionista

Cia da Saúde Itajaí – SC

R. Heitor Liberato 1550, SL 32 | Bairro São João – Itajaí – SC

Tele Entrega: 47 3249-0160

ciadasaudeitajai | redeciadasaudeitajai.com.br

Cuidados para não estragar as festa de final de ano

Especialista dá dicas para se divertir sem descuidar da saúde

O Natal e o Ano Novo estão chegando, com elas inúmeras comemorações, viagens e alegria, mas isso não quer dizer que podemos exagerar e descuidar da nossa saúde. Por isso, é importante tomar alguns cuidados para não acabar com as comemorações de final de ano. Para aproveitar as festas sem correr riscos, o Dr. Aier Adriano Costa, coordenador da equipe médica do Docway, elencou algumas dicas.

1) Beba muita água
Durante essa época do ano, com os dias normalmente mais quentes, o cuidado com a hidratação deve ser redobrado, já que o corpo elimina naturalmente mais líquidos e sais minerais do nosso organismo, por isso a ingestão de água é tão importante, mas se você é daqueles que não consegue tomar a bebida com facilidade, Dr. Aier dá outra dica. Uma boa opção para os dias de calor é a água de coco, que, além de conter baixo número de calorias tem uma composição natural semelhante a do soro fisiológico, hidratando o organismo com mais eficácia.

2) Cuidado com o que você come
Outro sintoma comum nos dias de calor é a falta de fome, porém, é muito importante que a pessoa se alimente para não correr riscos. O melhor jeito para driblar o problema é consumir alimentos leves e de fácil digestão, como por exemplo, saladas, frutas, legumes, carnes magras, tomando cuidado com os petiscos e sobremesas, que são naturalmente mais pesados e de difícil digestão.

3) Mantenha sua rotina e horários
É muito comum que nessa época do ano as pessoas abram mão da sua rotina e dos seus horários, acordando mais tarde e programando atividades ao longo do dia que não fazem parte do seu dia a dia, afetando também sua saúde. Se você consegue manter o controle, sair da rotina pode não trazer consequências, mas, existem pessoas que, quando saem do ritmo normal, acabam exagerando. É importante descansar e se divertir, mas estabelecer horários mais próximos aos do seu dia a dia evitam maiores riscos.

4) Cuidado com a conservação dos alimentos
No verão, os alimentos podem perecer mais rapidamente. Por isso, quando for comprar os alimentos para as festas como frutas, verduras e legumes, é bom verificar o seu estado geral, evite alimentos que estiverem amassados, batidos e manchados. Cuidado também ao armazenar os alimentos, já que o consumo de alimentos deteriorados ou mal conservados pode levar a intoxicações alimentares, estragando a sua festa.

5) Cuidado com aquela cervejinha a mais
Especialmente nas festas de final de ano, bebidas alcoólicas são consumidas com maior frequência pelas, como à cerveja e a caipirinha.  O problema é que além das bebidas alcoólicas serem calóricas, quando ingeridas em grandes quantidades, podem levar à desidratação, já o álcool “retira” a água das células, agindo como um diurético, estimulando a perda de água pelo organismo. Uma dica para quem quer aproveitar as festas sem exageros é intercalar a bebida alcoólica com o consumo de água, para ajudar o organismo a manter-se hidratado e não passar do ponto.

6) Divirta-se, mas sem descuidar-se da saúde!
Nada melhor que aproveitar a vida. Com tantas comemorações, comidas e bebidas gostosas, fica muito difícil resistir, devemos sim nos divertir e aproveitar esses eventos, mas o equilíbrio é fundamental, para que 2017 comece como todos queremos: com o pé direito!

unnamed-9