Acne

Acne é o nome que se dá para o que chamamos popularmente de “cravos” e “espinhas”. Trata-se de uma doença de pele que afeta uma estrutura chamada folículo pilo-sebáceo, formada por uma glândula sebácea e por um “canal” em que se forma o pelo.

A acne pode ter influência hereditária, além disso, está relacionada aos hormônios sexuais masculinos ou andrógenos, produzidos tanto em homens quanto em mulheres. A elevação destes hormônios durante a adolescência provoca um aumento da produção de gordura pelas glândulas sebáceas da pele, fazendo com que a doença seja muito comum na fase da adolescência. No entanto, não é exclusiva dessa faixa etária, podendo persistir na idade adulta e, até mesmo, surgir nesta fase, sendo mais frequente em mulheres.

Causas

Sabe-se que quatro fatores são importantes na formação desse quadro:

  • O excesso de óleo (sebo): a glândulas sebáceas produzem oleosidade em excesso.
  • Folículo obstruído: causado pelo sebo que não consegue fluir livremente para a superfície da pele. Se isto acontecer, surge o “cravo”.
  • Bactérias: No ambiente criado dentro do folículo obstruído, uma bactéria chamada Propionibacterium acnes se multiplica transformando o cravo em espinha.
  • Inflamação: As bactérias produzem substâncias inflamatórias que determinarão qual o tipo de acne se desenvolverá.

Como na adolescência a aparência é um fator importante, o comprometimento estético ocasionado pode atingir o lado psicológico e tornar o adolescente inseguro, tímido, deprimido, infeliz, com rebaixamento da autoestima e com cicatrizes que podem persistir pelo resto da vida. Quando necessário, deve ser fornecido suporte psicológico.

TRATAMENTO

É importante buscar ajuda dermatológica, o mais precocemente possível, mesmo se os sintomas forem leves, ou durante os primeiros estágios, pois o tratamento médico é recomendável não só por razões estéticas, mas também para evitar que a condição piore, além de prevenir cicatrizes (marcas da acne) tão difíceis de corrigir na idade adulta. Está ultrapassada a ideia de que não se deve tratá-la por ser considerada “própria da idade”, “de que vai desaparecer com o tempo” ou “de não ser doença”.

O tratamento da acne deve ser orientado por um médico dermatologista, que é o profissional capacitado para indicar os medicamentos ideais para cada caso. Ele varia de acordo com a gravidade do caso e o tipo de pele, e para o tratamento podem ser utilizadas tanto medicações orais, quanto locais.

É importante ressaltar que o tratamento para a acne leva tempo para fazer efeito. A regra geral é de 4 a 8 semanas, embora possa demorar até três meses, e os sintomas podem piorar antes de melhorar. Os pacientes podem desanimar e desistir com facilidade, por isso é importante insistir e manter a rotina, mesmo se não houver uma mudança imediata para melhor.

Independentemente do tratamento escolhido, alguns cuidados com a pele são sempre recomendados. São eles:

– Higienização da pele;

– Remoção diária da maquiagem;

– Uso de produtos oil-free ou não comedogênicos (incluindo o protetor solar).

– Não espremer as lesões! Ao espremer cravos e espinhas, há o risco de infecção, inflamação e cicatrizes.

– A limpeza de pele, que pode ser realizada por esteticistas devidamente capacitadas, tem ação importante para o esvaziamento de lesões não inflamatórias (cravos), evitando a sua transformação em espinhas.

– Apesar de não ter participação na causa da doença, a dieta pode ter influência no curso da acne em algumas pessoas. Dietas ricas em açúcar, leite e seus derivados devem ser evitados pelos pacientes que apresentem acne e percebam agravação dos sintomas após a ingestão dos mesmos.

Por

Dra. Giane Pelegrini

Médica Dermatologista CRM/SC 11585 RQE 12128

Edifício Seixas Business Tower
Rua Dr. Nereu Ramos, 197 • Sala 805 (esquina com Av. Marcos Konder – ao lado do Hospital Marieta) Centro – Itajaí |SC

(47) 3311-3223 | 98866-8336
http://www.gianepelegrini.com.br
FACEBOOK – @dra.giane.pelegrini
INSTAGRAM – @dra.giane.pelegrini

Saiba o que é a acne da mulher adulta e como tratar

Grandes inimigas na adolescência, as espinhas estão aparecendo no rosto de mulheres adultas. Estudos apontam que elas afetam 40% da população feminina e a busca para a solução desse problema nos consultórios médicos vem se tornando cada vez mais frequente.

Estes sintomas ocorrem a partir dos 25 anos, podendo ter início nessa fase ou ser um quadro persistente desde a adolescência. A localização das lesões é muito característica e acontece, principalmente, na região da mandíbula e queixo, causando muito desconforto, pois as lesões são mais profundas, doloridas e de coloração avermelhada. Algumas ainda formam pústulas, saliências na pele com pus. As lesões se manifestam mais durante o período pré-menstrual, sob influência hormonal ou estresse psicológico.

Como afeta mulheres em uma faixa etária econômica e socialmente ativa, esse quadro pode influenciar negativamente as relações pessoais e profissionais, podendo diminuir a autoestima, levar ao isolamento social e à depressão, por isso, o tratamento deve ser rápido e eficaz.

Os motivos principais que promovem o aparecimento da acne na mulher adulta são:

  • Alterações hormonais
  • Uso de maquiagens, cosméticos ou protetores solares inadequados,
  • Alimentação
  • Estresse
  • Medicamentos

Tratamento

A escolha do tratamento ideal dependerá de cada caso e da gravidade da doença, sendo importante uma avaliação detalhada da paciente pelo médico dermatologista que a acompanha.

Na maioria das vezes, os tratamentos são contínuos, ou seja, quem tem acne na fase adulta precisará sempre controlá-la. O tratamento deve ser iniciado o mais precocemente possível para evitar as cicatrizes e manchas.

Se confirmada a influência hormonal podem ser utilizados anticoncepcionais orais específicos como os que contém acetato de ciproterona e drosperinona.

Podem ser utilizadas também medicações de uso tópico como os ácidos, os mais indicados são os ácidos retinóico, glicólico, salicílico e azeláico. Eles controlam a oleosidade excessiva da pele, clareiam as manchas causadas pela acne, reduzem a ação microbiana e promovem uma, micro esfoliação, que remove os tecidos mortos que podem entupir os poros. Quando a resposta a estes tratamentos não é satisfatória associamos medicamentos como os antiandrógenos (espironolactona) e antibióticos de uso oral.

Já o tratamento com Isotretinoína (Roacutan®) é prescrito em casos de acne mais grave ou para pacientes com acne refratária aos tratamentos convencionais. O principal alerta no uso desta medicação é que ela pode causar malformação fetal em caso de gravidez, portanto durante o tratamento e até um mês após o término as mulheres não podem engravidar de jeito nenhum.

Além disso é recomendado:

  • Lavar o rosto pelo menos duas vezes ao dia com sabonetes que controlem a oleosidade.
  • Limpeza de pele
  • Peelings químicos superficiais,
  • LED (Light emitting diodes) em que a Luz Azul ajuda a diminuir a concentração da bactéria responsável pela acne (Propionibacterium acnes).

Como vocês podem ver, existem várias causas e vários tratamentos para a acne da mulher adulta, portanto, procure sempre o seu médico dermatologista para avaliar adequadamente o seu caso e qual o melhor tratamento para você!

Por

Dra. Giane Pelegrini

Médica dermatologista 

CRM/SC 11585 RQE 12128

Edifício Seixas Business Tower 

Rua Dr. Nereu Ramos, 197 | Sala 895 – Centro – Itajaí – SC

(47) 3311-3223 / 98866-8336 Whats App

Facebook: Dra. Giane Pelegrini | Instagram: dra.giane.pelegrini