O PAI COMO PROTAGONISTA

Envolvimento paterno na rotina da casa traz benefícios emocionais para toda a família

Foi-se o tempo em que a divisão de atribuições entre pai e mãe se baseava em chefe de família e cuidados da casa/filhos. Se antes a paternidade era vista de forma distante e fria, hoje é natural que o homem se envolva tanto quanto a mulher, ou até mais, na criação das crianças.

A consolidação feminina no mercado de trabalho foi determinante para essa mudança. Não é mais raro mulheres assumirem o papel de liderança dentro de casa, inclusive na parte financeira. Desta maneira, o pai tem se envolvido com os filhos de diferentes formas. Ele dá conta dos cuidados básicos, estabelece limites, estimula o desenvolvimento das crianças, ajuda no controle e entendimento das emoções e nas relações com os outros. “Não nos cabe julgar o que é certo ou errado, mas nos atentar que aquele pai que antigamente tinha uma relação menos expressiva com os filhos, passa a ter que se destacar e assumir, de fato, esse papel de presença e educação, fazendo isso com maestria, inclusive”, pondera Ana Paula Franz. Essa competência, até então atribuída às mães, motiva os homens a investirem na relação com seus filhos.

Segundo a educadora comportamental, essa condição atual é benéfica para todos: para a mãe, que tem ao seu lado alguém que a apóia e a entende; para o pai, que se sente valorizado e empoderado ao exercer seu papel de forma consciente e responsável; e para os filhos. Segundo estudos da Associação Americana de Psicologia, a presença do pai é importante para a formação de um indivíduo seguro e com capacidade de enfrentar situações desafiadoras do dia a dia. “Ou seja, a presença do pai é essencial para a saúde mental da criança”, afirma Ana.

Para esse convívio ser ainda mais gostoso, é importante ir além das obrigações e incluir um tempo de qualidade com os filhos. “Isso é o que eles mais precisam para crescerem se sentindo aceitos e importantes na vida”, diz Ana. A dica é, naquele tempinho determinado, dedicar-se exclusivamente à criança, sem nenhum foco externo, como com eletrônicos. “A conexão deve ser completamente com o filho, melhor ainda se tiver muito olho no olho, contato físico e risadas, para ambos desfrutarem do hormônio do bem estar”, finaliza a educadora.

SOBRE ANA PAULA FRANZ 

Ana Paula Franz é Pós-Graduada na área de Fisioterapia e tem duas formações internacionais em Sono Infantil. Em 2017 fundou a Bom Sono Mentoria, que já ajudou centenas de famílias no mundo a recuperarem a harmonia familiar. É Educadora Infantil e Parental em Disciplina Positiva – Positive Discipline Association e Treinadora Comportamental – Instituto IFT. Mãe do Miguel, de 2 anos.

5 dicas práticas para desconectar da tecnologia e reconectar aos filhos

Sabe aquela cena da família reunida no almoço de domingo, mas cada um ligado ao seu próprio telefone, tablet e game portátil? Pais e filhos têm estado juntos e separados ao mesmo tempo, ainda que sentados na mesma mesa. Não há nada de errado com o acesso à tecnologia, muito pelo contrário. Ela só não pode substituir todos os momentos físicos em família ou com amigos, ainda mais quando o assunto é o desenvolvimento saudável de crianças e adolescentes.

Mas, como resgatar o vínculo entre pais e filhos, avós e netos, primos com primos? As férias de verão podem ser um excelente ponto para ressignificar relações e brincadeiras. É fundamental deixar um pouco os eletrônicos e priorizar a qualidade do tempo juntos. Eles precisam de nós e do nosso tempo, do olho no olho. Cada vez mais as crianças estão perdendo habilidades sociais pelo excesso de tempo com tecnologia e internet. E se os nossos filhos vão seguir nossos exemplos e não nosso discurso, então vale a reflexão: seu filho não larga o celular, mas você larga?

Para começar a mudar alguns hábitos, preparei 5 dicas práticas para desconectar das telinhas e reconectar aos filhos:

1) Vamos caminhar ao ar livre?
Pode ser uma vez por semana, a cada 15 dias ou uma vez por mês. A dica é pais e filhos largarem os eletrônicos e escolherem um passeio juntos, nem que seja uma caminhada para explorar a natureza. O importante é ter o contato e aproveitar o caminho para interagir.

2) Pelo menos uma refeição ao dia em família
Mesmo que o dia a dia seja corrido para todos, sugiro que pelo menos uma refeição por dia seja feita em família, com os eletrônicos e televisões desligados para que todos possam conversar e interagir.

3) Promover momento da leitura/contação de histórias
O momento da leitura costuma ser um dos mais prazerosos para pais e filhos. Antes de dormir, deite com eles na cama e conte uma história (ou acompanhe a leitura deles, caso já saibam ler). Assim que terminar, conversem sobre o que entenderam do livro, identifiquem semelhanças e significados.

4) Ensine jogos e brincadeiras de antigamente
As crianças adoram saber como foi a infância dos pais e avós, do que brincavam e como era o cotidiano na escola. Aproveite esta curiosidade natural para ensinar jogos e brincadeiras de antigamente, reforçando vínculos e histórias.

5) Ouça seu filho
Escute verdadeiramente o que seu filho tem a dizer, sente, olhe nos olhos, preferencialmente estando à sua altura. Dialogue, dentro da faixa etária de cada criança ou adolescente, sem esquecer do contato físico. Abraços e beijos são mais do que bem-vindos e nunca esqueça de dizer o quanto os ama.

Por

Ana Paula Petry

Psicóloga

Av. Cel. Marcos Konder, 1313, centro, Itajaí – SC, 88301-300

47 99172.5620 WhatsApp

 

 

 

Família

A família como base da sociedade, de um povo ou nação, é quase um consenso entre as culturas civilizadas. Quase, porque há ideologias que defendem o estado como soberano, dono, podendo intervir em todos os setores como a família, a propriedade, a livre iniciativa. Bons analistas consideram anormal e doentio alguém abrir mão da liberdade para entregá-la ao estado. É a anulação da individualidade em favor da coletividade, esta representada pelo estado soberano. Curioso que tais teorias sobrevivam em pleno século 21.

Defender a família tornou-se, quem diria, uma bandeira, junto com a defesa da nação, da ética, da ordem, do progresso. Na prática sabemos quanto a estrutura familiar é decisiva para a vida. Atuando mais de trinta anos como profissional de psicoterapia, testemunhamos como a família é determinante no rumo de cada um. Não nos cabe julgar, até porque ninguém faz curso para ser pai ou mãe. O que nos cabe é analisar para superar, evitando repetir os erros do passado.

É óbvio que filhos criados e educados em famílias bem estruturadas terão tudo para viver um padrão de valores que embasarão uma sociedade de qualidade. É óbvio também que pais sem a menor base de conhecimento e formação os criarão à sua imagem e semelhança, jogando na sociedade indivíduos com problemas de todo tipo. Quer dizer, ou se conserta o problema na base, na família, através de uma educação realmente integradora e redentora que dê a
eles condições de superação, ou pagaremos o preço da omissão. Cabe ao estado este papel, e não o de suprir ou suprimir a família como formadora de valores.

Para quem deseja formar uma boa estrutura familiar e errar menos na educação dos filhos sugerimos o ótimo livro “Amar seu filho não basta”. Está esgotado, mas se consegue via internet. Vale a pena. E fiquemos longe de discussões ideológicas que repetem cantilenas arcaicas de falsos líderes que roubam até a liberdade de pensar. Família é a base de tudo.

Por

Ivo Fachini

Psicoterapeuta

http://www.ivofachini.com.br

A arte de ouvir: prestar atenção amorosamente

 

Como está seu envolvimento com as coisas ao seu redor? Sim, aquelas de verdade. Se você parasse agora e se observasse, começasse a prestar mais atenção ao seu redor; como vem tratando as pessoas que convivem diariamente com você? Lembra da cor da camisa do uniforme do seu porteiro? Lembra da última vez que passou na rua e alguém sorriu alegremente, daqueles sorrisos que dá vontade de retribuir? Você sabe realmente o que está
acontecendo nesse momento da sua vida? Quais sentimentos e sensações vem sentindo nesse exato momento? Tem conseguido respirar calmamente para se conectar melhor com o amor que existe dentro de você? Ou está cheio de urgências?

Como acorda todos os dias? Correndo? Ou consegue prestar atenção no que está ao seu lado e dar um “bom dia” bem gostoso? Dizem que o nosso dia depende de como acordamos, se vai ser um dia mais animado, mais produtivo e até mais amoroso. Então preste atenção.

E no seu trabalho? Tem observado a equipe com quem trabalha? E, principalmente, com a sua família? Como tem sido as conversas com seus filhos? A vida muda nos pequenos detalhes. Não espere um grande acontecimento para celebrar. Como coach, a minha função não é apenas te formar um grande profissional, e sim num grande ser humano.

Observe como tem falado com as pessoas e, principalmente, tire um tempo para ligar para os seus pais. Mantenha a sua essência, às vezes as pessoas não precisam de uma mensagem, elas precisam de uma ligação. Faça isso! Você vai se surpreender, e a outra pessoa também.

Esteja presente pelo menos de 30 a 40 minutos para a sua equipe, para os seus filhos, amigos e namore o seu marido, namorado ou companheiro. Mantenha-se atento. Chamamos de “janela do tempo”, o espaço de tempo desde a hora que acorda até a hora que vai dormir. Se observar com gratidão e prestar mais atenção ao que faz durante cada janela do tempo que você ganha todos os dias, tenho certeza que vai causar um impacto na sua qualidade de vida, da sua família e das pessoas ao seu redor.

Por

Thalyta Ern

Diretora da Clínica Andy Ern

Instagram: thalytaern

Indicações de restaurantes com espaço kids em Itajaí, Balneário Camboriú e Itapema

ITAJAÍ

1) PRIME PIZZA

Localizada na via gastronômica de Itajaí, a pizzaria tem o melhor custo/benefício da região. As pizzas são deliciosas e o local é intimista. O espaço kids é bem legal, com piscina de bolinhas, cozinhas de madeira e várias caixas com brinquedos.

2) YELLOW BUS

Localizado na Praia Brava, como o nome mesmo diz, tem um ônibus amarelo enorme. Ao lado, em um terreno, o food truck organiza eventos com música e coloca pula-pula .Não tem espaço kids, mas fique de olho na programação e conheça os eventos. Já fomos várias vezes e
nos divertimos muito.


3) SANTO GALETERIA

O mais novo restaurante de Itajaí, o Santo Galeteria, serve uma sequência de galeto assado, polenta frita e massas, além de disponibilizarem um amplo espaço kids.

ITAPEMA

1) RESTAURANTE ESTALEIRINHO
Localizado na estrada do Interpraiais, o restaurante fica em frente ao mar e tem à disposição um espaço kids coberto com televisão, sofá, alguns brinquedos e grama sintética e, o ao lado, banheiro adaptado para os pequenos.

2) CASA DI PAOLO

Franquia italiana com qualidade ímpar no atendimento e na gastronomia, tem ainda um espaço kids coberto e envolto com uma parede de vidro para isolar o som e os pais podem sempre ficar de olhos nas crianças.

3) PASTEL DA VILLA

Pastelaria temática da Vila do Chaves, os garçons se vestem de Chiquinha e Chaves e tem à disposição das crianças as fantasias dos demais personagens.

BALN. CAMBORIÚ

1) PIZZARIA HIPPOPOTAMUS

Um verdadeiro parque de diversão para os filhos dos clientes que, enquanto aproveitam o variado rodízio de pizza, carne e massas, brincam no enorme espaço kids.

2) HAMBURGUERIA GUERRILHA

Ambiente aconchegante, hambúrgueres artesanais de qualidade e um espaço kids seguro, climatizado, coberto, com brinquedos e espaço do soninho para as crianças
que frequentam.

3)RESTAURANTE PECORINO

Localizado no segundo andar do Balneário Shopping, o Pecorino é o mais novo queridinho das mamães, um local muito bem decorado, com um cardápio especial e espaço kids com monitora. Se não conhece, não sabe o que está perdendo!

4)MACARRONADA ITALIANA

Localizada na antiga vila gastronômica de Balneário Camboriú o Macarronada é um restaurante italiano tradicional que serve pratos deliciosos e ainda coloca à disposição dos clientes um espaço kids com escorrega e outros brinquedos.

Por

Marcella Zorzo

Instagram: guiadafamiliadesc