Medicações psiquiátricas na gestação

Atendo muitas gestantes no meu consultório, principalmente por quadro de humor depressivo ou de ansiedade. Uma das grandes dúvidas é em relação à segurança dos psicotrópicos para o bebê quando são indicados para a mãe. Lembrando que toda gestante que estiver vivenciando sinais ou sintomas psíquicos intensos em quaisquer fases da gestação deve procurar o médico especialista que é o psiquiatra. Além disso, história prévia ou familiar de transtornos psíquicos pode aumentar o risco de reagudização dos sintomas nessa fase ou de depressão pós-parto; portanto, procurar o psiquiatra torna-se muitas vezes imprescindível.

Quando necessárias, bem indicadas e conduzidas, as medicações podem salvar o bebê, a gestante e o vínculo entre eles. Os prejuízos causados pela doença quando se espera remissão espontânea, sem avaliação ou tratamento adequado, podem ser devastadores para ambos. As doenças mentais, além de alterações comportamentais e emocionais, podem cursar com alterações cerebrais e isso repercute de forma negativa em todos os sistemas do corpo da mãe e consequentemente para o bebê.

Fatores inflamatórios e hormônios do estresse, como o cortisol, a adrenalina e a noradrenalina são liberados, podendo causar prematuridade, aumento do peso, restrição do crescimento intrauterino e do bebê, partos prematuros, cesárias, pré-eclâmpsia, hipoglicemia do recém-nascido, trabalho de parto prematuro, problemas na amamentação entre outros. Além disso, prejudica o vínculo da mãe com o bebê, podendo assim repercutir negativamente na vida adulta.

A estrutura emocional do bebê começa a se desenvolver na sua vida intrauterina. Existem sim evidências de que alguns psicotrópicos podem causar prejuízos para o desenvolvimento do bebê, mas outros são bastante seguros para serem utilizados nessa fase. Não se pode generalizar, afirmando que todos os fármacos utilizados para tratar transtornos psiquiátricos são maléficos para o bebê durante a gestação da mesma forma que nem toda gestante com sintomas psíquicos tem indicação para utilizá-los.

Infelizmente percebo muitas prescrições desnecessárias e muitas vezes até arriscadas vindas de profissionais não especialistas, por isso a importância de procurar o psiquiatra, aliás existem psiquiatras perinatais. Percebo que muitas vezes os medos das gestantes em relação ao tratamento psiquiátrico farmacológico ocorrem por preconceitos e falta de informação; portanto, a psicoeducação é extremamente importante. A gestação é uma fase de descobertas positivas, mas também podem ser de revivências negativas da infância, de amadurecimento e evolução na sua concepção mais ampla. Pode ser libertador ou avassalador. Procurar ajuda multidisciplinar em saúde mental é imprescindível para tratar transtornos mentais na gestação. Psiquiatras, obstetras, pediatras e psicólogos juntos, tratando mãe e bebê de forma integrada.

Por

Dra. Vanessa Adegas Menin

Psiquiatria e psicoterapia – CRM 22011 RQE 12908 

CLINSAM – Clínica de saúde mental – Rua Antônio Manoel Moreira, 140 – Itajaí 

(47) 4141.8781 (47)99641.8781 

clinsam.dap@gmail.com / desvendandoapsiquiatria.com.br 

Facebook e Instagram: vanessapsiquiatra 

Instagram: clin_sam

Youtube: Desvendando a Psquiatria

Humanização – do gestar ao parto

O nascimento de um filho é sem dúvida um dos momentos mais marcante da nossa vida. E eu digo isso porque tenho três lindas preciosidades, o Bernardo, a Beinha e a Betina, com apenas 3 meses de vida.
Mas eu sei também que durante essa linda espera pela qual passamos, muitas mulheres tem dúvidas, se questionam, sofrem com insegurança, porque tem medo do momento mais especial: o parto.
O receio de muitas pacientes é justamente com o investimento, os gastos para o bebê nascer e principalmente pela forma como serão atendidas. Como é um momento especial na vida da mulher, o que todas nós queremos e merecemos, é carinho, atenção, cuidados para que nosso baby venha ao mundo da forma como sonhamos… E isso vale para partos naturais, normais e cirúrgicos.
Quando se pensa em parto humanizado, muita gente ainda acredita que só é possível a humanização em partos naturais e normais, mas eu posso garantir a vocês, que qualquer tipo de parto, pode ser humanizado.
A principal crença está no parto cesariana, mas esse procedimento pode ser respeitoso, calmo, tranquilo e principalmente humanizado! 
Para garantir que o parto seja diferenciado, algumas adequações precisam ser feitas na sala de parto, como: pouca luz, música calma e o mais importante: a retirada do baby de forma delicada. 
Cada nascimento eu costumo chamar de milagre da vida, é a médica (o) que vai tocar primeiro no bebê, o seu bem mais precioso. Não só a obstetra, mas toda equipe deve estar afinada para proporcionar que esse seja um momento inesquecível e muito emocionante. 
E depois que o bebê nascer, é hora dele ir para os braços da pessoa que mais o aguardou e o amou em seu ventre: a mamãe. O contato de mãe e filho, contato de pele, olhos nos olhos e de muito amor, logo após o nascimento é um benefício maravilhoso para ambos e deve ser feito mesmo na cesariana. 
É meu dever e de toda (o) médica (o) obstetra garantir respeito e amor a todo nascimento!
Vamos bater um papo sobre esse assunto no Workshop Babies & Kids?
Eu te espero, faça sua inscrição no link abaixo!

Toxoplasmose na gravidez

 

A toxoplasmose é uma doença transmitida através do contato direto ou indireto com seus micro-organismos, que apesar de não causar grandes malefícios a pessoas adultas, podem trazer prejuízos na gravidez e causar problemas de visão, cegueira, microcefalia, hidrocefalia e até mesmo a morte do bebê.

O principal transmissor do Toxoplasma Gondi é o gato, através das fezes, mas a contaminação pode ocorrer de diversas maneiras. Então, como evitá-la?

  • Cozinhe muito bem todos os tipos de carne;
  • Lave bem verduras e legumes antes de consumi-los;
  • Na dúvida se funcionou? Compre suas carnes com antecedência e deixe-as congeladas por no mínimo 3 dias antes de cozinhá-las;
  • Não misture utensílios na preparação de carnes e legumes, lave-os ou use diferentes;
  • Lave as mãos sempre que possível.

Já tem um gatinho e não gostaria de se despedir dele?

Então há alguns cuidados para você evitar que a contaminação aconteça:

  • Especifique outra pessoa para realizar a limpeza da caixa de areia dele e se não houver alguém disponível, use materiais como luvas e aventais, higienizando as mãos posteriormente;
  • Leve o seu pet ao veterinário para realizar exames e identificar se ele já possui toxoplasmose, e se ele não estiver contaminado, não o alimente com carne crua ou hortaliças que não estejam bem higienizadas.

Os sintomas da toxoplasmose são comuns para muitas doenças, como febre e calafrios, por isso o acompanhamento durante todo o período de gravidez por meio de exames de sangue é tão importante.

Hospital dos Olhos Santa Catarina

hosc.med.br

(47)3367.0077

Av. do Estado, 1970

Pilates na gravidez

 

Durante o período de gestação, o corpo da mulher passa por diversas mudanças físicas e hormonais que necessitam de uma atenção maior nos cuidados com a saúde, essas mudanças podem gerar dores e desconfortos para a mãe. Para evitar incômodo, o Pilates pode ser um grande aliado nessa fase, amenizando as grandes alterações estruturais e proporcionando benefícios. Confira um rápido bate-papo com a recente mamãe, Alice Brem de Jesus,
praticante do Pilates, desde 2018.

Quais benefícios sentiu com a prática durante a gravidez?
Os maiores benefícios que senti realizando Pilates, fora a parte da mobilidade do corpo, eu não senti dores durante a gestação inteira na lombar. Além disso, me proporcionou uma gestação saudável tanto física como mental. Pois no Pilates trabalhamos muito a respiração. Isso servia como uma terapia para mim.

Como a atividade influenciou no parto e no pós-parto?
O Pilates me ajudou muito na preparação do meu parto, pois trabalhamos bastante fortalecimento e alongamentos da pelves. Isso contribuiu para me manter firme durante todas as horas do trabalho de parto, além do que, me ajudou a suportar a dor das contratações e a me manter mais calma.

O que diria para as mulheres que estão grávidas?
Eu diria o quão é importante se manterem ativas e se exercitando durante a gestação, pois isso ajuda muito a evitar as dores que a gravidez nos traz pelas mudanças em nosso corpo. E para todos as mamães que desejam ter um parto normal, o Pilates trouxe muito equilíbrio para minha vida. Não vejo a hora de dar os 60 dias para retornar ao Pilates.

Por

Cristina Muhlbrandt Keller

Educadora física

Especialista em pilates e em método hipopressivo

Studio Top Pilates

http://www.toppilates.com.br | 47 3045-2444 |   98861-5024

Av. 7 de Setembro, 1005 – Fazenda – Itajaí 

Trombofilia

Apesar de não ser uma doença e sim uma condição, é muito importante saber o que é a trombofilia, principalmente para as mulheres que desejam engravidar. O médico ginecologista e obstetra, Rodrigo Otávio Sarraff Berger explica que a trombofilia é uma situação em que ocorre uma predisposição a ter trombose e riscos cardiovasculares, em que o sangue pode engrossar. Além disso, essa condição é muito comum ocorrer na gestação,
Há duas possibilidades de causas da trombofilia. Uma é a hereditária, quando a condição está ligada a fatores genéticos. A outra é quando essa condição é adquirida. Neste caso, ela pode ser desencadeada por diversos fatores que aumentam a coagulação do sangue, é uma consequência de outras condições clínicas, como: doenças (câncer, síndrome antifosfolípide); imobilização prolongada; uso de medicamentos (terapia de reposição hormonal, anticoncepcional oral); gravidez; puerpério (período de 45 dias após o parto).
Diagnóstico
Em relação a investigação da trombofilia, tanto adquirida quanto hereditária, esta é feita por meio de exames específicos que são capazes de identificar alterações em níveis, por exemplo, de proteínas como a S, quanto mutações ou deleção de alguns dos genes. E como prevenção, o Berger afirma que: “O ideal é que toda a pré-adolescente, que vai iniciar o uso de anticoncepcional combinado com estrogênio, faça uma investigação funcional e
genética”. Essa investigação, feita como prevenção, impediria que jovens passassem por casos de AVC (acidente vascular cerebral) ou trombose, por exemplo, ao usarem anticoncepcional com estrogênio, pois seriam identificadas as que pertencem ao grupo de risco.
Além disso, a importância de investigar logo no início da gravidez é de extrema relevância. O ginecologista nos conta que: “Cerca de 90% das possíveis patologias e complicações obstétricas estão relacionadas a esta parte da coagulação, seja deslocamento ou sangramento no primeiro trimestre, causa de abortamento, diminuição do líquido, envelhecimento da placenta, pré-eclâmpsia e eclampsia. E na maioria das vezes, se for fazer uma investigação, é possível verificar que se tivesse sido investigada antes, poderia ter sido ser tratada”, esclarece.
Sintomas
Quanto aos sintomas, o ginecologista explica que na maioria das vezes são brandos. “Às vezes os sintomas aparecem só depois de uma certa idade, com 40 ou 50 anos, ou então até precocemente, na infância. Crianças que tem muita dor de cabeça e não tem um diagnóstico definido, devem fazer essa investigação também, porque pode ser uma das causas desse problema”. Ressalta. Em muitos casos, a pessoa pode não saber que tem trombofilia até o surgimento de um inchaço repentino, passar a ter abortos frequentes ou complicações durante a gravidez. Também é comum aparecer em pessoas idosas, já que a fragilidade causada pela idade pode facilitar o aparecimento dos sintomas.
Entre os sintomas, o principal é a trombose venosa profunda, que ocorre principalmente nos membros inferiores e provoca os seguintes sintomas:
* Inchaço, geralmente em apenas uma perna;
* Dor na perna ao caminhar, ficar em pé ou em repouso;
* Aumento da temperatura no local;
* Dilatação das veias superficiais;
* Pele azulada ou pálida na área que está inchada e dolorida;
* Dor e endurecimento no trajeto da veia suspeita de ter o coágulo.

Tratamento

O tratamento para a trombofilia é feito com cuidados para se evitar quadros de trombose. Além de uma dieta com alimentos que favorecem o sangue a não engrossar, com acompanhamento de um nutricionista, é feito uso de medicamentos anticoagulantes, que “afinam o sangue”, de maneira a evitar a coagulação sanguínea e, consequentemente, prevenir a formação de trombos. Também durante o tratamento são feitos exames de sangue para avaliar se os anticoagulantes estão fazendo o efeito desejado. É importante também fazer atividades físicas e
uso de meias elásticas compreensivas.

Complicações
A trombofilia quando não tratada pode provocar:
* Trombose venosa profunda e superficial;
* Acidente vascular cerebral;
* Embolia pulmonar, que pode ser fatal;
* Complicações na gravidez (retardo do crescimento fetal, abortamento, perda do feto, início precoce de pré-
eclâmpsia grave, descolamento de placenta).

Curta a gravidez com saúde e beleza seguindo dicas de nutrição e estética

Por Carolina Theilacker Sommerfeld, Nutricionista Funcional e Materno Infantil (CRN10 4033) + Camila Theilacker, esteticista

Atendendo às dúvidas de nossas clientes mamães, falamos aqui sobre os cuidados nutricionais e estéticos que as futuras mamães devem ter para curtir – com saúde e beleza – os momentos únicos e especiais ao gerar um bebê. A gestação é um período único e especial na vida de uma mulher. É justamente em meio a esse borbulhar de emoções e hormônios que surgem também inúmeras dúvidas, especialmente relacionadas à nutrição e à beleza. Afinal, para que seja gerada uma nova vida, muitas transformações ocorrem no corpo da mulher, e elas deixam marcas. Mas, isso não deve ser motivo para ansiedade, afinal, com o acompanhamento nutricional adequado e a manutenção de hábitos saudáveis, além dos mais variados tratamentos estéticos, é possível, sim, para a mulher curtir a maternidade enquanto cuida de si mesma.

Nutrição

O acompanhamento nutricional das gestantes deve ser iniciado tão logo a gravidez seja confirmada, pois o corpo precisa estar saudável para conceber um bebê igualmente cheio de saúde. Esses cuidados vão além de apenas evitar o ganho de peso e podem ajudar a controlar alterações metabólicas como diabetes gestacional, hipertensão, tireoidites e deficiência de vitaminas. Outro ponto positivo de ter um nutricionista acompanhando a gravidez é que, com uma dieta personalizada, as futuras mamães podem minimizar alguns inconvenientes próprios do período, como enjôos, azias, refluxo e desenvolvimento de alergias.

Estética

Quando se trata dos cuidados com a beleza, nem sempre é possível seguir a mesma rotina e usar os mesmos produtos nesse período único e especial. Manchas na pele, melasmas no rosto, flacidez em excesso e as tão temidas estrias são alguns inconvenientes que podem surgir. Neste período, o cabelo, corpo, rosto e as unhas das futuras mamães precisam de cuidados especiais e – tanto a estética corporal como a facial – podem auxiliar para que as grávidas possam passar por esse período de forma mais tranquila.

A drenagem linfática manual é uma grande aliada das gestantes, pois auxilia na diminuição de edemas e alivia dores e desconfortos, especialmente nas pernas. Procedimentos como limpeza de pele, revitalização e hidratação facial também podem ser feitos, com cuidados especiais e produtos formulados, especialmente, para gestantes, livre de ácidos, por exemplo. Após a gestação e os primeiros meses da amamentação, já é possível focar de maneira mais intensa e dar início aos tratamentos para recuperar efeitos indesejados como a flacidez abdominal, que pode ser combatida através de sessões de radiofrequência. Além disso, os tratamentos para amenizar e diminuir estrias e o uso de muitas outras tecnologias como ultrassom, endermologia e técnicas manuais para acelerar a redução de gordura localizada já podem ser usadas para voltar à boa forma.

Saúde de mãe para filho

Durante a gravidez, os cuidados com a alimentação redobram, afinal, um novo ser está em formação e precisa dos melhores alimentos para a garantia da saúde. Comer pelo menos três frutas por dia, incluir saladas variadas nas refeições e beber – no mínimo – dois litros de água diariamente são apenas alguns hábitos recomendados para as gestantes. Para saber mais sobre a importância da alimentação no período da gestação, a Bem-Estar conversou com a nutricionista clínica funcional, Daiani Reis (CRN 10 1826).

A nutricionista destaca que, durante a gestação, através das escolhas alimentares da mãe, é possível trabalhar o paladar do bebê para que ele tenha uma alimentação mais saudável ao longo de sua vida. Para isso, é fundamental evitar alguns alimentos, como os ricos em gorduras e açúcar, e pobres em nutrientes. As melhores opções para o cardápio são as frutas, legumes, verduras e lanchinhos saudáveis.

Outros cuidados importantes citados por Daiani são controlar o consumo de café, devido à quantidade de cafeína, e não ficar longos períodos do dia sem se alimentar, principalmente nas épocas de enjoo. “Em geral, os enjoos são quedas bruscas de açúcar no sangue. Por isso, é importante comer a cada duas horas alimentos que mantêm o açúcar mais constante na corrente sanguínea, por exemplo, alimentos integrais, frutas e gorduras boas (castanha, amendoim e abacate)”, esclarece. A nutricionista recomenda que as mulheres que sentem mais enjoos optem por alimentos que tenham odor menos intenso, mais neutros, e sejam de fácil digestão, como arroz, macarrão e carne grelhada. “Procure um nutricionista para acompanhá-la durante a gravidez. Isso é um importante passo em direção à qualidade de vida, sua e do seu bebê”, finaliza Daiani.

Alimentos aliados:

Frutas.

Saladas (em especial folhas verdes escuras e legumes de cores amarelas e alaranjadas).

Proteína animal (ovos, peixe, frango e carne vermelha) e proteína vegetal (feijão e lentilha).

Gorduras boas (castanhas, amêndoas, amendoim, abacate, azeite de oliva extra virgem).

Carboidrato (batatas, aipim, arroz integral, macarrão integral).

Alimentos vilões:

Alimentos industrializados e ricos em conservantes.

Molho de soja e temperos industrializados.

Alimentos que contêm adoçante na composição.

Refrigerantes, suco de frutas (mesmo os naturais) e bebidas alcoólicas.

Frutos do mar como mexilhões e camarão.

Daiani Reis

Nutricionista Clinica Funcional e Estética

(CRN10 1826)

Clínica Santa Clara – Praia Brava

Mãe do Luiz Antônio

Instagram: @daianireis_nutri

Facebook: Nutricionista daiani reis

Email: daiani.reis@yahoo.com.br

Alimentação da mãe tem influência direta na saúde do bebê

A gravidez costuma ser um período marcado pela alegria, ansiedade e também por inúmeras dúvidas. Com a responsabilidade de gerar uma nova vida, a mulher precisa modificar diversos hábitos, inclusive, na alimentação, o que provoca questionamentos e a possibilidade de vários equívocos.

Nessa fase, as futuras mamães precisam estar bem nutridas, já que influenciam de forma profunda e duradoura a saúde do feto, do recém-nascido e da criança até a idade adulta. Conforme a médica nutróloga Cristiane Molon, a alimentação adequada é essencial para a manutenção da placenta e o transporte de nutrientes entre a gestante e o bebê.

No primeiro trimestre, por exemplo, é importante priorizar alimentos com maior quantidade de nutrientes, vitaminas e proteínas. Para as náuseas, comuns na etapa inicial da gestação, vale consumir alimentos mais secos, gengibre e chás de erva-doce e camomila.

Já nos dois últimos trimestres, segundo a especialista, a criança apresenta ganho de peso e se deve aumentar a ingestão de alimentos nutritivos. “No entanto, é essencial ter cautela na escolha dos alimentos, pois consumir muitos doces, carboidratos e açúcar pode levar ao ganho de peso, inchaço e o desenvolvimento de diabetes gestacional, com riscos para a mãe e o bebê”, explica.

Durante a gestação também é fundamental controlar a quantidade de alimento. “Cuidado com a máxima de comer por dois”, enfatiza a nutróloga. Isso porque, segundo ela, não existe liberação no consumo, mas, sim, atenção redobrada para a ingestão de proteínas, como carnes, peixes, ovos e quinoa, e de micronutrientes, como ácido fólico, ferro, vitaminas A, C e B12 e cálcio.

O ganho excessivo de peso pode ser prejudicial para o bebê e para a criança anos mais tarde. “Estudos vem mostrando que a saúde do adulto pode ser um reflexo das práticas alimentares às quais ele foi exposto durante a vida intrauterina”, comenta. Além disso, esse exagero na balança associado à má alimentação, complicações gestacionais e exposição a substâncias como cigarro, álcool, drogas são capazes de aumentar a predisposição a algumas doenças na fase adulta. Na lista estão a obesidade, o diabetes, as doenças cardiovasculares e a depressão.

DICAS
– Inclua no cardápio alimentos variados para evitar a carência de nutrientes específicos;
– Diminua o consumo de sal. Substitua-o por especiarias, como alho, alecrim, salsa, açafrão e manjericão;
– Ingira líquidos, de preferência, nos intervalos das refeições, evitando a má-digestão. Invista em chás de camomila, erva-doce e cidreira.
– Abandone os refrigerantes, sucos industrializados, chá mate e chá preto (estes contêm cafeína e podem diminuir a absorção de ferro). Evite tomar café. Substitua-o pela versão descafeinada ou por chás;
– Evite consumir saladas cruas em ambientes suspeitos com a qualidade de higienização;
– O hábito de comer doces todos os dias não deve existir. Coma frutas, tome chás com cravo ou canela e faça exercícios físicos para diminuir a vontade de comer doces;
– Pare de comer quando se sentir saciada. Não é feio deixar comida no prato!
– Fique longe de adoçantes artificiais como aspartame e a sacarina. Estudos mostram que eles exercem efeitos negativos na gestação com reflexos na saúde do bebê;
– Consuma alimentos ricos em ômega 3 (truta, sardinha, atum, salmão, semente de linhaça). Os ácidos graxos são importantes para o desenvolvimento neurológico do bebê.
– Exponha-se ao sol, pelo menos, por dez minutos ao dia. Assim, é possível aumentar a síntese de vitamina D, importante para a saúde óssea, coração, sistema imunológico e intestinal.

Foto: divulgação

Sobre a Dra. Cristiane Molon
É médica especializada em nutrologia com pós-graduação em Prática Ortomolecular e Saúde da Família, além de cursar especialização em Medicina do Esporte. Outras informações www.cristianemolon.com.br, www.facebook.com/CristianeMolon ou instagram/dracristiane.molon