Rejuvenescimento em 4 dimensões!

Manter a aparência jovem e reduzir as marcas do tempo são desejos de muitas pessoas. Atualmente existem diversas opções de tratamento com esta finalidade, e normalmente a combinação deles é que traz os melhores resultados.

Dentre as opções podemos utilizar procedimentos a laser, e hoje em dia estão disponíveis equipamentos modernos, altamente eficazes e com pouco tempo de recuperação. O Rejuvenescimento com o laser Fotona 4D® possui particularidades permitindo ao dermatologista atuar em todas as camadas da pele, ou seja, em diferentes profundidades, otimizando os resultados.

Ele combina o uso de duas tecnologias diferentes de laser, o Neodimio YAG e o Erbium YAG, em diferentes modos, como o SMOOTH®, FRAC®, PIANO®, VERSA® e SUPERFICIAL™. O ajuste e modo de uso deste laser são escolhidos de acordo com cada paciente e tipo de pele, ou seja, é um tratamento personalizado. Faz parte desse tratamento a utilização de uma ponteira intraoral para estimular colágeno em camadas mais profundas antes não atingidas com a precisão atual.

Sua principal indicação é para tratamento da flacidez, do relevo e da textura da pele, melhorando também o contorno facial. O tempo se torna um aliado após o tratamento Fotona 4D®, pois ocorre estímulo da produção de colágeno que melhora a firmeza da pele com o passar de alguns meses, ou seja, existe um efeito imediato, mas também com benefícios a longo prazo.

Por não necessitar de tempo de recuperação, pode ser realizado em qualquer estação do ano, inclusive no verão. São indicadas uma a três sessões anuais. O procedimento é rápido, não invasivo, pouco doloroso, normalmente utilizamos apenas anestesia tópica 1 hora antes da aplicação. Não é necessário qualquer preparo prévio e o paciente pode retomar normalmente sua rotina, desde que siga as recomendações logo após o tratamento.

Por

Mariana Flessak | Médica dermatologista

CRM 12389 | RQE 11825

Beleza e saúde: Cuidados diários e produtos específicos fazem parte da rotina de quem está empenhado em cuidar da pele

1) Higienização 

A rotina de cuidados começa sempre pela higiene facial, lembrando que o sabonete do rosto nunca deve ser o mesmo do corpo. A escolha vai depender do tipo de pele da pessoa, seja ela seca, sensível ou oleosa.

A limpeza remove a sujeira, suor, oleosidade e maquiagem, preparando a pele para os cuidados. O ideal é que seja feita duas vezes ao dia, pela manhã e à noite.

2) Tonificação 

O tônico auxilia em uma limpeza mais profunda, restaurando o pH natural da pele, além de prepará-la para receber o hidratante, antiaging ou outro tópico que será usado.

3) Hidratação

Todas as peles precisam de hidratantes, inclusive as oleosas. São eles que repõem a umidade e deixam a pele com aspecto aveludado e macio, além de aumentar a elasticidade.

4) Antioxidantes 

A Vitamina C é essencial pois possui propriedades antioxidantes, ou seja, é capaz de eliminar os radicais livres reduzindo os sinais de envelhecimento. Além disso atua na síntese do colágeno, que é responsável pela elasticidade, firmeza e sustentação da pele. O uso pela manhã, antes do filtro solar, é o mais recomendado.

5) Protetor solar

Use diariamente protetor solar no rosto e no corpo. Além de combater o envelhecimento precoce, o cosmético ainda protege a pele dos efeitos nocivos dos raios de sol que podem provocar câncer de pele. E tem mais: ele também protege contra o aparecimento de manchas, flacidez e rugas.

No dia a dia, devem ser usados produtos com pelo menos FPS 30, reaplicado 3 vezes ao dia. Porém durante exposições mais prolongadas ao sol o fator deve subir para 50 ou mais e a reaplicação de ocorrer a cada 2 horas e após suar e entrar na água.

Hoje temos filtros de qualquer tipo: com base, seco, hidratante, com vitaminas e até alguns que diminuem a oleosidade da pele. Então, não tem desculpa nenhuma para deixar de usar.

E tem um detalhe bem importante: providencie um protetor solar específico para o rosto e outro para o corpo. A pele da face é mais delicada e precisa de um produto que respeite essa diferença.

6) Limpeza de pele

Se realizada por uma esteticista habilitada, ajuda muito.

Ela serve para prevenir a formação de cravos, diminuir o desencadeamento de inflamações (prevenindo as lesões de acne), melhora a circulação, remove as células mortas e facilita a penetração de ativos de dermocosméticos na pele.

Por

Dra. Giane Pelegrini

Médica Dermatologista CRM/SC 11585 RQE 12128

Edifício Seixas Business Tower
Rua Dr. Nereu Ramos, 197 • Sala 805 (esquina com Av. Marcos Konder – ao lado do Hospital Marieta) Centro – Itajaí |SC

(47) 3311-3223 | 98866-8336
http://www.gianepelegrini.com.br
FACEBOOK – @dra.giane.pelegrini
INSTAGRAM – @dra.giane.pelegrini

 

Acne

Acne é o nome que se dá para o que chamamos popularmente de “cravos” e “espinhas”. Trata-se de uma doença de pele que afeta uma estrutura chamada folículo pilo-sebáceo, formada por uma glândula sebácea e por um “canal” em que se forma o pelo.

A acne pode ter influência hereditária, além disso, está relacionada aos hormônios sexuais masculinos ou andrógenos, produzidos tanto em homens quanto em mulheres. A elevação destes hormônios durante a adolescência provoca um aumento da produção de gordura pelas glândulas sebáceas da pele, fazendo com que a doença seja muito comum na fase da adolescência. No entanto, não é exclusiva dessa faixa etária, podendo persistir na idade adulta e, até mesmo, surgir nesta fase, sendo mais frequente em mulheres.

Causas

Sabe-se que quatro fatores são importantes na formação desse quadro:

  • O excesso de óleo (sebo): a glândulas sebáceas produzem oleosidade em excesso.
  • Folículo obstruído: causado pelo sebo que não consegue fluir livremente para a superfície da pele. Se isto acontecer, surge o “cravo”.
  • Bactérias: No ambiente criado dentro do folículo obstruído, uma bactéria chamada Propionibacterium acnes se multiplica transformando o cravo em espinha.
  • Inflamação: As bactérias produzem substâncias inflamatórias que determinarão qual o tipo de acne se desenvolverá.

Como na adolescência a aparência é um fator importante, o comprometimento estético ocasionado pode atingir o lado psicológico e tornar o adolescente inseguro, tímido, deprimido, infeliz, com rebaixamento da autoestima e com cicatrizes que podem persistir pelo resto da vida. Quando necessário, deve ser fornecido suporte psicológico.

TRATAMENTO

É importante buscar ajuda dermatológica, o mais precocemente possível, mesmo se os sintomas forem leves, ou durante os primeiros estágios, pois o tratamento médico é recomendável não só por razões estéticas, mas também para evitar que a condição piore, além de prevenir cicatrizes (marcas da acne) tão difíceis de corrigir na idade adulta. Está ultrapassada a ideia de que não se deve tratá-la por ser considerada “própria da idade”, “de que vai desaparecer com o tempo” ou “de não ser doença”.

O tratamento da acne deve ser orientado por um médico dermatologista, que é o profissional capacitado para indicar os medicamentos ideais para cada caso. Ele varia de acordo com a gravidade do caso e o tipo de pele, e para o tratamento podem ser utilizadas tanto medicações orais, quanto locais.

É importante ressaltar que o tratamento para a acne leva tempo para fazer efeito. A regra geral é de 4 a 8 semanas, embora possa demorar até três meses, e os sintomas podem piorar antes de melhorar. Os pacientes podem desanimar e desistir com facilidade, por isso é importante insistir e manter a rotina, mesmo se não houver uma mudança imediata para melhor.

Independentemente do tratamento escolhido, alguns cuidados com a pele são sempre recomendados. São eles:

– Higienização da pele;

– Remoção diária da maquiagem;

– Uso de produtos oil-free ou não comedogênicos (incluindo o protetor solar).

– Não espremer as lesões! Ao espremer cravos e espinhas, há o risco de infecção, inflamação e cicatrizes.

– A limpeza de pele, que pode ser realizada por esteticistas devidamente capacitadas, tem ação importante para o esvaziamento de lesões não inflamatórias (cravos), evitando a sua transformação em espinhas.

– Apesar de não ter participação na causa da doença, a dieta pode ter influência no curso da acne em algumas pessoas. Dietas ricas em açúcar, leite e seus derivados devem ser evitados pelos pacientes que apresentem acne e percebam agravação dos sintomas após a ingestão dos mesmos.

Por

Dra. Giane Pelegrini

Médica Dermatologista CRM/SC 11585 RQE 12128

Edifício Seixas Business Tower
Rua Dr. Nereu Ramos, 197 • Sala 805 (esquina com Av. Marcos Konder – ao lado do Hospital Marieta) Centro – Itajaí |SC

(47) 3311-3223 | 98866-8336
http://www.gianepelegrini.com.br
FACEBOOK – @dra.giane.pelegrini
INSTAGRAM – @dra.giane.pelegrini

Cuidados com a pele no inverno

No inverno o clima fica mais seco por causa da baixa umidade do ar, deixando nossa pele mais ressecada e áspera. E para nós que moramos no Sul do Brasil, onde o frio é mais intenso, estas mudanças podem ser percebidas facilmente. Além disso, passamos a tomar banhos mais quentes, que reduzem a oleosidade natural da pele contribuindo com a piora do quadro.

Mas é possível passar pela estação mais fria do ano mantendo a pele saudável e bonita com alguns cuidados. Confira algumas dicas:

1) Beba água

A hidratação também é feita de dentro para fora. É comum que no tempo frio, devido a menor perda de água pelo corpo, as pessoas não tomem tanta água como no verão, o que é errado, pois a ingestão diária de água deve ser, em média, de 2 litros. Você pode variar bebendo águas saborizadas, sucos, chás e sopas.

2) Nada de banho muito quente

Evitar banhos muito quentes ou demorados. A água quente pode ressecar ainda mais a pele, que fica mais sensível nesta época do ano.

Evite o uso excessivo de sabonete, principalmente nos braços e pernas, pois em excesso eles retiram a oleosidade natural da pele, deixando-a mais ressecada e suscetível a infecções. O ideal são as versões mais hidratantes e suaves, livres de detergentes ou agentes irritantes.

3) Não esqueça o hidratante

Passar cremes hidratantes logo após o banho é fundamental, e reaplicar conforme a necessidade ao longo do dia. Abuse deles nos locais mais ásperos do corpo como joelhos, cotovelos e calcanhares.

4) Cuidados com os lábios

Os lábios também costumam ressecar muito no inverno. É importante usar hidratantes específicos para essa região e, assim, evitar rachaduras. Dê preferência aos que possuem protetor solar.

5) Use água termal

Para quem acha que é água termal é uma água comum, se engana. Ela é extraída de fontes termais especiais, é rica em minerais e possui propriedades hidratantes, calmantes e regenerantes, que ajudam no cuidado com a pele. A dica é dar uma pequena borrifada no rosto logo após o banho, deixar secar e aplicar um hidratante.

6) Protetor solar também no inverno

Não deixe de usar o protetor solar diariamente. Apesar de os raios ultravioletas estarem menos intensos que no verão, a proteção solar se faz necessária.

7) Boa época para tratamentos estéticos

O lado positivo do inverno é que a ausência de sol forte beneficia diversos tratamentos. É a melhor época do ano para cuidar da pele do rosto, fazendo uso de produtos mais fortes, como o ácido retinóico, que além de estimular o colágeno, atuando no tratamento de rugas, pode corrigir manchas adquiridas com o sol do verão. Também é a época ideal para se fazer peelings químicos, tratamentos a laser e microagulhamento, que tratam manchas, rugas e flacidez.

Agende sua consulta e aproveite para cuidar ainda mais da pele nesta estação!

Por

Dra. Giane Pelegrini

Médica dermatologista 

CRM/SC 11585 RQE 12128

Edifício Seixas Business Tower 

Rua Dr. Nereu Ramos, 197 | Sala 895 – Centro – Itajaí – SC

(47) 3311-3223 / 98866-8336 Whats App

Facebook: Dra. Giane Pelegrini | Instagram: dra.giane.pelegrini

Entenda o que é rosácea e como evitar que ela piore no verão

O verão é um momento problemático para quem sofre de rosácea porque o sol e o clima quente podem agravá-la. É uma doença vascular inflamatória crônica que afeta principalmente mulheres com pele clara entre 30 e 50 anos. É caracterizada por vermelhidão nas bochechas com alternância de períodos de melhora e piora no início do quadro, evoluindo, com o passar do tempo, para vermelhidão fixa na pele, associada à dilatação de pequenos vasos da pele
(telangiectasias), pápulas (bolinhas vermelhas) e pústulas (pontos de pus), sendo que estas últimas podem ser confundidas com espinhas. Esses sinais são acompanhados de sintomas de pele sensível, como queimação e formigamento.

Os efeitos da rosácea vão além dos problemas de pele – existe um importante componente emocional da doença. Em uma pesquisa recente feita pela Sociedade Nacional de Rosácea, nos Estados Unidos, com cerca de 500 pessoas portadoras desta patologia, 42% relataram se sentir tristes ou deprimidas devido a aparência de suas peles. Mais de 76% dos entrevistados disseram que a rosácea diminuía sua autoestima e cerca de 50% já faltaram ao trabalho por conta dos sintomas graves da doença.

Fatores desencadeantes
A origem da rosácea ainda é desconhecida. Há uma predisposição individual (mais comum em brancos), que pode ser familiar (30% dos casos têm uma história familiar positiva), evidenciando uma possível base genética. Além disso, alguns fatores podem desencadear ou piorar a rosácea, aumentando o fluxo de sangue para a superfície da pele. São eles:

• Exposição a temperaturas muito altas ou muito baixas
• Exposição ao sol
• Bebidas quentes
• Alimentos picantes
• Bebidas alcoólicas
• Atividade física intensa
• Irritação da pele por maquiagem, cremes ou outros produtos de uso tópico
• Estresse, ansiedade ou nervosismo
• Banhos quentes ou saunas

Tratamento
Embora seja uma doença que não tem cura, a rosácea é bem controlada, desde que seja feita à procura precoce pelo dermatologista, a instituição do tratamento correto, o acompanhamento dermatológico frequente e, principalmente, a adesão do paciente ao que lhe foi prescrito, assim como a não exposição aos fatores agravantes/desencadeantes.

O primeiro passo é a proteção. É essencial usar protetor solar com FPS acima de 30 e reaplicá-lo a cada duas horas. Seu uso é necessário para evitar que os raios solares estimulem a inflamação da pele.

Em relação aos cuidados, o dermatologista avaliará o grau para indicar o melhor tratamento. Para quem apresenta apenas vermelhidão, é possível utilizar medicamentos de aplicação na pele com ativos calmantes que melhoram o processo inflamatório. Em quadros mais avançados, o médico pode recomendar medicamento oral. O laser ou luz pulsada também podem ser usados como forma de tratamento para destruir os vasos dilatados.

Em casos persistentes e recidivantes é possível o uso de isotretinoína (o conhecido “Roacutan”) que exige cuidado redobrado com o uso de protetor solar, já que a substância deixa a pele ainda mais sensível à luz.

Como a pele com rosácea é muito mais sensível a produtos cosméticos, é importante ter cuidado com o uso de substâncias que contêm ácidos e álcool. Os cosméticos permitidos são as linhas específicas para peles sensíveis, mas com tendência à oleosidade. Quem gosta de maquiagem para disfarçar a vermelhidão do rosto deve preferir produtos hipoalergênicos, corretivo e base em tom verde, que neutraliza a cor vermelha da rosácea. Outra ótima
dica é adicionar à rotina de beleza a água termal, pois ela possui ação anti-inflamatória e acalma a pele.

Por

Dra. Giane Pelegrini

Edifício Seixas Business Tower
Rua Dr. Nereu Ramos, 197 | Sala 805 | Centro | Itajaí – SC
(47) 3311-3223
WhatsApp: (47) 98866-8336

A poluição é um inimigo oculto para a nossa pele!

Ela aparece de diversas formas, poeira, fumaça, fuligem, radiação, luzes, e a ciência agora começa a desvendar o impacto da poluição em nossas peles e a sua relação com o envelhecimento cutâneo. A poluição ambiental causa modificações na pele por diversos mecanismos, contribuindo para o envelhecimento precoce.
A poluição ambiental modifica negativamente o aspecto da pele através, principalmente, de três mecanismos:  geração de radicais livres, indução de resposta inflamatória e alteração da microbiota (conjunto dos microrganismos que habita nossa pele) cutânea. Estamos sempre expostos a poluentes nas cidades, principalmente a materiais particulados que podem se acumular ou até penetrar na pele, causando alterações significativas por produzirem
grandes quantidades de radicais livres e espécies reativas de glicação avançada (caramelização de proteínas da nossa pele), acelerando o envelhecimento cutâneo e estimulando condições inflamatórias.
E um fato que não podemos negligenciar é que a época em que vivemos é de extrema poluição, estamos imersos neste ambiente nocivo e a nossa pele pede por formulações poderosas e inovadoras – cientificamente comprovadas – que apostem no combate aos danos causados a pele por estes fatores externos. Consumidores dos Estados Unidos e Europa estão cada vez mais preocupados e atentos aos efeitos do ambiente na pele, ressaltando a importância de
ativos protetores cutâneos.
A Bioqualis antenada nas inovações e preocupada com a saúde da sua pele, traz diversos ativos com ação antipoluição que podem tornar a sua fórmula muito mais completa. Estes ativos podem compor seu hidratante de uso diário, o seu filtro solar e até a sua máscara de tratamento semanal.
– Filmexel (Galena): é um biopolímero que forma uma película resistente, flexível e não oclusiva que barra os
materiais particulados do contato com a pele, além de uniformizar o filtro solar e melhorar a aparência da pele.
– Charcoal Mask (Galena): máscara com carvão ativado e alginatos, esta máscara proporciona purificação, eliminação
das impurezas e toxinas da pele, além de reduzir poros e oleosidade, favorecendo maciez e luminosidade imediata.
– OTZ 10 (Biotec): é uma molécula que tem a capacidade de neutralizar os danos gerados pelas espécies reativas de
oxigênio, nitrogênio e carbonila desde a epiderme até a derme, por meio de uma ação detoxificante, realizando uma
proteção mais eficaz e complementando a ação dos filtros solares que tem a sua ação restrita a epiderme.
– Pollushield (Galena): polímero com propriedades quelantes de metais, ajuda a impedir o acúmulo de metais na
pele.
– I Defender (Galena): neutraliza os efeitos da radiação eletromagnética (luz visível) sobre a pele, protetor cutâneo
para quem usa excessivamente o celular, computador.
– Alistin (Biotec): ação deglicante sobre a pele, prevenindo o envelhecimento.

Consulte seu dermatologista e/ou uma de nossas farmacêuticas e crie um escudo de proteção para a sua pele com as formulações desenvolvidas pela Bioqualis.

Por

Bioqualis

Manipulação e homeopatia

Rua: Lauro Muller, 950 – Sala 4 –  Fazenda – Itajaí SC

47 21253999

Instagram: bioqualis 

http://www.bioqualis.com.br

Luz intensa pulsada

A Luz intensa pulsada é um equipamento estético que utiliza uma luz intensa de disparo de flashes, possuindo diferentes tipos de aplicações, como fotodepilação, tratamentos de foliculite, hipercromias, acne, rejuvenescimento, rosácea, telangiectasias e estrias.

A maior parte da luz emitida é absorvida pelos cromóforos (células fotossensíveis à luz) presentes na pele, como a melanina, a oxi-hemoglobina, água e o colágeno. A absorção da energia na pele deriva da conversão da luz em calor e depende do comprimento de onda da luz emitida e do cromóforo atingido.

A luz intensa pulsada é um tipo de tratamento semelhante ao laser, que pode ser usado para remover manchas na pele, combater rugas e linhas de expressão, além de remover definitivamente os pelos indesejados por todo o corpo, especialmente rosto, peito, abdômen, braços, axilas, virilhas e pernas.

Essa técnica também é indicada para remover as manchas escuras da pele, especialmente causadas pela exposição solar e aos raios ultravioletas. O tratamento com a luz pulsada clareia a pele, aumenta em 50% a quantidade de fibras de colágeno e elastina deixando a pele mais firme e menos flácida, além de aumentar também a presença de pequenos vasos na pele, que melhoram a oxigenação sanguínea local.

As linhas de expressão também podem ser atenuadas com o uso do aparelho de luz pulsada, porque este tratamento promove o aumento das fibras de colágeno e elastina que dão sustentação à pele e que, normalmente, tem sua produção diminuída com a idade, a partir dos 30 anos.

O aumento dessas células é progressivo, por isso, após cada sessão de tratamento, as células continuam sendo produzidas naturalmente pelo corpo no período de três a 12 meses, e por isso os resultados não são imediatos, mas se mantêm por longos períodos.

Indicações da luz pulsada:

Hipercromias;

Rosácea;

Telangiectasias;

Acne;

Epilação duradoura (fotodepilação);

Foliculite;

Rejuvenescimento com estimulação da produção metabólica de colágeno e elastina;

Estrias.

 

Essa técnica elimina também as espinhas quando são utilizadas as luzes verde ou vermelha do equipamento. Enquanto a luz verde elimina a bactéria que está relacionada à acne, que é a Propionibacterium acnes, a luz vermelha combate a inflamação, que é importante para a destruição completa desta bactéria.

No entanto, não se pode utilizar a luz pulsada quando a pessoa utiliza Roacutan (Isotretinoína), corticóides, ácido acetilsalicílico, anti-inflamatórios não hormonais, fotossensibilizantes e também na pele bronzeada. Para isso, há outras opções de tratamento.

A pele avermelhada e a presença de pequenos vasinhos de sangue, que afeta principalmente as bochechas, pode indicar um problema de pele chamado rosácea, e estes pequenos vasinhos no nariz indicam Telangiectasia, e ambos podem ser solucionados com um tratamento com luz pulsada, porque a luz e a energia emitidas pelo aparelho promovem uma melhor reorganização das células e distribuição dos pequenos vasinhos de sangue. 

Por

Priscilla Motta.

Ágape Saúde & Estética, de Balneário Camboriú.

(47)3360.8028  3360.8571

agapesaudeeestetica.com.br

Como preparar a pele para a maquiagem no Inverno

Especialista dá dicas de como preparar a pele para a maquiagem no Inverno
Coordenador do curso de Make Up Design do Centro Europeu de Curitiba, Pablo Inisio, mostra alternativas para deixar a pele perfeita nos dias mais frios

O Inverno está chegando e uma das partes do corpo que mais sofre com os impactos da queda de temperatura é a pele. Se no Verão a preocupação é com os efeitos do sol, durante a estações mais geladas do ano um dos principais problemas é o ressecamento. Causado pela exposição ao vento e os banhos com água muito quente, a falta de hidratação, acaba provocando um aspecto descamado até mesmo em peles mais oleosas, o que dificulta muito na hora de preparar o rosto para a maquiagem.

O maquiador e visagista Pablo Inisio, coordenador do curso de Make Up Design do Centro Europeu de Curitiba, tem alguns truques para que as agressões do frio não atrapalhem o visual e a qualidade das makes “A primeira dica sem dúvida é manter a pele sempre muito bem hidratada. Buscar evitar o ressecamento com produtos específicos para a cútis, porque além de impedir o aspecto craquelado na hora da make, quanto mais hidratada a pele estiver mais tarde ela vai envelhecer, devido a elasticidade preservada pela oleosidade”. O especialista ainda lembra que é interessante usar uma base adequada ao clima do Inverno. “O ideal é procurar uma base mais cremosa com propriedades hidratantes que vão colaborar para deixar a pele mais saudável e bonita”, acrescenta.

Outra dica para uniformizar a pele e deixar a make impecável é lembrar de sempre higienizá-la antes de aplicar a maquiagem. “É importante lavar bem e tonificar a pele para eliminar todas as possíveis impurezas. Os três pilares higienizar, tonificar e hidratar vão garantir um aspecto homogêneo e agradável para a pele mesmo nos dias mais frios”, comenta Pablo Inisio. Quanto a finalização da pele, uma das maiores dúvidas no Inverno é sobre a utilização dos pós compactos, que podem gerar uma aparência ressecada para o rosto em climas mais gelados, mas o especialista garante que o truque está no produto certo. “As bases em pó são uma ótima opção pois não tem a consistência tão fragmentada quanto os pós comuns, além de possuir proteção solar e hidratação, o que ajuda a finalizar a pele e deixar a make linda e firme”, completa.

TRATAMENTO FACIAL É INDICADO NO INVERNO

Esteticista indica os melhores tratamentos para a pele durante a estação

O inverno é a estação do ano mais indicada para os tratamentos estéticos. Isso acontece porque a pele fica mais sensível a ação dos tratamentos e tem uma recuperação mais rápida. Além disso, a baixa incidência de raios solares viabiliza os procedimentos, potencializando os resultados.

Segundo a esteticista Mirella Cardoso, os tratamentos estéticos que mais dão resultados no inverno são os que combatem rugas, machas no rosto, gordura localizada e a flacidez.

“Independente da idade, é preciso que todos tenham um pouco mais de cuidado com a pele nesta época do ano. O clima frio e a água quente do banho provocam um choque térmico, fazendo com que a pele fique mais ressecada”, alerta Mirella.

A especialista indica o uso de hidratantes específicos para a área do rosto e do corpo. Mas, para quem deseja um tratamento mais eficaz, existem alguns procedimentos que são favoráveis nesse período.

“Além da limpeza de pele, que reequilibra o PH da pele, melhora a aparência geral e renova os tecidos, os tratamentos a laser e os peelings são bastante indicados”, explica.

O peeling é uma esfoliação da pele, que remove as células mortas e estimula a produção de colágeno. Recomendado no inverno pela menor exposição solar, evitando assim o aparecimento de manchas.

Outra orientação é a aplicação de vitamina C. Segundo Mirella, depois de todo o sol do verão e com as temperaturas mais baixas a pele fica desidratada e sem brilho. Por isso, a aplicação de vitamina C é fundamental. “Este tratamento promove o clareamento tecidual e ainda age como antioxidante, reduzindo pequenas rugas e vincos. Também prepara a pele para o verão seguinte”, comenta a especialista.

A esteticista alerta também para o uso do protetor solar mesmo em dias que o sol não apareça. Isso previne o envelhecimento precoce e protege contra câncer de pele e outras doenças mais graves.

Entenda a sua pele

Você sabia que a pele é o maior órgão do corpo humano? Ela é responsável por proteger o corpo das agressões externas, compor a boa saúde e é fundamental para a aparência.

A estrutura da pele é dividida em três importantes camadas e Bepantol® Derma explica a função de cada uma delas:

Epiderme: é a camada mais superficial da pele e age como uma barreira protetora contra os danos externos, chamada de estrato córneo, além disso, protege contra a entrada de substâncias nocivas e micróbios no organismo e dificulta a perda de água, evitando a desidratação. É nessa camada que o pigmento da pele é produzido, a melanina.

Derme: é a camada intermediária – constituída por fibras de colágeno, elastina, grande quantidade de vasos sanguíneos e terminações nervosas –, responsável pela elasticidade, sensibilidade e equilíbrio da pele.

Hipoderme: é a última camada, a mais interna, formada basicamente por células de gordura, que mantém a temperatura corporal e acumula energia para o desempenho das funções biológicas.

Para ter uma pele sempre saudável e viçosa, a hidratação é essencial e os produtos da linha Bepantol® Derma ajudam nesse cuidado. Bepantol® Derma Solução Spray pode ser usado tanto no rosto quanto no corpo e, com apenas algumas borrifadas, auxilia rapidamente e de forma prática a reposição da água perdida. Já o Bepantol®Derma Creme é indicado para hidratar as áreas mais ressecadas e de atrito constante, como pés, joelhos, cotovelos e calcanhares.