Caminhe na direção da felicidade

*Gustavo Arns

O primeiro trimestre de um ano é sempre um momento onde grande parte das pessoas buscam traçar novas metas e objetivos para cumprir nos próximos meses. Promessas como “neste ano vou começar a frequentar a academia”, “vou buscar uma promoção no trabalho” e “vou me alimentar e dormir melhor do que no ano passado” foram pronunciadas, sem dúvida alguma, milhões de vezes pelos brasileiros. Todos esses “compromissos mentais” de início de ano acabam direcionados para um objetivo: ser feliz.

Tão difícil quanto definir o que é felicidade, é saber como atingir a idealização social que temos do que é ser feliz. A definição do termo pelo especialista em psicologia positiva e professor da aula mais concorrida de Harvard, Tal Bem Shahar, diz que a felicidade é, na verdade, a combinação de bem-estar físico, espiritual, intelectual, relacional e emocional. O equilíbrio entre esses aspectos é que irá definir se estamos caminhando em direção aos nossos objetivos.

Bem-estar físico: começamos a pensar em fatores como: qualidade do sono, hábitos alimentares, exercícios físicos. Esse tipo de cuidado básico que o corpo humano necessita para estar em harmonia, muitas vezes são deixados de lado no estilo de vida que vivemos hoje, com multitarefas e inúmeros afazeres que parecem nunca estarem concluídos. É necessário dar a atenção necessária ao bem-estar físico, pois ele será um dos grandes responsáveis pela nossa capacidade de concluir as nossas metas nos demais campos de ação.

Bem-estar intelectual: é também muito importante refletir a respeito do nosso bem-estar intelectual. Analisar se de fato estamos buscando conhecimento em áreas que gostaríamos de ter ou que já temos domínio, mesmo que não estejam necessariamente ligadas a um objetivo profissional. Sentir que o aprofundamento em algum tema está nos trazendo uma construção de sabedoria e conhecimento impacta diretamente na realização de felicidade.

Bem-estar relacional e emocional: no aspecto relacional e emocional, é preciso refletir em como estão os relacionamentos, se o nosso círculo de amizades tem sido algo construtivo e importante, se são pessoas confiáveis e que existe um sentimento verdadeiro mútuo. Um ambiente seguro, onde se possa ser quem realmente é, sem a necessidade de performar um papel que não é seu. Avaliar se você está dedicando um tempo de qualidade para essas pessoas que são significativas na sua vida, estando presente de verdade e se importando com eles da forma correta. Como, por exemplo, desfrutar de uma boa companhia em um jantar agradável sem concentrar os pensamentos em alguma conta para pagar, uma situação estressante do dia ou em mensagens no celular.

Bem-estar espiritual: o bem-estar espiritual é uma avaliação sobre a sua real presença nas atividades que você se propôs a realizar. Estar focado no presente nem sempre é uma tarefa fácil, mas a concentração em desfrutar e aproveitar o momento fará toda a diferença na sua percepção do presente e afetará positivamente suas realizações para o futuro.

É preciso ter um olhar cuidadoso para as sensações do nosso corpo, a forma como você está se sentindo, a vitalidade que você tem tido para realizar as tarefas e demais sintomas que possam surgir e afetar seus objetivos. A partir daí, é possível construir boas metas pessoas e profissionais, focando na direção certa para você quer caminhar neste ano de 2019. Entenda qual é o seu grande objetivo a longo prazo e quais são as pequenas realizações que vão te fazer atingir ele. Traçar metas semestrais, mensais, semanais e diárias que te auxiliem a construir uma possibilidade factível de chegar onde você almeja.

Dentro disso, tem mais uma colocação da psicologia positiva que podemos acrescentar, que o aspecto profissional é uma das esferas humanas, mas que por diversas vezes podemos acabar depositando toda nossa esperança de ser feliz nisso e acabar nos frustrando constantemente. Claro que a realização material é importante e até linhas espirituais vem afirmando que não existe problema em galgar um caminho de conforto, para que tenha uma vida prazerosa e com condições de realizar os sonhos pessoais.

A necessidade de ser feliz que encaramos constantemente na nossa realidade, faz com que estejamos sempre em busca disso e não se pode deixar que os momentos de tristeza, amargura, raiva e sofrimento nos façam desistir do que buscamos. Compreender essas sensações e aceitá-las, faz com que possamos passar pelas dificuldades mais rápido e estejamos mais preparados para construir um futuro como planejado.

*Gustavo Arns é idealizador do congresso internacional da felicidade e coordenador do curso “GBA da Felicidade: Transformando pessoas e organizações”, promovido pelo ISAE Escola de Negócios (www.isaebrasil.com.br

 

Terapia de Casal

O relacionamento amoroso é um sistema muito importante para o ser humano e bastante complexo por se tratar da união entre duas pessoas que em geral são muito diferentes. Justamente por isso é um sistema que pode gerar muitas aprendizagens e amadurecimento para os envolvidos.

Cada etapa do ciclo vital traz consigo situações que geram novos desafios, por exemplo, a chegada dos filhos, mudança de cidade, troca ou perda do emprego, doenças, crises relacionais, etc.

A terapia de casal pode ser uma ferramenta muito útil nesses momentos de crise. O terapeuta pode auxiliar o casal a tomar consciência das mudanças necessárias a serem feitas naquele momento do ciclo de vida dos cônjuges para que encontrem caminhos mais funcionais para solução de problemas.

Vale a pena ressaltar que a terapia de casal é para casais casados, mas também para casais que estão noivos ou namorando.

A psicoterapia trabalha de forma preventiva, quanto mais cedo o casal fizer descobertas a seu respeito eliminando pontos de tensão e de desentendimentos buscando equilíbrio e desenvolvendo respeito e empatia, melhor.

Cláudia Maria Piasecki
Psicóloga Clínica
CRP 08/10847

Perdoar não é nada disso

Precisei viver, na prática, uma infelicidade constante para entender o que me acontecia sempre que eu escolhia não perdoar; e na minha nova obra, “Perdão – A Revolução que Falta”, eu compartilho tudo o que aprendi sobre esse assunto. Dentro dos paradigmas em que a grande maioria de nós foi criada (e que continuam prevalecentes na educação de nossas crianças), o perdão é um ato quase sublime. Perdoam aqueles que evoluem espiritualmente. Que alcançam um determinado nível de bondade, de sabedoria, de amor ao próximo. Ou, por outro lado, há quem julgue que perdoam aqueles que são fracos. Os que se submetem às ações alheias, que não reagem, que não se impõem, que relegam ao outro o direito de lhes magoar novamente.

A confusão é tanta que, bem, tenho que lhe dizer: PERDOAR NÃO É NADA DISSO! Precisei viver, na prática, uma infelicidade constante para entender o que me acontecia sempre que eu escolhia não perdoar. Aliás, agora que toquei no assunto, é importante que você saiba desde já: perdoar é uma escolha, uma decisão que só você pode tomar para a sua vida. E a grande revolução é que, a partir do perdão, você promove mudanças fundamentais e estruturais em seu comportamento para viver melhor tanto no aspecto pessoal, como no profissional.

O que a Felicidade tem a ver com Perdão:

Alguns anos atrás lancei “O Mapa da Felicidade”, que se tornou um best-seller e me trouxe uma gratidão sem tamanho. Mas, desde antes, tinha o desejo de trabalhar também com um outro tema. Um sonho antigo que, agora em maio, tenho a honra de realizar com o lançamento da minha segunda obra, “Perdão – A Revolução que Falta”. Os dois temas têm absolutamente tudo a ver, mas a maior parte das pessoas não consegue imaginar como ou por que eles estão relacionados. O desejo e a busca incessantes pela felicidade têm nos movido enquanto indivíduos e enquanto sociedade; todos nós QUEREMOS ser felizes, embora nem sempre saibamos o que isso significa. Em outras palavras, a felicidade se transformou num sentimento concreto e desejável, uma meta de vida, enquanto o perdão parece algo muito distante – e, às vezes, até sem importância ou algo a ser evitado.

Por que perdoar é uma questão de inteligência:

A ciência já comprovou que, quando nos recordamos de acontecimentos “imperdoáveis” do passado, nosso cérebro reage a essas memórias como na primeira vez. Ou seja, ele entende que estamos revivendo aquela situação negativa e nos faz sentir tudo de novo. Em curto prazo, os resultados disso são o aumento nos níveis de estresse e da pressão arterial; em longo prazo, esse processo está associado ao surgimento de problemas cardiovasculares, diabetes e câncer. Portanto, perdoar faz bem para a saúde, mas não é só isso. Quando nos libertamos dos nossos rancores e mágoas, saímos de uma espécie de fechamento mental que limita nosso sucesso em qualquer âmbito da vida. Isso acontece porque o não-perdão nos deixa aprisionados ao círculo vicioso (e quase sempre inconsciente) da vingança e da autovingança.

E esse é outro aspecto relacionado ao perdão que, via de regra, a maior parte das pessoas rejeita: a consciência de que se é vingativo. Ninguém quer ser reconhecido ou se reconhecer desta forma, mas a verdade é que todos nós, invariavelmente, praticamos algum tipo de vingança. Nós o fazemos porque queremos que o outro pague pelo o que causou, sem perceber que somos os únicos atingidos e prejudicados por nosso próprio comportamento.

E isso não acontece só diante de grandes acontecimentos, mas, principalmente, em relação a episódios cotidianos. As pequenas coisas, como uma fechada no trânsito ou uma discussão boba com o parceiro, são capazes de nos tirar tanto do sério, que, sem perceber, deixamos que estraguem nosso dia! Já aconteceu com você? Se sim, então, deixe-me dizer: isso também é uma maneira de se vingar.

Estou lhe contando tudo isso porque, bem, gostaria muito de tê-lo como leitor da minha nova obra. Nela, eu conto como eu mesma revolucionei e transformei a minha vida a partir do perdão. Aliás, mais que isso, você vai entender por que o PERDÃO É A REVOLUÇÃO QUE FALTA.

Esse é meu convite, meu pedido para que você tome a mesma decisão que eu tomei e ainda tomo diariamente. O meu desejo é que possa se ver livre das negatividades do passado para que tenha a oportunidade de viver um novo presente e construir o futuro que deseja!

Sobre a diretora do Centro Hoffman no Brasil, Heloísa Capelas

Heloísa Capelas é especialista em Autoconhecimento e Inteligência Comportamental e diretora do Centro Hoffman no Brasil. Palestrante, coach, master practitioner em PNL, autora do best-seller “O Mapa da Felicidade” e de “Perdão, a Revolução que Falta”, coautora de mais sete livros sobre Gestão de Pessoas, Liderança e Inteligência Feminina.

Sobre o Centro Hoffman

Fundado em 1978, o Centro Hoffman promove a reeducação emocional e o desenvolvimento da inteligência comportamental por meio do Autoconhecimento. Localizado no Alto da Lapa, em São Paulo, a instituição possui licença internacional para aplicar o Processo Hoffman no Brasil, que consiste em um programa educacional psicoemocional intensivo com efeitos positivos comprovados cientificamente pela Universidade da Califórnia (EUA) e ministrado em mais 14 países.

Processo Hoffman e seus Resultados Científicos

A Metodologia Hoffman tem qualidade reconhecida por centros acadêmicos de excelência*, como a Universidade da Califórnia (EUA) que destacou aumentos relevantes em Inteligência Emocional, satisfação de vida, compaixão, vitalidade e perdão combinados com reduções duradouras e significativas em aspectos como depressão, ansiedade e tendências compulsivas.

O estudo, publicado no jornal científico Explore, concluiu que na literatura mundial nenhuma outra intervenção ou tratamento produziu reduções significativas e duradouras nos aspectos negativos individuais, enquanto, simultaneamente, aumentou as características positivas.

Outros estudos também foram realizados em renomadas instituições ao redor do mundo, como a Universidade de Pittsburgh (EUA), Universidade de Münster (Alemanha) e Universidade Harvard (EUA).

*Veja também pesquisas disponíveis no site Hoffman Institute International (em inglês).

http://www.hoffman-international.com/media-research/research

http://www.centrohoffman.com.br