A maravilhosa costela bovina

Em minha singela opinião, é de longe a parte mais saborosa do boi. Por estas plagas é quase sempre associada ao churrasco. Seja enrolada no papel alumínio, “esquecida” no canto da churrasqueira – fiz muito assim – ou no fogo de chão. Sei que de um modo geral a gauchada assa muito bem uma costela, portanto vamos falar sobre os tipos de costela e suas variadas formas de preparo.

Prime rib: como o próprio nome diz, é a melhor parte da costela sendo bastante macia e marmorizada. Ideal para ser feita na sauteuse ou na grelha da churrasqueira em fogo bem quente. No máximo 6 minutos de cada lado e caso o osso tenha mais de 30 centímetros, é chamado de Tomahawk. Ambos são saborosos por si só fazendo com que a guarnição seja mera coadjuvante. Se quiser “enfeitar o pavão”, sirva sobre a carne um molho à base de mostarda de Dijon acompanhado de batata rosti. Caso queira você também pode utilizá-la para fazer uma versão contemporânea do bife a cavalo. Leve ao fogo uma frigideira de fundo grosso, esquente um pouco de azeite com manteiga, tempere com sal e pimenta do reino e grelhe por 6 ou 8 minutos de cada lado, dependendo do ponto desejado. Sirva sobre ela dois ovos estrelados e acompanhe com batatas chips.

Ripa de costela: em minha opinião a melhor para assar, mas seu cozimento deve ser longo, no mínimo umas seis horas envolta em papel celofane e papel alumínio, depois recomendo mais meia hora fora do fogo para que seus sucos se espalhem. Excelente também para moer e fazer deliciosos hambúrgueres. Devido ao seu sabor forte, é comum fazer um blend com outras carnes – patinho, coxão mole etc.  – com ótimos resultados. A ripa quando cortada em tiras é muito boa para grelas rapidamente em fogo alto. Por último, ela também se presta e muito para ensopados. Na hora de comprar a costela tem de se levar em conta dois fatores: qual prato farei com ela e qual o sabor que eu quero.

Se a ideia for uma prime rib ou um assado de tiras o ideal é um boi novo – ossos mais finos, gordura mais clara – e de uma boa raça tipo angus ou hereford. Se for para fazer um churrasco eu não vejo problema algum em comprar uma costela de boi velho. O que acontece é que vai levar mais tempo para assar e o sabor certamente será mais acentuado. Idem para um hambúrguer e finalmente para os guisados ou assados de panela tanto a idade do boi como a raça são absolutamente indiferentes. Se acaso alguns leitores torcerem o nariz para essas informações, paciência. É impossível agradar a gregos e troianos.

Dessa vez vou lhes deixar com uma ótima receita que eu fiz ontem: costela assada de panela ao molho de vinho tinto com fetuccine. 3kg de ripa de costela; sal/pimenta do reino e cominho; 6 tomates picados sem pele e sementes- pode usar duas latas de tomate sem pele – 4 cebolas picadas; 2 cabeças de alho picados; louro, 1 garrafa de vinho tinto. Modo: corte as costelas junto aos ossos e tempere. Leve ao fogo uma panela de fundo grosso, esquente um pouco de óleo e doure a costela. Retire a carne e refogue o alho e a cebola por uns 15 minutos em fofo baixo, mexendo sempre. Junte os tomates e refogue por mais 5 minutos. Junte a carne misture bem, ponha as folhas de louro e o vinho tinto, reduza até quase secar. Cubra com água e deixe cozinhar em fogo baixo. À medida que for secando pingue mais água e junte um maço de salsinha picada e ½ maço de coentro – opcional -. Vez por outra espete a carne com um garfo, ela deve estar soltando do osso e bem macia. Esse preparo leva em torno de umas três horas. Você pode usar a panela de pressão, mas o resultado nunca será o mesmo, uma vez que o cozimento lento apura o sabor. Por último, ponha 2 cenouras grandes e grossas em rodelas, depois de macias desligue o fogo e deixe descansar por uma hora. Na hora de servir cozinhe o fetuccine e sirva a seguir. Ontem eu escoltei esse prato com um bom Chianti. Uma outra boa opção é um Tannat. Bom apetite a todos!

Por

Renato Justo

Chef de Cozinha

Microfisioterapia e a fibromialgia

Você sabe o que é Fibromialgia? Ela caracteriza-se por dor crônica que migra por vários pontos do corpo e se manifesta especialmente nos tendões e nas articulações. Trata-se de uma patologia relacionada com o funcionamento do sistema nervoso central e o mecanismo de supressão da dor que atinge, em 90% dos casos, mulheres entre 35 e 50 anos. Além disso, a dor da fibromialgia pode ser intensa e incapacitante, e não provoca inflamações nem deformidades físicas.

Para quem sofre com essa patologia, a Microfisioterapia pode ajudar. Sim, esta técnica francesa, de toques sutis que desbloqueia memórias que estão armazenadas no corpo, vem apresentando ótimos resultados no tratamento da fibromialgia. Para isso, são realizadas sessões de 30 em 30 dias onde o corpo se ajusta e aos poucos vai diminuindo os sintomas de dor.

Por

Dra. Virgínia Bastos Herpich

Fisioterapeuta / Microfisioterapeuta

Balneário Camboriú

Rua: 300, 170, Sala Térrea

Tel: 47.3360-8686 / 9929-8686

Itajaí

Atendimento domiciliar

Tel: 47 99145-0904

Cuidados com a pele no inverno

No inverno o clima fica mais seco por causa da baixa umidade do ar, deixando nossa pele mais ressecada e áspera. E para nós que moramos no Sul do Brasil, onde o frio é mais intenso, estas mudanças podem ser percebidas facilmente. Além disso, passamos a tomar banhos mais quentes, que reduzem a oleosidade natural da pele contribuindo com a piora do quadro.

Mas é possível passar pela estação mais fria do ano mantendo a pele saudável e bonita com alguns cuidados. Confira algumas dicas:

1) Beba água

A hidratação também é feita de dentro para fora. É comum que no tempo frio, devido a menor perda de água pelo corpo, as pessoas não tomem tanta água como no verão, o que é errado, pois a ingestão diária de água deve ser, em média, de 2 litros. Você pode variar bebendo águas saborizadas, sucos, chás e sopas.

2) Nada de banho muito quente

Evitar banhos muito quentes ou demorados. A água quente pode ressecar ainda mais a pele, que fica mais sensível nesta época do ano.

Evite o uso excessivo de sabonete, principalmente nos braços e pernas, pois em excesso eles retiram a oleosidade natural da pele, deixando-a mais ressecada e suscetível a infecções. O ideal são as versões mais hidratantes e suaves, livres de detergentes ou agentes irritantes.

3) Não esqueça o hidratante

Passar cremes hidratantes logo após o banho é fundamental, e reaplicar conforme a necessidade ao longo do dia. Abuse deles nos locais mais ásperos do corpo como joelhos, cotovelos e calcanhares.

4) Cuidados com os lábios

Os lábios também costumam ressecar muito no inverno. É importante usar hidratantes específicos para essa região e, assim, evitar rachaduras. Dê preferência aos que possuem protetor solar.

5) Use água termal

Para quem acha que é água termal é uma água comum, se engana. Ela é extraída de fontes termais especiais, é rica em minerais e possui propriedades hidratantes, calmantes e regenerantes, que ajudam no cuidado com a pele. A dica é dar uma pequena borrifada no rosto logo após o banho, deixar secar e aplicar um hidratante.

6) Protetor solar também no inverno

Não deixe de usar o protetor solar diariamente. Apesar de os raios ultravioletas estarem menos intensos que no verão, a proteção solar se faz necessária.

7) Boa época para tratamentos estéticos

O lado positivo do inverno é que a ausência de sol forte beneficia diversos tratamentos. É a melhor época do ano para cuidar da pele do rosto, fazendo uso de produtos mais fortes, como o ácido retinóico, que além de estimular o colágeno, atuando no tratamento de rugas, pode corrigir manchas adquiridas com o sol do verão. Também é a época ideal para se fazer peelings químicos, tratamentos a laser e microagulhamento, que tratam manchas, rugas e flacidez.

Agende sua consulta e aproveite para cuidar ainda mais da pele nesta estação!

Por

Dra. Giane Pelegrini

Médica dermatologista 

CRM/SC 11585 RQE 12128

Edifício Seixas Business Tower 

Rua Dr. Nereu Ramos, 197 | Sala 895 – Centro – Itajaí – SC

(47) 3311-3223 / 98866-8336 Whats App

Facebook: Dra. Giane Pelegrini | Instagram: dra.giane.pelegrini

Arte em evidência

A artista plástica Maristela Oliveira encanta o Sul do país e nos presenteia, por meio do seu trabalho, com talento, sensibilidade e olhar apurado. 

Com obras que levam uma explosão de emoções, beleza e ainda buscam despertar o melhor em cada ser humano, a catarinense Maristela Oliveira, nascida em Chapecó, se faz plural com sua arte. Com habilidade ímpar e a maestria de várias técnicas, sua trajetória no universo da arte teve início ainda na adolescência e aos poucos foi expandido e adquirindo novos conhecimentos enquanto morava em Curitiba. Formou-se em História da Arte, Pintura, Desenho de figuras e Objetos, Lápis de cor e Espatulado, pelo Museu Alfredo Andersen. Participou de estudos de folhação, grafite e fez reciclagem de técnicas com a consagrada artista plástica Maria Ivone Bergamini. No período de 2004 e 2005, passou a desenvolver trabalhos com a técnica do Giz Pastel que, até os dias de hoje, compõe muitas das suas telas.

E por falar em suas obras, estas que ultrapassam espaços de exposições e mostras, compõem, atualmente, diversos ambientes privados e públicos. E não é preciso entender profundamente sobre o universo da arte para perceber o porquê seu trabalho está em destaque no Sul do País, pois é perceptível o quanto suas telas e esculturas aquecem a alma, presam pela sustentabilidade e servem como um brinde aos olhos, onde juntas, revelam a grande personalidade e paixão desta artista.

Entre seus trabalhos mais recentes e que foi bastante comentado na capital paranaense no mês de junho, está a obra ‘Movimento da Energia’. Uma criação feita especialmente para abrilhantar o trabalho dos profissionais Ary Polis e Renam Mutão. Outros dois destaques serão apresentados em julho, onde a artista vem com tudo, agora em Santa Catarina, com dois trabalhos igualmente incríveis: a escultura ‘Pétalas’ para o arquiteto Luiz Fernando Dal Bosco e uma das telas da exposição Raízes para o arquiteto Geovani Capelina. E não para por aí, Maristela Oliveira invadirá, de 23 de julho a 08 de setembro, o Rio Grande do Sul para, igualmente, encantar os gaúchos com seu talento.

Com agenda cheia, novidades é que não faltam na vida dessa artista. Entre elas, a partir da próxima edição, essa artista de talento nato passa a compor o time de experts da Bem-Estar. Sim, para a felicidade dos apaixonados pela arte e pela cultura de maneira geral, agora poderão contar com dicas, informações e tudo mais que movimenta este setor. Seja bem-vinda, Maristela Oliveira.

Se você deseja conhecer um pouco mais sobre essa carismática artista e seus trabalhos incríveis, acesse o Instagram @mo.artdesign ou faça sua encomenda pelo e-mail maristelarmo@gmail.com